Matérias » Hollywood

Cultura do cancelamento: os nomes da antiga Hollywood que não sobreviveriam ao movimento

Além de selecionar personalidades que não passariam ilesas, também conversamos com um profissional que atua na área para entender os impactos desse fenômeno

Penélope Coelho Publicado em 25/08/2020, às 16h48

Errol Flynn, John Wayne e Marlon Brando respectivamente
Errol Flynn, John Wayne e Marlon Brando respectivamente - Wikimedia Commons

No último ano, a palavra ‘cancelamento’ ganhou espaço nas redes sociais. Trata-se de um novo fenômeno cultural, que em 2019 entrou para o Dicionário Macquarie como o termo do ano.

Ultimamente, diversos influenciadores digitais e personalidades da mídia foram ‘cancelados’ pelos usuários das redes sociais após tomarem algumas atitudes que nem sempre correspondiam às expectativas desejadas por seu público, e também atitudes extremamente deploráveis. Assim, basicamente “deixavam de existir” na vida de seus seguidores, e até perderam alguns contratos. 

O que é o cancelamento? 

Para entendermos melhor sobre a cultura do cancelamento, a Aventuras na História conversou com Pâmella Salles Santos, psicóloga da Telavita, clinica de consultas online e profissional na abordagem cognitiva-comportamental, assuntos ligados à dependência da internet e impactos do mundo digital. 

“A cultura do cancelamento me parece ser um retrato do desejo de estar em grupos que possuam alguma característica marcante. Muitas pessoas sentem uma grande necessidade de ser definido por um traço especial. Isso não necessariamente seria prejudicial quando representa de fato quem a pessoa é, no que ela acredita e gosta. Mas quando vai além, quando a pessoa assume uma “etiqueta” simplesmente para dar conta de uma necessidade de pertencimento. Esta pessoa provavelmente não avaliará os comportamentos daquele grupo de forma crítica," explica.

"Logo, são indivíduos que normalmente são muito reativos e qualquer estímulo é capaz de provocar uma resposta forte e dual: “sim ou não”, “gosto ou não gosto”. Estas pessoas podem ou não ser a maioria, mas enquanto grupo, se tem a sensação de gerar impacto nas redes sociais, por vezes, não respeitando as opiniões divergentes e não praticando uma autocrítica, o que é muito perigoso”, explicou Salles.

Contudo, Santos reitera que é importante considerar a influência que uma pessoa famosa tem e como suas atitudes podem reverberar hoje em dia: “Precisamos considerar que uma pessoa influente precisa compreender o impacto de suas declarações [...] Ela tem direito a ter opiniões, sendo famosa ou não, mas não podemos esquecer que o que você publica tem impactos no mundo e pode gerar prejuízos. Por isso, estar aberto ao diálogo é fundamental”.

De acordo com Pâmella, críticas são consequências da grande exposição, por isso, é importante estar ciente de seus atos como pessoa pública. “É importante considerar que, quanto mais nos expomos, mais abrimos nossa vida para a opinião e reação de outras pessoas. Estas reações podem ser tanto positivas quanto negativas. Então, até que ponto estamos realmente dispostos a ouvir a opinião do outro sobre a nossa própria opinião? Esta pergunta pode ser um norte para ajudar as pessoas compreenderem até onde vale a pena se expor e a partir de que ponto vale a pena manter privada experiências e opiniões”, finalizou Salles.

Pré-internet 

Antes do surgimento da internet, algumas personalidades tomaram atitudes extremamente insólitas e que hoje em dia são cada vez menos toleradas. Pensando nisso, separamos algumas pessoas famosas do passado que possivelmente seriam ‘canceladas’ se estivessem vivas atualmente.

Confira na lista abaixo.

1. Errol Flynn

Errol Flynn em 1940 / Crédito: Wikimedia Commons

 

O galã Errol Flynn fez fama na era de ouro de Hollywood. Conhecido por seu papel em As Aventuras de Robin Hood (1938), o ator foi uma persona com atitudes duvidosas e alguns de seus atos hoje em dia não seriam perdoados.

Para os seus amigos, o homem afirmou já havia dormido com mais de 12 mil mulheres, além de já ter se relacionado com uma menor de idade. Apesar do comportamento polêmico, o homem só começou a encontrar dificuldades para novos papéis quando sua aparência mudou, após o uso excessivo de substâncias ilícitas, quando seu aspecto de galã já havia se perdido.

2. Marlon Brando

Marlon Brando / Crédito: Getty Images

 

Apesar da atitude admirável após ter se recusado participar da cerimônia do Oscar, depois de fazer uma denúncia sobre a falta de representatividade das comunidades indígenas no cinema, Marlon Brando, também já se envolveu em polêmicas, que hoje em dia, talvez não passassem desapercebidas pela internet.

De acordo com o livro Marlon Brando: The Only Contender (1985), o homem conhecido por ser um sex symbol de Hollywood, se definia como uma besta sexual: “Você deve saber que estou louco e que sou viciado em sexo”, dizia Marlon quando contratava uma nova secretária, como conta a reportagem publicada em 12 de março de 2018, pelo jornal El País.

3. John Wayne

Fotografia de John Wayne / Crédito: Getty Images

 

Em 1971, o protagonista de diversos filmes de cowboy norte-americanos, John Wayne, deu uma entrevista polêmica para a revista Playboy. Na ocasião, o ator proferiu tristes declarações, chegando a dizer que acreditava na supremacia branca.

“Não podemos, de repente, nos ajoelhar e entregar tudo à liderança dos negros [...] Não me sinto culpado pelo fato de que cinco ou dez gerações atrás essas pessoas eram escravas”, afirmou o ator na época. Todavia, o passado do artista não foi esquecido. 

Entretanto, os atos do intérprete foram questionados recentemente quando explodiu uma campanha para que o nome de Wayne fosse retirado de um aeroporto da Califórnia — que agora é chamado de Aeroporto de Orange County. 


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W