Matérias » Pandemia

Contra as vacinas, homem se arrependeu antes da morte por covid-19: 'Ele queria poder voltar no tempo'

Quando Matthew Keenan mudou de ideia a respeito dos imunizantes, já não havia como voltar atrás

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 01/08/2021, às 10h00

Fotografia mostrando Matthew Keenan no hospital
Fotografia mostrando Matthew Keenan no hospital - Divulgação / Facebook/ Arquivo Pessoal

Matthew Keenan, um homem inglês de 34 anos de idade, não acreditava na eficácia das vacinas contra a covid-19, de forma que decidiu não se imunizar, atitude que pode ser observada também em pessoas de outros países, como os Estados Unidos e o Brasil. 

 As visões de mundo de Keenan deram uma guinada brusca quando ele contraiu o temido vírus. No dia 2 de julho de 2021, ele postou em sua conta pessoal do Facebook que havia obtido um resultado positivo em um teste de coronavírus

Arrependimento 

Em questão de alguns dias, o estado de saúde do homem inglês se deteriorou consideravelmente, fazendo com que precisasse ficar internado e fazendo uso de uma máscara de oxigênio

Sua  história foi para as redes no dia 11 de julho de 2021, através de uma publicação feita por Leanne Cheyne, a médica que o tratava. 

"Matthew concordou com que eu compartilhasse a história dele. 34 anos, treinador de futebol e pai. Cético confesso da vacina até pegar covid, ele queria poder voltar no tempo. Nossos pacientes mais graves não tomaram a vacina e têm menos de 40 anos. Matthew está lutando pela vida... Salvem as suas", escreveu a profissional da saúde. 

Fotografia meramente ilustrativa de vacinas / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ qimono

 

Junto à mensagem de alerta, que foi repercutida por uma matéria da BBC, estava a fotografia do paciente sentado em uma maca e com uma máscara acoplada à sua cabeça. Ele passava por um tratamento chamado de “ventilação não invasiva”.

Caso seu caso piorasse, todavia, ele precisaria ser enviado para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). 

Final infeliz 

Infelizmente, o pior cenário se tornou realidade, e o sistema imunológico de Keenan não conseguiu resistir ao vírus da Covid-19. 

Ele era um treinador de futebol conhecido onde morava, na cidade de Bradford, no norte da Inglaterra, e a notícia de seu falecimento foi recebida com muita tristeza por aqueles que o conheciam. 

"Absolutamente devastado em saber da morte do meu colega Matthew Keenan. Sinceramente uma das melhores pessoas que você poderia conhecer. Ele iluminava todo o lugar por onde passava. Voa, meu irmão. Você nunca vai caminhar sozinho”, escreveu Akif Khan, um colega da Bradford Sunday Alliance, liga de futebol do qual o britânico participava, em uma homenagem postada no Facebook e repercutida também pela BBC. 

"Matthew foi um grande cara, um cavalheiro, uma verdadeira lenda, sempre tinha tempo para todo mundo, mesmo que não conhecesse a pessoa, e sempre fazia todos sorrirem. Ele amava o seu futebol”, postou ainda um porta-voz da liga esportiva. 

Vale dizer que, a despeito do caso de Matthew, a vacinação na Inglaterra está bem avançada em relação à maior parte do resto do mundo. Na própria cidade do treinador de futebol, por exemplo, mais de 70% dos moradores já conseguiram receber a primeira dose. 

Apesar dos bons números, porém, o coronavírus ainda circula à procura de hospedeiros, e quando encontra um que não está imunizado, como foi, tragicamente, o caso de Keenan, o  agente patogênico consegue fazer mais estragos.