Matérias » Personagem

A comovente história do ex-ator mirim que foi preso para “se salvar”

Considerado um prodígio na década de 80, Joey Cramer fez sucesso após estrelar ‘O Voo do Navegador’

Fabio Previdelli Publicado em 10/10/2021, às 08h00

Cena do filme ‘O Voo do Navegador’
Cena do filme ‘O Voo do Navegador’ - Divulgação/ Disney

Nos anos 1980, o ator mirimJoey Cramer era visto como um “garoto prodígio”. Não à toa, chegou a fazer parte até mesmo de produções da Disney. Porém, repentinamente, Cramer acabou sumindo das telonas, dando fim precocemente a sua fama.

Mas o que aconteceu?  

Da fama ao anonimato 

A trajetória de Cramer com a Disney começa em 1985, quando Joey tinha apenas 12 anos. Na ocasião, ele foi escalado para participar da produção ‘I-Man: O Homem Indestrutível’, que narra a história de um motorista de táxi que acaba sendo exposto a um gás depois de tentar socorrer um motorista de um veículo da NASA.    

Com a inalação da substância, o personagem principal da trama, Jeffrey Wilder, acaba se tornando, conforme sugere o título do longa, uma espécie de super-herói. A produção tem Scott Bakula como protagonista.  

Entretanto, ainda não seria uma das grandes aparições de Joey. O filme em que o ator mirim realmente se destaca é lançado no ano seguinte: ‘O Voo do Navegador’, uma ficção científica produzida também pela Disney.  

O longa hollywoodiano foi um dos primeiros filmes a usar extensos efeitos das chamadas Imagens Geradas por Computador (os populares CGI’s). Além do mais, a narrativa é a primeira a usar uma trilha sonora inteiramente eletrônica. A produção se tornou um clássico cult. 

O destaque de Joey foi tamanho que ele chegou a ser indicado ao Saturn Award na categoria de "Melhor Performance de um Jovem Ator" da Academia de Ficção Científica, Fantasia e Filmes de Terror, como aponta o site do IMDB. 

Ainda na década de 80, Cramer chegou a participar de outros filmes, como ‘A Tribo da Caverna do Urso’ (1986) e ‘Stone Fox’, western de (1987). Logo depois, sua promissora carreira parecia ter acabado.

Conforme explica matéria publicada pelo site CineBuzz, Joey relatou que se sentia pressionado por sua fama precoce. Dessa maneira, decidiu dar um tempo em sua vida de ator e retomar “a vida normal”. 

Com isso, voltou a morar na Costa do Sol, no Canadá, onde passou a trabalhar em uma pequena loja de artigos esportivos, segundo relata o The Guardian. 

"Eu só queria ser uma criança normal de novo, me divertir, andar de skate e tudo mais. Mas depois que voltei para a escola, não me encaixava em lugar nenhum", confidenciou em uma entrevista ao jornal Daily Star.  

Saga turbulenta

Porém, nesta fase, ele se tornou um dependente químico. "Eu me viciei muito jovem, com 14 ou 15 anos", explicou o ex-ator. Aos 18 anos, Joey foi internado pela primeira vez em uma clínica de reabilitação. Aos 20, devido ao ambiente nocivo do local, decidiu fugir e ir ao México.  

De volta ao Canadá, Cramer acabou ficando longe das drogas por uma década, mas teve uma recaída em 2007. No ano seguinte, foi processado por uso descuidado e armazenamento de uma arma de fogo, recebendo uma pena de três meses de liberdade condicional.

No final de 2008, ele recebeu uma sentença de seis meses de prisão por posse de substância controlada, explica o National Post.  

Em 2016, Joey voltou a prisão novamente, desta vez por ter seu nome ligado ao assalto de uma agência do Scotiabank, na Columbia Britânica. Ele confessou que roubou o banco se disfarçando para cometer o crime. Depois, fugiu perigosamente da polícia, aponta o Coast Reporter. 

Porém, Joey Cramer não vê o episódio com maus olhos, já que alega ter assaltado o banco como uma forma de “se salvar”, como ele mesmo disse ao Daily Star.  

“Foi um alívio ser preso", declarou. Afinal, na cadeia, Joey passou a ter contato com diversas atividades, como a pintura e o xadrez.  

Cramer já disse que sonha em atuar novamente. "Atuar é algo que sempre amei e sempre me perguntava se seria algo que eu pudesse fazer novamente. Só vou fazer porque adoro, não com nenhum objetivo em mente, porque você segue o seu coração e o sucesso vem depois".


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W