Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Margaret Thatcher

A Dama De Ferro: Como foi a renúncia de Margaret Thatcher?

Entenda o que levou Margaret Thatcher, uma das líderes mais influentes da Inglaterra, a deixar o cargo da mesma forma como Boris Johnson está fazendo hoje

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 07/07/2022, às 13h00

A primeira-ministra Margaret Thatcher - Arquivo Nacional Holandês via Wikimedia Commons
A primeira-ministra Margaret Thatcher - Arquivo Nacional Holandês via Wikimedia Commons

Esta quinta-feira, 7, foi marcada pela renúncia do primeiro-ministro da Inglaterra, Boris Johnson, que viu seu governo entrar em declínio após emergirem denúncias de assédio direcionadas a Chris Pincher, um aliado parlamentar.

O político, na ocasião, minimizou o ocorrido, atraindo críticas. Este escândalo sexual desencadeou uma onda de ministros e outros funcionários do Estado britânico deixando seus cargos em protesto. 

Eventualmente, Johnson não viu outra opção se não deixar que outro primeiro-ministro seja escolhido. Seu discurso de saída foi repleto de pesar:

Nos últimos dias, tentei persuadir meus colegas que seria excêntrico trocar o governo quando estamos entregando tanto [...] Eu me arrependo de não ser bem-sucedido nesta argumentação, é doloroso não conseguir ver a conclusão de tantas ideias e projetos por mim mesmo", afirmou, conforme repercutiu o UOL. 

"Meus amigos, na política, ninguém é remotamente indispensável [...] Ao novo líder, eu te apoiarei o máximo possível. E ao Parlamento britânico, sei que haverá muitas pessoas aliviadas e outras desapontadas. Quero que vocês saibam o quanto estou triste de renunciar ao melhor trabalho do mundo", concluiu. 

Boris Johnson ainda ficará à frente do governo britânico por mais alguns dias, enquanto não é escolhido o próximo primeiro-ministro. De forma curiosa, o político não é o único ocupante deste cargo a ter renunciado na história da Inglaterra, sendo inclusive a quinta pessoa consecutiva a alcançar esse desfecho em anos recentes. 

Antes disso, uma das mais famosas figuras políticas do país, Margaret Thatcher, a "Dama de Ferro", também havia saído da liderança através de uma renúncia. Entenda abaixo!

Marca histórica 

Thatcher foi a primeira mulher a ocupar o cargo de primeiro-ministro da Grã-Bretanha, que ela assumiu em 1979 e deixou em novembro de 1990, de forma que ficou onze anos e meio no poder. Até hoje, nenhum político teve um mandato mais longo que ela, que venceu três eleições seguidas. 

Conhecida por governar com uma mão de ferro, a integrante do Partido Conservador britânico promoveu uma reforma econômica neoliberal no Reino Unido, reprimindo sindicatos trabalhistas, cortando gastos públicos onde podia e privatizando inúmeras empresas de setores de infraestrutura. As informações são relembradas por uma matéria da Exame. 

Aliada do presidente norte-americano Ronald Reagan e crítica ferrenha da União Soviética, a figura se consolidou por sua doutrina fortemente capitalista, que provocou tanto efeitos positivos quanto negativos no país, motivo pelo seu legado é até hoje um divisor de opiniões. 

Embora tivesse apoiadores leais até o fim devido ao crescimento econômico que foi capaz de promover, recolocando a Inglaterra no mercado internacional, um dos pontos mais criticados do governo Thatcher foi aumento do desemprego e da pobreza ocorridos nele. 

Esse aspecto social levou à queda da popularidade da primeira-ministra entre os britânicos, porém, vale destacar que não foi o que determinou sua queda do poder, e sim a perda de apoio dentro do próprio parlamento inglês, segundo repercutido pela BBC. 

Margaret Thatcher / Crédito: Getty Images

Queda 

A atitude intransigente de Margaret Thatcher, que lhe foi útil para pressionar pelas mudanças que queria implantar, também foi o motivo pelo qual deteriorou suas alianças políticas.

Ao longo de seu mandato, a mulher havia causado insatisfação mesmo entre o Partido Conservador, o que ficou claro quando tentou concorrer para se tornar a liderança oficial do grupo, e perdeu.

Outro aspecto de relevância foi como seu afastamento do poder influenciaria o futuro do partido dentro do governo inglês. Conforme acreditava Thatcher, sua saída poderia, na verdade, ajudar os conservadores a vencerem a próxima eleição para primeiro-ministro: 

"Concluí que a unidade do partido e as perspectivas de uma vitória nas eleições parlamentares serão melhor servidos se eu renunciar", explicou ela na carta em que formalizou sua renúncia. 

A Dama de Ferro foi precedida pelo conservador Sir John Major, que liderou o Parlamento até 1997.

Fotografia mostrando Sir John Major ao lado de Thatcher em evento de 2010 / Crédito: Getty Images

Depois disso, contudo, eleições gerais trouxeram o Partido Trabalhista de volta ao cargo de primeiro-ministro, na forma de Tony Blair, entre 1997 e 2007, e Gordon Brown, até 2010. 

Já nas últimas duas décadas, os conservadores voltaram a dominar o governo da Inglaterra, com o mais recente deles sendo o próprio Boris Johnson