Matérias » Coronavírus

Como foi o primeiro caso oficial de covid-19 no Brasil?

A primeira confirmação no país veio em 25 de fevereiro de 2020, e o paciente prefere se manter anônimo até hoje

Larissa Lopes, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 03/03/2021, às 09h29

Imagem meramente ilustrativa de hospital
Imagem meramente ilustrativa de hospital - Getty Images

No último dia 25 de fevereiro, completou-se um ano do primeiro caso de coronavírus no Brasil. Nessa época, em 2020, a realidade era outra: feriado de carnaval, bloquinhos nas ruas, muita festa e comemoração.

Contudo, surgia a primeira confirmação da doença no Hospital Israelita Albert Einstein, localizado na capital paulista. O caso foi repercutido pelo jornal O Globo, em matéria de fevereiro deste ano.

O paciente — anônimo até hoje — chegou ao pronto-atendimento da instituição por volta das 20h do dia 24, numa segunda-feira. Com sintomas de tosse, dor de garganta, febre e coriza, a pessoa nem imaginava o seu diagnóstico, que parecia ser um resfriado comum.

Ele contou à equipe médica que havia viajado recentemente à Itália, o que logo acendeu um alerta nos platonistas, uma vez que o país europeu já tinha vítimas do novo coronavírus.

Representação artística de novo coronavírus / Crédito: Pixabay

 

“Ele tinha voltado da região da Lombardia três dias antes”, relembrou o infectologistaFernando Gatti, em entrevista ao jornal O Globo. O médico foi responsável por receber o paciente naquela noite, há um ano, e também por assumir o caso.

Até então, o Brasil recomendava o protocolo de testagem apenas em viajantas de países asiáticos, mas o hospital Albert Einstein, segundo o médico, tinha critérios ainda mais amplos. Depois, foi pedido que o paciente fizesse o teste PCR — naquela época nada comum —, a partir da coleta de material do fundo do nariz e da garganta. 

De acordo com O Globo, o paciente era um empresário de 61 anos, morador de São Paulo, que no fim concordou em realizar o teste. 

Testagem

O material foi levado para o Laboratório de Técnicas Especiais do Einstein para análise. A coordenadora do laboratório, Rúbia Santana, contou ao O Globo que levou um susto quando recebeu a notícia do resultado positivo. Ela também explica que a equipe ficou espantada e quis ter certeza que o processo não foi marcado por problemas, assim repetindo o teste.

Imagem ilustrativa de hospital em campanha de vacinação / Crédito: Getty Images

 

Na manhã do dia 25 de fevereiro, já era certeza: tratava-se do primeiro caso de Covid-19 no Brasil. A partir do resultado, o hospital repassou a notícia às vigilâncias sanitárias e enviou a amostra do material ao Instituto Adolfo Lutz — ligado ao governo de São Paulo.

Naquela época, para anunciar as estatísticas sobre a pandemia era preciso ter a confirmação de um laboratório referência no estado. A checagem fora realizada pelo instituto e o comunicado chegou à imprensa somente no dia 26.

Anonimato

O nome do empresário infectado nunca foi revelado — por opção dele mesmo. Para o infectologistaFernando Gatti, era sua função e da equipe aliviar a tensão do homem por ele ser ‘o primeiro caso’ do país.

“No começo, mantive contato de forma virtual com ele três vezes por dia. Para ele e a família, tive que fazer também um pouco o papel de psicólogo. Sendo o primeiro caso no Brasil, ele se sentia bastante assediado, não se sentia bem com isso”, revelou o médico, segundo informações do O Globo.

Imagem ilustrativa de máscara e álcool / Crédito: Klaus Hausmann/Pixabay

 

O início da assistência médica foi realizada através do celular, uma vez que o paciente ficou em casa sob isolamento social. Com a descoberta de uma complicação do coronavírus, nesse caso uma pneumonia bacteriana, o homem precisou ser internado em leito semi-intensivo.

Segundo o médico que o tratou, a recuperação do primeiro paciente brasileiro foi plena e não fora marcada por sequelas.


+Saiba mais sobre pandemias por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Inimigo Mortal: Nossa Guerra Contra os Germes Assassinos, de Michael T. Osterholm e Mark Olshaker (2020) - https://amzn.to/2YWUowI

O fim está sempre próximo, de Dan Carlin (2020) - https://amzn.to/2zwBqSS

Cambridge - História da Medicina, de Roy Porter (2008) - https://amzn.to/38ZeyHN

Doenças que mudaram a história, de Guido Carlos Levi (2018) - https://amzn.to/33woA1R

A grande mortandade, de John Kelly (2011) - https://amzn.to/2vsqnZa

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W