Matérias » Brasil

ARENA: os partidos que se denominaram alianças na História do Brasil

Por mais que muitos acreditem que o termo é recente, a aliança surgiu para dar sustentação à ditadura militar brasileira

Redação Publicado em 18/11/2019, às 16h07

Convenção do partido do governo ocorrido em 1978, no Congresso Nacional de Brasília
Convenção do partido do governo ocorrido em 1978, no Congresso Nacional de Brasília - Fundação Getúlio Vargas

A ARENA foi um partido político que ganhou vida durante o Regime Militar, associando as ideologias políticas associadas à direita conservadora que tomou o poder de João Goulart nos anos 1960. Como aliança, juntou grupos políticos diferentes, mas tinha como fio condutor o anticomunismo, a Doutrina de Segurança Nacional, o apelo pró-EUA, o conservadorismo e o nacionalismo militar.

A noção de aliança é consideravelmente esparsa, mas é consideravelmente comum na direita conservadora (com uma exceção na esquerda radical). Uma relevante referência é o próprio Partido Aliança, da direita personalista em Portugal. Uma aliança é uma unidade entre correntes com matrizes próximas que possuem um compromisso em comum.

Bandeira da ARENA / Crédito: Wikimedia Commons

 

Também é relevante citar que a aliança possui uma conotação religiosa, dependendo de quem usa. Isso porque, numa visão bíblica, a aliança original ocorreu entre deus e os homens, e a noção de Aliança é central na busca pela fé cristã. Nessa lógica, enquanto houver a aliança, haverá estabilidade no Reino de Deus e os homens serão felizes.

Conheça as alianças que já existiram no Brasil.

Aliança Liberal

A Aliança Liberal foi um pacto político criado em 1929 (e que, no final, durou apenas um ano, dado que o Brasil passou por um processo revolucionário em 1930). Visando o processo eleitoral que ocorreria para a sucessão do presidente Washington Luís, a Aliança Liberal reuniu grupos políticos de diversos lugares do Brasil, principalmente Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Na eleição, foi representada por Getúlio Vargas e João Pessoa, perdendo para a fraude eleitoral do Partido Republicano Paulista.

Aliança Nacional Libertadora

Panfleto de Comíssio da ANL / Crédito: Domínio Público

 

Durante a década de 1930, muitos partidos pelo mundo foram criados em nome da defesa de ideais fascistas, é o caso da Ação Integralista Brasileira. Diante desse cenário, e com uma nova constituição democrática em voga, comunistas, tenentistas e intelectuais fundam, em 1934, a Aliança Nacional Libertadora, uma unidade política de esquerda guiada por ideais anti-imperialistas, antifascistas e anticorrupção. A aliança teve apoio do PCB e seu lema era "Pão, Terra e Liberdade".

ARENA

Depois do Golpe Militar de 1964, o governo precisava fundamentar a estrutura política do regime, dando início a uma série de atos institucionais. O segundo deles (AI-2) declarou o bipartidarismo no país, um governista (ARENA), e uma oposição controlada (MDB). A ARENA (Aliança Renovadora Nacional) unificou as diversas correntes alinhadas ao Golpe, desde a linha dura até os oportunistas, e fundamentou um grupo político comandado pelo Alto Escalão do Exército.


Saiba mais sobre a ALiança Renovadora Nacional pelas obras abaixo:

1. Partido Político Ou Bode Expiatório: Um Estudo Sobre A Aliança Renovadora Nacional – Arena (1965-1979) - https://amzn.to/35cBzFt

2. The Military and Political in Authoritarian Brazil: The Aliança Renovadora Nacional (ARENA) - https://amzn.to/2rVqsCE

3. Box Coleção Ditadura - https://amzn.to/32U3wAp

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.