Matérias » Arqueologia

A casa viking encontrada embaixo de uma cafeteria em 1973

Na Inglaterra, a evidência milenar trouxe a tona o passado da cidade de York e impressionou a comunidade arqueológica

Alana Sousa Publicado em 30/05/2021, às 11h00

A cafeteria York Coffee House, em York, no ano de 1973
A cafeteria York Coffee House, em York, no ano de 1973 - Divulgação/Blue Peter

Originária da região da Escandinávia, a civilização viking é, sem dúvidas, uma das mais vastas e culturalmente ricas que a humanidade já viu. Encontrando seu apogeu entre os séculos 8 e 10, esse povo contava com rituais, enterros, tesouros e crescimento territorial que são estudados por pesquisadores até os dias de hoje.

Contando com um amplo comércio marítimo, os vikings contavam ainda com a agricultura e o artesanato para se desenvolverem. Ainda assim, conquistaram diversos locais, como Inglaterra, Irlanda, Rússia, Groenlândia e Escócia, utilizando técnicas próprias de combate.

Muitos tesouros, documentos, cemitérios e assentamentos foram descobertos ao longo dos anos, nos mais diversos lugares. Este foi o caso descoberto na famosa cafeteria York Coffee House, que estava com seus dias contados.

Valerie Singleton, do programa Blue Peter / Crédito: Divulgação/Blue Peter

 

Casa viking ou cafeteria?

Localizada na rua Pavement, na cidade de York, na Inglaterra, a antiga loja seria destruída para a construção de um novo banco.

As obras tiveram início em janeiro de 1973, no entanto, uma descoberta valiosa interrompeu as reformas bem no começo, e revelou parte de um passado importante da região inglesa.

Ao notar que na propriedade havia ruínas arqueológicas, o pesquisador Peter Addyman, do York Archaeological Trust, foi acidonado e recebeu autorização do governo para dar início a uma escavação.

Pente encontrado em escavação York / Crédito: Divulgação/Blue Peter

 

Foi então que algo grandioso se revelou: embaixo da cafeteria, existia vestígios de uma casa viking, datada em mais de mil anos. Antes de ser conhecida como York, a cidade era chamada de Jorvik, no fim do século 9 e início do século 10, este período foi marcado pela dominação dos guerreiros nórdicos.

Assim, quando os arqueólogos se depararam com o que viria ser a primeira evidência viking da área, os ânimos foram elevados. Não havia como negar a importância daquela descoberta, visto que ela trazia à tona as origens de York.

Entre muitos artefatos desenterrados, roupas, couro, sapatos e madeiras que erguiam a casa foram encontrados pela equipe do York Archaeological Trust. Na época, a apresentadora Valerie Singleton, do programa Blue Peter, fez uma ampla cobertura da novidade.

O pesquisador Peter Addyman, do York Archaeological Trust / Crédito: Divulgação/Blue Peter

 

Não havia evidências tão ricas como a casa embaixo da cafeteria nos anos anteriores, a descoberta serviu também como um combustível para que arqueólogos continuassem a estudar a cidade, mesmo após a finalização da escavação em Pavement.

Graças aos esforços de pesquisadores, três anos mais tarde, em 1976, outra casa viking em bom estado de conservação foi localizada embaixo de um pub, na rua Coppergate, também em York.


+Saiba mais sobre os vikings por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

Dicionário de História e Cultura da Era Viking, de Johnni Langer (2018) - https://amzn.to/2WJGieJ

Vikings: Noite Em Valhala, de Eduardo Kasse (2019) - https://amzn.to/2WIRXKM

Abominação: Os vikings estão chegando, de Gary Whitta (2017) - https://amzn.to/2WLCzxA

Mitologia Nórdica, de Neil Gaiman (2017) - https://amzn.to/34yTVjT

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W