Matérias » Crimes

Casey Marie Antonhy, a mulher que foi considerada a pior mãe dos Estados Unidos

Anthony tinha uma vida normal enquanto sua filha, Caylee estava desparecida há mais de um mês

Paola Churchill Publicado em 23/05/2020, às 09h00

Casey Anthony no dia de sua prisão
Casey Anthony no dia de sua prisão - Wikimedia Commons

Casey Marie Anthony no auge dos seus 19 anos, tinha uma agitada vida social. Saia todas as noites com seus amigos para festas, baladas e noites regadas a álcool e drogas na Flórida, nos Estados Unidos. Vivendo com seus pais, Cindy e George, a única preocupação da garota era se divertir.

A relação com seus pais nunca foi boa, brigas eram constantes. Isso porque os dois queriam que a filha tomasse um jeito na vida. As coisas pioraram mais ainda quando eles descobriram que ela estava grávida e queria colocar o bebê para adoção.

Cindy e George proibiram a filha de tomar essa ação e disseram que cuidariam das duas, dando suporte para o que ela e a criança precisassem. Casey deu à luz a uma linda garotinha chamada Caylee. A criança era muito amada pelos avós, que a consideravam o raio de sol da família.

Casey com a filha Caylee/Crédito: Divulgação 

 

As brigas entre a mulher e os pais seguiam acontecendo: eles acreditavam que a filha era uma péssima mãe, não cuidando devidamente de Caylee. Como consequência, ela pegou a pequena e seus pertences e se mudou de casa.

A partir daquele momento, a relação de Cindy e George com a neta era quase inexistente, para a tristeza do casal. O contato que eles tinham era apenas alguns minutos no telefone e quase não tinham notícias sobre a menininha.

Casey contou para os pais que havia contratado uma babá para ajudar a cuidar de Caylee, Zeinada Gonzalez, a Zenny, e ainda afirmou que não tinha motivos de preocupação. 

Cindy ligava todos os dias para Casey. Era a única maneira de se comunicar com sua amada neta, no entanto, a filha passou a dar muitas desculpas para que isso não acontecesse: falava que Caylee estava no banho, ou que estava brincando e até mesmo na casa de uma colega da escola.

Após um mês de desculpas, Cindy e o marido estavam preocupados e foram até a casa da filha querendo ver a criança. Casey, que estava acompnhada do atual namorado em casa, se espantou ao ver seus pais. Insistentes, perguntavam sobre a neta, que estaria nos cuidados de Zenny.

Caylee Anthony sumiu em 2008, quando tinha apenas quatro anos/Crédito: Divulgação 

 

Estranhando a situação, os avós pediram que fossem levados até a resdiência da babá, e ela concordou. Eles ficaram dando voltas e mais voltas pela cidade, até a mulher falar a verdade: a filha dela havia sido sequestrada por Zenny há um mês.

Cindy e George ficaram sem reação e apenas perguntaram o porquê de ela não ter ligado para a polícia. Nervosa, a filha afirmou que estava fazendo sua própria investigação. Sem acreditarem no insólito episódio, os pais optaram por chamar os oficiais e a partir daquele momento, uma grande investigação para encontrar a garota começou a ser feita.

A pior mãe do mundo

Seguindo a pista que Casey deu, os policiais foram atrás de Zenny, mas tiveram uma surpresa: a babá nunca existiu. Desconfiadas, as autoridades foram a fundo nas investigações e descobriram que a mulher estava vivendo normalmente, como se a filha não tivesse sumido. Além disso, as pistas que tinha dado, até então, eram falsas.

Na época do desaparecimento, a mulher saia todas as noites, participava de concursos de beleza e até mesmo fez uma tatuagem escrita La Docce Vitta (A Doce Vida, em italiano). Como uma mãe consegue se divertir com a filha desaparecida? Era o que todos se perguntavam.

Depois de tantas mentiras e comportamento suspeito, Casey foi presa preventivamente, pois não havia outro suspeito e tudo levava à ela. O caso foi amplamente divulgado pela mídia americana e multidões saíam às ruas para procurar Caylee. Após seis meses de procura, em um bosque perto da casa dos Anthony, uma ossada foi encontrada.

Julgamento do século

Imediatamente a polícia foi chamada e após uma análise, foi comprovado que aqules restos eram de Caylee. A notícia pegou os avós desprevenidos: ainda tinham esperanças de encontrar a pequena viva. Casey foi acusada de homicídio em primeiro grau e fora mantida em cárcere até seu julgamento.

Só depois de três anos, em 2011, que o julgamento ocorreu, trazendo outras polêmicas à tona. No histórico do computador da casa dos Anthony, foram encontradas pesquisas bizarras, envolvendo como se fazer clorofórmio em casa e formas de se quebrar um pescoço. 

Duas teorias foram criadas para a morte da pequena Caylee Anthony. A primeira apontava que Casey havia asfixiado a filha até a morte. Sem saber o que fazer com o corpo, a mulher o teria jogado no bosque.

A outra teoria é ainda mais insólita e envolve os próprios avós. Foi apontado que o motivo de Casey ter levado a filha para longe dos avôs, teria sido motivado porque George abusava sexualmente da filha desde muito pequena e ela tinha medo do mesmo acontecer com Caylee.

Essa mesma teoria indica que Caylee morreu afogada na piscina da casa dos Anthony, enquanto Casey brigava com os pais. Em um ato de desespero, George para proteger a família teria tentado se desfazer do corpo inerte da neta.

Os pais de Casey, Cindy e George, no dia do julgamento da filha/Crédito: Divulgação 

 

Outras versões

Como o pai de Caylee nunca foi revelado, a mídia sensacionalista afirmava que a pequena era fruto da relação incestuosa entre George e Casey.

Todavia, nenhuma das teorias apresentaram provas suficientes para serem consideradas verdadeiras. Casey Anthony foi inocentada de todas as acusações, contudo, acabou sendo sentenciada a quatro anos de prisão por ter passado informações falsas à polícia.

Hoje, Casey vive uma vida reclusa em outro país e dá entrevistas falando sobre como sente saudades da filha. Seus pais, George e Cindy, já afirmaram em diversas entrevistas que a filha morreu para eles e que ela arruinou a vida da família. Até hoje, o verdadeiro responsável pela morte da pequena Caylee não foi encontrado.


+Saiba mais sobre serial killers por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Serial Killers - Anatomia do Mal: Entre na mente dos psicopatas, de Harold Schrechter (2019) - https://amzn.to/39YVlGK

De frente com o serial killer, de Mark Olshaker e John E. Douglas (2019) - https://amzn.to/2UX47R4

Lady Killers: As mulheres mais letais da história, de Tori Telfer (2019) - https://amzn.to/3c7BoPb

Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers, de John Douglas e Olshaker Mark (2017) - https://amzn.to/2xccb7L

Ted Bundy: Um Estranho ao Meu Lado, de Ann Rule (2019) - https://amzn.to/3cauuc9

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W