Matérias » Televisão

De Tonho da Lua até Nazaré Tedesco: 10 personagens que marcaram as novelas

Uns viraram memes, outros filmes, mas todos ficaram imortalizados na história do entretenimento brasileiro

Fabio Previdelli Publicado em 28/02/2020, às 09h00

Nazaré Tedesco, Renata Sorrah, Senhora do Destino (2004)
Nazaré Tedesco, Renata Sorrah, Senhora do Destino (2004) - Divulgação/Rede Globo

1. Odorico Paraguaçu, Paulo Gracindo, O Bem Amado (1973)

Criado pelo romancista Dias Gomes, Odorico Paraguassu é um icônico personagem da novela O Bem Amado, que foi exibida em 1973. Na trama, Odorico, que é vivido pelo ator Paulo Gracindo, é o prefeito da cidade de Sucupira que tem como grande objetivo de sua campanha a construção de um cemitério para os moradores da região.

Odorico Paraguaçu, Paulo Gracindo, O Bem Amado (1973) / Crédito: Divulgação

 

Retratando a corrupção entre os engravatados, que não possuem vergonha alguma de não cumprirem com suas promessas, o personagem foi adaptado do teatro para a televisão e se tornou um dos mais icônicos das telenovelas.


2. Dona Redonda, Wilza Carla, Saramandaia (1976)

Em maio de 1976, Saramandaia estreava na Rede Globo substituindo O Grito. Também criação de Dias Gomes, a trama era ambientada na zona canavieira de Pernambuco, mais especificamente no município de Bole-Bole.

Dona Redonda, Wilza Carla, Saramandaia (1976) / Crédito: Divulgação

 

Apesar de ter uma briga política como enredo, o que mais chamava a atenção na cidade eram as características exóticas de alguns personagens, como Aristóbulo Camargo, que virava lobisomem nas noites de lua cheia; Marcina, que provocava incêndios em tudo que tocava e a lendária Dona Redonda, que não conseguia parar de comer e, por isso, acabou explodindo em uma das cenas mais marcantes da televisão brasileira.


3. Tonho da Lua, Marcos Frota, Mulheres de Areia (1993)

Recentemente, Tonho da Lua voltou a ser muito comentado nas redes sociais por sua marcante personalidade conturbada. Na trama, ele sofre com diversos problemas psiquiátricos, é incapaz de manter um diálogo linear e tem extrema dificuldade para lidar com a dualidade do bem e do mal. Lembrando que o personagem ganhou notoriedade em 1993, fugindo de quaisquer sátiras contemporâneas.

Tonho da Lua, Marcos Frota, Mulheres de Areia (1993) / Crédito: Divulgação

 

Eternizado por Marcos Frota em Mulheres de Areia, o personagem teve sua primeira aparição na TV Tupi em 1973, onde foi interpretado por Gianfrancesco Guarnieri.


4. Odete Roitman, Beatriz Segall, Vale Tudo (1988)

Quem matou Odete Roitman? Essa pergunta intrigou todos aqueles que acompanhavam a novela Vale Tudo, exibida Rede Globo em 1988. Durante 11 capítulos, o destino da personagem interpretada por Beatriz Segall foi um dos assuntos mais comentados por todos os lugares.

Odete Roitman, Beatriz Segall, Vale Tudo (1988) / Crédito: Divulgação

 

Aliás, foi a partir dessa produção que os autores de novelas perceberam o quão benéfico poderia ser deixar uma pulga atrás da orelha do público, só revelando o suspense no fim da trama. Para se ter uma ideia do clima de tensão, foram gravadas cinco versões diferentes do desfecho da personagem e seu destino só foi realmente traçado no dia da exibição do episódio.


5. Tieta, Betty Faria, Tieta (1989)

Em 14 de agosto de 1989, estreava o primeiro episódio de Tieta. A novela, que era uma adaptação da obra homônima de Jorge Amado, se passava na cidade fictícia de Santana do Agreste, e narrava a história de uma jovem que foi expulsa de casa por seu comportamento considerado liberal demais.

Tieta, Betty Faria, Tieta (1989) / Crédito: Divulgação

 

25 anos depois, Tieta reaparece em sua cidade natal rica e decidida a se vingar de todos que a maltrataram, em especial de sua irmã Perpétua. A inesquecível personagem foi um marco na carreira de Betty Faria.


6. Sinhozinho Malta, Lima Duarte, Roque Santeiro (1985)

Mais uma produção de Dias Gomes, desta vez com a contribuição de Aguinaldo Silva, Roque Santeiro tinha como pano de fundo a critica contra a exploração política e comercial da fé popular.

