Matérias » Brasil

CPMI 2019: Quando a rixa entre Carla Zambelli e Joice Hasselmann resultou em troca de farpas ao vivo

As duas deputadas, que no passado foram amigas, passaram a ter um forte clima de hostilidade após tensões dentro do partido

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 03/10/2021, às 09h00

Imagens mostrando Carla Zambelli (à esq) e Joice Hasselmann (à dir) durante discussão
Imagens mostrando Carla Zambelli (à esq) e Joice Hasselmann (à dir) durante discussão - Divulgação / TV Senado

Antes da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) de a covid-19 preencher as manchetes dos jornais brasileiros, ocorria uma outra investigação similar, a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News, que teve início em setembro 2019.

Composta de quinze deputados e quinze senadores, o grupo tinha como foco apurar se teriam ocorrido campanhas virtuais de desinformação durante as eleições de 2018, o que teria sido feito com o objetivo de influenciar os resultados do processo eleitoral.

As técnicas investigadas pela equipe incluiriam "criação de perfis falsos", "ataques cibernéticos contra a democracia e o debate público", "cyberbullying" e "aliciamento de crianças para o cometimento de crimes de ódio", segundo está documentado no site da Câmara dos Deputados.  

A comissão teve suas atividades paralisadas durante a pandemia, porém não antes gerar inúmeras tensões. Uma delas, ocorrida em dezembro de 2019, foi entre as deputadas federais Joice Hasselmann (PSL) e Carla Zambelli (PSL).

Embora estivessem no mesmo partido, tendo sido aliadas no passado, instalou-se um clima de hostilidade entre as duas durante o período posterior à saída do presidente do PSL.

O grupo político acabou fragmentando-se entre os que não estavam mais do lado do chefe de Estado, e aqueles que ainda o apoiavam, sendo elas afetadas por essas divisões internas. 

Confusão

A discussão entre as duas deputadas começou por conta de um desentendimento em relação ao funcionamento do sistema eleitoral brasileiro. 

Dentro do PSL, partido citado na conversa, 52 políticos conseguiram cadeiras dentro da Câmara dos Deputados após 2018, tornando-se então uma das maiores bancadas dentro do órgão.

Boa parte desses membros do grupo político não havia conseguido votos suficientes para se eleger por conta própria. Conseguiram seus cargos por conta de 7 deputados que tiveram números de votos incrivelmente altos, tal como Janaina Paschoal e a própria Joice Hasselmann, por exemplo, conforme explicado por um artigo da Folha De São Paulo.

Fotografia de Joice Hasselmann / Crédito: Agência Brasil/ José Cruz

 

Esses sete foram capazes de "puxar" outros para dentro da Câmara, contanto que esses outros tivessem conseguido um número mínimo de votações. 

Insultos pessoais

"A deputada Joice falou que ela ajudou os deputados de São Paulo a serem eleitos. Nós em São Paulo elegemos 17 deputados, mas sete ficaram de fora porque não conseguiram os 30 mil votos, que seria o mínimo. Então na verdade os 700 mil votos dela que 'sobraram' se perderam. Isso é matemática", afirmou Carla durante a sessão na CPMI da Fake News. 

Fotografia de Carla Zambelli / Crédito: Divulgação/ Câmara dos Deputados

 

Hasselmann, todavia, começou sua fala seguinte retrucando que a colega havia entendido errado: "Você não conhece a lei, você é burra, Carla, desculpa". 

A escolha de palavras ofensiva acabou inevitavelmente elevando os ânimos da outra: Zambelli tentou dar uma resposta imediata, porém seu microfone foi cortado.

"Isso é uma ofensa pessoal, senhor presidente. Se você não tem o mínimo nível, Joice...", disse ela antes de ser interrompida. 

Enquanto isso, Hasselmann continuou sua resposta, reagindo desta vez a uma outra afirmação que havia sido feita por Carla

Zambelli tinha afirmado acreditar, mais cedo naquele dia, que a outra teria sabotado sua candidatura através da disseminação de fake news e até mesmo do desenvolver um dossiê em que a chamaria de "prostituta, abortista e traficante de drogas". 

Joice afirmou que não tinha feito nada disso, e que fora Bolsonaro, por exemplo, que havia pedido que Carla descesse de carro de som durante um episódio da campanha eleitoral. 

"O presidente? Você é louca, Joice!", replicou a outra, projetando a voz para compensar o microfone ainda desligado. 

Antes da briga ser apartada, Hasselmann ainda afirmou que as duas haviam sido amigas, e ela tinha até mesmo pago um jantar uma vez para ela e seu ex-namorado. 

Veja abaixo um vídeo mostrando a discussão na íntegra.