Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Entretenimento

Cena de castração em 'Pantanal' original fez ator tremer: "Era um silêncio aterrador"

O intérprete de Tenório na versão transmitida pela Rede Manchete em 1990 marcou os espectadores com a cena chocante

Wallacy Ferrari Publicado em 07/06/2022, às 16h06

Cena da castração de Alcides por Tenório - Divulgação / Bloch
Cena da castração de Alcides por Tenório - Divulgação / Bloch

Em 16 de novembro de 1990, conforme registrado pela Folha de S. Paulo na época, telespectadores da lendária novela 'Pantanal', transmitida na época pela Rede Manchete, assistiram com choque as cenas de violência gráfica em meio a um marcante entrelaço amoroso, que inclusive, cativa espectadores na nova versão da novela.

No remake do roteiro de Benedito Ruy Barbosa, atualmente exibido na faixa de novelas das 21h da TV Globo, o chucro Tenório é interpretado Murilo Benício, que fará par com Isabel Teixeira, nova intérprete de Maria Bruaca. Juliano Cazarré conclui o triângulo amoroso e dá vida ao peão Alcides, escapando das investidas da casada.

Entretanto, no versão original, o peão Alcides, interpretado por Ângelo Antônio, é descoberto preso a uma rede após ser descoberto por Tenório, vilão personificado por Antônio Petrin, com sua esposa, Maria Bruaca, originalmente interpretada por Ângela Leal. Como forma de puni-lo, o rival esquenta uma faca em um fogaréu e castra o pivô da traição em seu casamento.

Com sangue cenográfico, silêncio em meio a feição de dor e choro da esposa desolada, a cena ficou marcada para a história da televisão brasileira pela tensão proporcionada ao espectador. Contudo, se engana quem acredita que, nos bastidores da trama, o clima foi diferente; o próprio Petrin revelou, em entrevista ao jornal Extra, que o momento causou calafrios para a equipe que rodava o trecho.

Clima tenso

De acordo com o artista, hoje com 83 anos, o clima de tensão já era sentido ainda antes de rodar a cena, quando a equipe conheceu o local onde a passagem violenta seria gravada, acompanhando o ator que interpretava seu rival.

Saímos muito cedo da fazenda onde estávamos para andar um espaço grande até o local em que a cena seria gravada. Lembro que eu e Ângelo Antonio caminhávamos lado a lado e nem nos olhávamos, era um silêncio aterrador. Sabíamos da dificuldade que seria gravar aquela cena, carregada de emoção”, revelou Petrin.

A surpresa se deu no momento de gravar, quando o intérprete do vilão notou que, tamanho era o realismo da cena, que observou o diretor Carlos Magalhães lacrimejando durante a gravação.

“Aquilo me provocou muito, redobrou a minha emoção, eu tremia. Falando disso agora parece que estou sentindo a mesma coisa”, acrescentou o artista, que descreveu o momento como um dos mais marcantes da carreira “em termos de emoção”.

Reveja a chocante cena de 'Pantanal' abaixo: