Matérias » Mundo

Competição de não fazer nada: Conheça esse excêntrico esporte da Coreia do Sul

Não pode mexer em dispositivos eletrônicos, comer, dormir ou conversar — para levar o troféu para casa, os participantes precisam ter habilidade na arte do ócio

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 13/11/2021, às 09h00

Jovem participando da competição
Jovem participando da competição - Divulgação/ Youtube/ The Korea Herald

Para quem vê de longe, o evento conhecido como "Space Out Competition" (Ou "Competição de Devanear", em tradução livre), é difícil pensar que aquele grupo de pessoas sentadas na grama com expressão de paisagem estão praticando um esporte. 

Porém, é exatamente o que está acontecendo: dezenas de sul-coreanos se reúnem em alguma área movimentada, como um parque ou um prédio público, e competem para ver quem é melhor em ficar sem fazer nada.

E, como qualquer outra disputa, apenas um deles pode levar para casa o troféu de mais perdido. Para tanto, é preciso seguir regras rigorosas, caso contrário se é desclassificado. Olhar o celular, o relógio, começar uma conversa, comer ou dormir são atividades estritamente proibidas. 

Para garantir que os participantes realmente estão perdidos nos seus pensamentos, os batimentos cardíacos dos finalistas chegam a ser medidos, e é aquele com o pulso mais estável que ganha o troféu. As informações foram documentadas por uma matéria da Vice de 2016. 

Batimento de participante sendo medido / Crédito: Divulgação/ Youtube/ The Korea Herald

 

A origem do evento

A criadora desse peculiar esporte é WoopsYang, uma artista plástica que, a despeito de estar sofrendo com Síndrome de Burnout (também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional) por conta das muitas obrigações de seu cotidiano, se sentia ansiosa com a ideia de parar e se permitir ser improdutiva.

Assim, ela nem conseguia ser produtiva, nem conseguia relaxar, ficando presa nessa angustiante meio-termo, ainda de acordo com uma entrevista da sul-coreana para o veículo.

"Pensei comigo mesma: acho que me sentiria melhor em não fazer nada se fizesse isso em grupo", contou ela. Foi daí que surgiu ideia da Space Out Competition, que dura 90 minutos e ocorreu pela primeira vez em 2014. 

Imagem mostrando a edição de 2016 da competição / Crédito: Divulgação/ Youtube/ AJ+

 

Porém, como WoopsYang é uma artista, o evento é mais do que um esporte, cumprindo um papel simultâneo de instalação artística. Isso pois, como os locais onde as competições são feitas são sempre repletos de pessoas ocupadas, é criado um claro contraste entre eles e o curioso grupo que está concentrado em desconcentrar-se. 

“Tradicionalmente, existe uma concepção de que devanear é uma espécie de perda de tempo. No entanto, esse equívoco precisa mudar e essa obra contribui para a mudança”, diz uma mensagem no site oficial do evento. 

“Sentimos [como se estivéssemos] perdendo nosso tempo se não fizermos nada enquanto os outros estão ocupados. Você pode perder tempo [um] pouco. Você merece”, concluiu WoopsYang em relação à mensagem que quer passar com sua iniciativa. 

A experiência

O campeão de 2019, Lee Radde, também foi entrevistado pela Vice. Ele explicou como tentou se preparar para a tarefa encontrando boas posições para ficar sentado no chão por longos períodos. 

“É uma coisa estranha de se preparar, mas eu percebi que, como temos que ficar sentados em um mesmo lugar por tanto tempo, não queria que a dor ou o desconforto me tirassem do estado mental de devaneio", contou. 

Lee revelou que considerava sua vitória de 2019 como a maior conquista de sua vida, porém o que mais tinha apreciado a respeito do esporte fora a própria experiência de participar dele. 

Lee Hadde durante competição de 2021, em que ele esteve presente novamente e ganhou o segundo lugar / Crédito: Divulgação/ Arquivo Pessoal/ WoopsYang

 

“É difícil de explicar, mas há algo significativo em se reunir com pessoas que optam por não fazer nada”, refletiu.