Matérias » Brasil

Complexo do Alemão: Há 13 anos, acontecia a chacina que chocou o país

Ocorrida em 2007, operação teve um total de 19 mortos - 8 deles sem antecedentes criminais

Joseane Pereira Publicado em 27/06/2020, às 07h00

Vista ampla do Complexo do Alemão
Vista ampla do Complexo do Alemão - Divulgação/Flickr

No dia 27 de junho de 2017, no Rio de Janeiro, uma operação policial ocorreu nas favelas que compõem o Complexo do Alemão. Os números oficiais apontaram 19 pessoas mortas no conflito, das quais pelo menos nove não tinham antecedentes criminais.

Cada morto recebeu uma média de quatro tiros, e o terror que assolava a população desde o início do cerco policial, em 2 de maio, se tornara insuportável neste dia.

Contexto

Em 2007, o Rio celebrava os XV Jogos Pan-Americanos, evento esportivo que ocorreu com grande operação logística e organizacional. Durante os Jogos, um grande cerco policial foi montado na região das favelas que compunham o grande complexo do Alemão, para supostamente garantir a segurança do evento internacional. À época, o morro foi considerado pelo jornal O Globo como a faixa de gaza carioca.

A ação policial levada a cabo tinha como objetivo acabar com os traficantes varejistas, que comercializavam produtos lucrativos como maconha e cocaína, que vinham do exterior através do tráfico atacadista.

Das 200 mil pessoas que compunham o complexo em 2007, 450 eram traficantes varejistas – 0,2% do total. Para a operação, foram mobilizados 1.350 policiais civis e militares, três caveirões, um helicóptero, nove franco-atiradores e 150 soldados da Força Nacional.

A Chacina

A ação policial começou às 9 horas da manhã, horário de intensa movimentação nas ruas que compõem as favelas do complexo. Na que foi chamada Operação Cerco Amplo, os policiais ocuparam vielas e invadiram casas armados com pistolas e metralhadoras.

Os mortos foram, em sua maioria, jovens entre 15 e 24 anos. Trinta e dois tiros foram disparados pelas costas, e segundo laudos médicos, os tiros na parte superior do corpo foram feitos em ângulo de 45 graus – indicando que as vítimas estavam sentadas ou ajoelhadas.

Os números oficiais indicam que do início da ocupação, em 2 de maio, até o dia 27 de julho, 42 pessoas morreram e cerca de 80 ficaram feridas. A matança teve repercussão nacional e internacional, e continua sendo uma das operações mais inexplicáveis já ocorridas em território brasileiro - afinal, nenhum grande traficante foi pego e o tráfico continuou operando normalmente.


+Saiba mais sobre o tema através das obras disponíveis na Amazon

Gritos na Escuridão: A chacina que abalou Volta Grande - Dez homicídios: vingança ou ganância?, Paulo Fernando Silveira (2013) - https://amzn.to/3eyH72p

Conversando com Gaspare Spatuzza: um Relato de Vida, uma História de Chacinas, Alessandra Dino (2018) - https://amzn.to/385tXYi

O rapaz do metrô: Poemas para jovens em oito chacinas ou capítulos, Sergio Capparelli (2014) - https://amzn.to/31lzHeX

O massacre: Eldorado do Carajás - uma história de impunidade, Eric Neopomuceno (2019) - https://amzn.to/2VhwSrs

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du