Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Brasil

Crítica de Monteiro Lobato à obra de Anita Malfatti intrigou público da Semana de 22

O artigo em que o escritor comparou composições modernistas aos desenhos produzidos em manicômios havia contribuído para atiçar a curiosidade do público, para o bem ou para o mal

Raphaela de Campos Mello Publicado em 13/02/2022, às 06h00

Anita Malfati e Monteiro Lobato - Domínio Público via Wikimedia Commons
Anita Malfati e Monteiro Lobato - Domínio Público via Wikimedia Commons

Um número considerável de visitantes se dirigiu ao Theatro Municipal de São Paulo em fevereiro de 1922 com um objetivo muito claro em mente: conhecer a obra da artista plástica Anita Malfatti.

Um conjunto de 12 pinturas e oito peças — gravuras, desenhos e pastéis — capturavam os visitantes logo na entrada.

“Ali estavam mais uma vez aos olhos de São Paulo 'A Mulher de Cabelos Verdes', 'A Estudante Russa', 'O Homem Amarelo', 'A Onda', 'A Ventania', 'O Japonês' e 'Rochedos' — obras que permaneceram como algumas das melhores de Anita e do modernismo brasileiro”, destaca Marcos Augusto Gonçalves no livro "1922: A Semana Que Não Terminou".

A curiosidade acerca dessas composições havia sido instigada cinco anos antes, por ocasião da exposição que a artista realizou em dezembro de 1917 e que resultou no célebre artigo escrito por Monteiro Lobato.

Ironicamente, o virulento ataque à obra de Anita e aos modernistas, intitulado "Paranoia ou Mistificação" e publicado na edição vespertina do jornal O Estado de S. Paulo, havia contribuído para atiçar a curiosidade do público, para o bem ou para o mal.

'A Estudante' (1915 e 1916), de Anita Malfati / Crédito: Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand via Wikimedia Commons

Em sua argumentação, Lobato divide os artistas em dois grupos. O primeiro, composto de pessoas que “veem normalmente as coisas”; o segundo, dos que “veem anormalmente a natureza e a interpretam à luz de teorias efêmeras, sob a sugestão estrábica de escolas rebeldes”.

Não satisfeito, o escritor ainda comparou as composições modernistas aos desenhos produzidos em manicômios por “cérebros transtornados pelas mais estranhas psicoses”.

“A recorrente aproximação entre arte moderna e perturbação mental, usada por Lobato, já havia aparecido antes em críticas na França e nos Estados Unidos”, pontua Gonçalves.

Ainda que não justifique ataque tão desabonador, o pesquisador faz uma ponderação que ilumina o caráter inédito daquelas criações aos olhos dos brasileiros.

“Apesar de uma ou outra manifestação mais bem informada, jornalistas e críticos da época ainda não se acertavam com o recente vocabulário da arte moderna — que inexistia no circuito brasileiro", explica.

"Muitos já tinham ouvido falar em cubismo e futurismo, mas a maioria parecia conhecer superficialmente os movimentos europeus”, acrescenta. 

Ao defender no artigo uma arte regida por leis e princípios atemporais e imutáveis, segundo sua visão, Lobato tentou soprar para longe, com palavras bem calibradas, a “ameaça” modernista que, cinco anos depois, se instalou no reino consagrado da erudição paulista.


+ Saiba mais sobre o modernismo por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Poesias reunidas, de Oswald de Andrade (2016) - https://amzn.to/2VpJHkg

Tarsila popular, de Vários Autores (2019) - https://amzn.to/2HZVQ7S

Box Obras de Mário de Andrade, de Mário de Andrade (2017) - https://amzn.to/32ruyAE

De Anita ao museu: o Modernismo, da primeira exposição de Anita Malfatti à primeira Bienal, de Paulo Mendes de Almeida (2015) - https://amzn.to/38XHd0B

Melhores Poemas Menotti del Picchia, de Menotti del Picchia (2004) - https://amzn.to/393Wg8W

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W