Matérias » Folclore

Pedofilia e canibalismo: Conheça a verdadeira história da Branca de Neve

A versão dos Irmãos Grimm está longe de ser para o público infantil, sendo muito mais sórdida que a animação retratada pela Disney

André Nogueira Publicado em 20/08/2019, às 12h00

None
- Reprodução

A história da Branca de Neve é famosa e encanta gerações. Transformada em uma meiga animação por Walt Disney em 1937, o conto retrata a história de uma bela moça banida por uma madrasta malvada e acolhida por sete simpáticos anões; até que é envenenada por uma maçã e cai em um sono profundo, finalizado ao receber o beijo de um galante príncipe.

No entanto, a produção de Walt Disney escondeu a jornada original da Branca de Neve, que envolve detalhes assustadores e ações sórdidas. O conto original, dos Irmãos Grimm, não era indicado para crianças.

Reproduzir um conto original dos Irmãos Grimm cai em um erro: a histórias compiladas no Nusery and Household Tales (1812) são antologias de conhecimentos populares carregados pela tradição oral. Seus contos de fadas eram fábulas populares germânicas.

Irmãos Grimm / Crédito: Reprodução

 

Uma dessas histórias era a da Pequena Branca de Neve, em que a Rainha Má pede a um caçador que leve a moça, que dá nome ao conto, à floresta para que a mate. Entretanto, na versão macabra, a princesa é uma criança de sete anos. Como prova do assassinato, a monarca cruel exige que o assassino retorne com os pulmões e o fígado da pequena menina.

Transtornado, o caçador finge matar Branca de Neve, cortando na verdade um javali, cujas tripas serviram de prova de seu trabalho. A Rainha acredita e, comemorativamente, come os órgãos da menina.

Depois que a mentira do caçador é descoberta, começa a fase do conto em que a Rainha Má se dedica em enganar Branca de Neve. Na versão dos Grimm, isso ocorre três vezes: na primeira, ela faz a garota experimentar um espartilho que, de tão apertado, a faz desmaiar; os anões a salvam. Na segunda, ela vende à garota um pente envenenado, que a faz dormir. Na terceira, aparece a famosa maçã venenosa.

Após o envenenamento, ela desmaia e é considerada morta. Em seguida, é colocada num caixão de vidro. É neste momento em que aparece o príncipe, insistindo em levar o cadáver para lado de fora da casa. 

Branca de Neve na animação de Walt Disney / Crédito: Reprodução

 

Hesitantes, os anões concordam, carregando-a até que tropeçam e fazem a princesa se movimentar no caixão. Isso faz com que ela cuspa o pedaço de maçã entalado na garganta e volte à vida. Sem beijo nenhum.

Mesmo assim, da mesma maneira que ocorre no filme, Branca de Neve se apaixona pelo príncipe e eles se casam. Mesmo que a moça tivesse sete anos. No casório, encontram a Rainha Má, que decidiu comparecer – seja lá por que motivo.

Na cerimônia, os anões decidem punir a Rainha, de maneira sórdida: fazem-na dançar até a morte. Nas palavras originais dos Grimm: “Eles colocaram um par de sapatos de ferro em brasas. Eles foram trazidos com pinças e colocados diante dela. Ela foi forçada a entrar nos sapatos quentes e dançar até cair morta”.