Sinhozinho Malta, Lima Duarte, Roque Santeiro (1985) / Crédito: Divulgação

 

Após a suposta morte de Roque Santeiro, Sinhozinho Malta, interpretado por Lima Duarte, passa a se relacionar com a viúva Porcina. Entretanto, o retorno inesperado do personagem que dá nome a trama promete estremecer todos os moradores da cidade de Asa Branca.


7. Nazaré Tedesco, Renata Sorrah, Senhora do Destino (2004)

É impossível relembrar as grandes vilãs das novelas brasileiras e não citar a personagem de Renata Sorrah em Senhora do Destino. Capaz das mais diversas atrocidades, Nazaré Tedesco sequestra uma criança recém-nascida só para dar continuidade no seu plano de se casar com seu amante José Carlos e, assim, mudar de vida.

Nazaré Tedesco, Renata Sorrah, Senhora do Destino (2004) / Crédito: Divulgação

 

Profundamente traumatizada com o roubo da filha, Maria do Carmo passa toda a trama em busca de sua progênita. Marcada por uma arrogância única e uma risada capaz de assombrar a todos, Nazaré se tornou uma das maiores antagonistas da história das novelas.


8. Sasá Mutema, Lima Duarte, O Salvador da Pátria (1989)

Quatro anos após dar vida a Sinhozinho Malta, Lima Duarte marca novamente a história da televisão brasileira ao dar vida ao matuto Sassá Mutema na novela O Salvador da Pátria. Usado para abafar os boatos de um relacionamento extraconjugal do deputado federal Severo Toledo Blanco, Mutema entra em uma sinuca de bico após a morte da amante do deputado e do radialista que investigava o caso.

Sasá Mutema, Lima Duarte, O Salvador da Pátria (1989) / Crédito: Divulgação

 

Acusado de assassinato, Sassá consegue provar sua inocência e passa a ser bastante popular por conta disso — principalmente depois que descobrem que o radialista era um corrupto. Assim, acaba se tornando prefeito da cidade fictícia de Tangará.


9. Dona Armênia, Aracy Balabanian, Sainha da Sucata (1990)

Ambientada em São Paulo, a novela de 1990 retratava o contraste dos chamados novos-ricos e a decadência da elite paulistana. Entretanto, a novela de Jorge Fernando ficou marcada pela característica singular de uma de suas personagens secundária: Dona Armênia.

Dona Armênia, Aracy Balabanian, Sainha da Sucata (1990) / Crédito: Divulgação

 

Mãe de três marmanjos, a cômica Armênia Giovanni, interpretada por Aracy Balabanian, ficou lembrada pela maneira arrastada de falar — devido a seu sotaque armênio — que rendia boas gargalhadas todas a vez que ela se referia a suas crias como “minhas filhinhas” ou soltava seu famoso bordão "Vou botar essa prédio na chon!".


10. Crô, Marcelo Serrado, Fina Estampa (2011)

Mordomo de Tereza Cristina, Crodoaldo Valério, ou Crô para os íntimos, era um dos alívios cômicos da trama escrita por Aguinaldo Silva. Dono de bordões engraçados e marcantes, como "Ovulei!" e “Filha de Rá”, era certo que o personagem vivido por Marcelo Serrado arrancaria gargalhadas sempre que interagia com o motorista Baltazar ou com a empregada Marilda.

Crô, Marcelo Serrado, Fina Estampa (2011) / Crédito: Divulgação

 

O sucesso de Crô foi tão grande, que o personagem transcendeu as telenovelas e ganhou sua própria produção na indústria cinematográfica. Em 2013, o personagem estreou nas telonas atraindo mais 330 mil pessoas em seu primeiro final de semana de exibição.


++ Para saber mais sobre o assunto:

A Hollywood Brasileira: Panorama da Telenovela no Brasil, de Mauro Alencar (2002) - https://amzn.to/2I4p05S

Biografia da televisão brasileira, de Flávio Ricco e José Armando Vannucci (2017) - https://amzn.to/2I33IoX

101 atrações de TV que sintonizaram o Brasil, de Patrícia Kogut (Ebook) - https://amzn.to/2T6sZF0

Almanaque da telenovela brasileira, de Rodolfo Rodrigues (Ebook) - https://amzn.to/2TrzzFn

Prólogo, ato, epílogo: Memórias, de Fernanda Montenegro (2019) - https://amzn.to/2PAEbI6

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.