Matérias » Egito Antigo

8 coisas que você provavelmente não sabia sobre Tutancâmon

Os objetos no sarcófago do faraó, encontrados pelo arqueólogo Howard Carter, contam mais do que podemos imaginar

Joseane Pereira Publicado em 29/11/2019, às 07h00

Tutancâmon, o faraó menino
Tutancâmon, o faraó menino - Getty Images

Em novembro de 1922, quando Howard Carter encontrou a tumba intacta de Tutancâmon, sua fama se espalhou pelo mundo. Entretanto, existem informações sobre o faraó menino com as quais poucas pessoas tiveram contato. Confira abaixo!  

8. O faraó foi enterrado em um caixão de segunda mão

Durante o enterramento de Tutancâmon, ele foi aninhado em três caixões dourados, como um conjunto de bonecas russas. Infelizmente, um dos caixões se mostrou grande demais, e seus dedos dos pés escaparam para fora do sarcófago – sendo cortado para que a cova pudesse ser fechada.

Egiptólogos acreditam que esse caixão, com rosto ligeiramente diferente dos demais, tenha sido feito para o possível antecessor de Tutancâmon, o misterioso Neferneferuaten, cujas informações são escassas.

7. Seu verdadeiro nome não era Tutancâmon

Túmulo sendo explorado / Crédito: Getty Images

 

O faraó foi originalmente chamado Tutancáten, que significa "imagem viva de Aton”. Após permanecer alguns anos no trono, o jovem rei mudou de religião, abandonando o deus Aton cultuado por seus pais e começando a adorar o deus Amon. Com isso, seu nome se tornou o que conhecemos hoje, ou seja, "imagem viva de Amon".

6. Sua tumba era a menor do Vale dos Reis

Os túmulos do Vale dos Reis foram construídos bem depois da onda de pirâmides gigantescas propagada pelos primeiros faraós. Com portas discretas, eles foram produzidos na época do Novo Reino (1550-1069 a.C.), sendo espaçosos e bem decorados por dentro.

Entretanto, a tumba onde Tutancâmon foi enterrado não foi aquela onde ele provavelmente gostaria de estar: no Western Valley, onde seu avô, Amenhotep III, foi sepultado. Provavelmente, ele teria morrido jovem demais para que sua tumba fosse terminada. Outra hipótese é a de que seu túmulo seja bem maior do que imaginamos, e ainda tenha compartimentos não descobertos.

5. Uma de suas posses favoritas era uma adaga de ferro

Adagas encontradas / Crédito: Alamy Stock Photo

 

Durante o reinado de Tutancâmon, o ferro era um metal muito raro e precioso. Obtido de meteoritos, ele era conhecido como “ferro do céu”, e foi descoberto no formato de uma pequena adaga em seu sarcófago.

Outros objetos de ferro também foram encontrados no túmulo: 16 lâminas em miniatura, um apoio de cabeça e um amuleto, provavelmente feitas por artesãos locais, que não eram tão bem trabalhadas como a adaga.

4. Tutacâmon adorava caçar avestruzes

Caption

 

Outro objeto curioso é um leque feito de penas. Embora as 42 penas que o leque sustentava tenham se deteriorado aos poucos, hieróglifos na haste contam sua história: as penas foram retiradas de avestruzes capturadas pelo próprio rei durante caçadas no deserto.

Duas cenas também estão gravadas no objeto: em uma, Tutancâmon parte em sua carruagem para caçar avestruzes. Em outra, o rei volta triunfante as presas.

3. O coração do faraó está ausente

No processo de mumificação egípcia, os órgãos internos precisavam ser removidos. O cérebro era jogado fora por ter função desconhecida – mas o coração, considerado o órgão do raciocínio, deveria ser cuidadosamente preservado.

Acontece que o coração de nosso faraó não foi encontrado. Ao invés disso, em seu lugar estava presente um escaravelho contendo um feitiço funerário. Isso provavelmente significa que ele faleceu longe de casa, e quando seu corpo chegou aos agentes funerários, o órgão estava deteriorado demais para ser preservado.

2. Tutancâmon foi enterrado no caixão mais caro do mundo

Dois dos três caixões onde ele foi enterrado eram feitos de madeira e cobertos com lençóis de ouro. Entretanto, para surpresa de Howard Carter, o caixão mais interno era feito com grossas folhas de ouro batido. Medindo 1,88 m de comprimento e pesando 110 kg, o objeto valeria mais de 5 milhões de reais caso fosse comercializado nos dias atuais.

1. Seus instrumentos musicais foram ouvidos por mais de 100 milhões de pessoas

Entre os vários objetos no túmulo de Tutancâmon, estava uma pequena coleção de instrumentos musicais, como badalos de marfim, chocalhos e duas trombetas. Enquanto as trombetas seriam melhor classificadas como equipamento militar, os chocalhos e objetos de marfim tinham propósito ritual.

Mas isso não impediu que as duas trombetas fossem tocadas em uma transmissão de rádio ao vivo da BBC no Museu do Cairo, no ano de 1939, atingindo cerca de 150 milhões de ouvintes. Pessoas influenciadas pelo mito da Maldição de Tutancâmon alegaram que as trombetas tinham o poder de convocar a guerra. Curiosamente, após a transmissão de 1939, a Grã Bretanha ingressou na Segunda Guerra Mundial.


+ Saiba mais sobre o faraó Tutancâmon por meio das obras a seguir:

Tutancâmon e sua tumba cheia de tesouros, Michael Cox (2012) - https://amzn.to/2R1awcG

Tutancâmon: o último segredo: O último segredo, Christian Jacq (2009) - https://amzn.to/34uI2vx

A Maldição das Tumbas dos Faraós. Contos do Inesperado Desde a Época de Tutancâmon, Paul Harrison (2018) - https://amzn.to/35CCMpQ

O Grande Livro Dos Misterios Antigos, Nick Thorpe (2019) - https://amzn.to/2R6lCga

História do Egito Antigo, Nicolas Grimal (2012) - https://amzn.to/2XUuzL4

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com a BlackFriday e estarão disponíveis até 01/12/2019. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.