Matérias » Brasil

De vila a megalópole: Confira os principais pontos turísticos de SP

Com 467 anos, a cidade abriga grandes cartões postais que, em suas arquiteturas, guardam as mais diversas narrativas

Redação Publicado em 12/12/2021, às 09h00

Fotografia do Pátio do Colégio, em São Paulo
Fotografia do Pátio do Colégio, em São Paulo - edsonaoki/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

A maior cidade do Hemisfério Sul é um paradoxo em matéria de História. Fundada em 1554, São Paulo só perde para Salvador, de 1549, como a capital mais antiga do país. Todo o interior do Brasil seria fundado a partir de São Paulo, com os bandeirantes ignorando o Tratado de Tordesilhas e, para bem e para mal, clamando à coroa portuguesa do Mato Grosso do Sul até a Amazônia.

E, ainda assim, a cidade parece só ter nascido no século 19. São Paulo era uma minúscula capital de um território quase despovoado. Já quase desabitada no século 18, se tornou ainda menor com a descoberta do ouro em Minas — pelos próprios paulistas — com todo mundo se mudando para onde o dinheiro estava.

Isso só começou a mudar com um golpe de sorte: foi em São Paulo que dom Pedro I recebeu o ultimato para voltar para Portugal, em 7 de setembro de 1821. A capital provinciana se tornaria o epicentro da Independência. Pedro decidiu honrar a cidade com a primeira faculdade de direito do país, inaugurada em 1828. A partir daí, a elite intelectual do Brasil seria formada passando por São Paulo.

O estado de São Paulo se tornaria cada vez mais importante ao longo do século 19, com o ciclo do café. Mas a capital só ganharia o devido prestígio nas últimas décadas, com a produção do café mudando da mão de obra escrava, no Vale do Paraíba, para imigrantes livres no interior.

Isso colocaria a cidade estudantil no caminho de escoação da maior riqueza do país. E a partir daí se detonaria o ciclo de industrialização, enriquecimento e expansão, atraindo imigrantes do mundo todo, incluindo o resto do Brasil. Hoje, a cidade sozinha é responsável por 11,5% do Produto Interno Bruto do país.

1. Catacumbas da Catedral da Sé 

Fotografia das Catacumbas da Catedral da Sé / Crédito: Tatiana Sapateiro/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

O estilo neogótico engana, mas a Sé é recente. Feita por cima da catedral colonial, a igreja começou a ser construída em 1913 e só foi concluída em 1967. Em suas catacumbas, porém, estão algumas fi guras centrais da História do Brasil, como o cacique Tibiriçá, líder tupiniquim convertido por Anchieta que permitiu a fundação de São Paulo. Também o padre Bartolomeu de Gusmão, pioneiro inventor do balão.

Onde fica? Praça da Sé, S/N


2. Pátio do Colégio

Do local onde os padres José de Anchieta e Manoel da Nóbrega fundaram São Paulo só restou uma parede de taipa, preservada cuidadosamente atrás de um vidro. Os jesuítas foram expulsos do Brasil em 1759, vários prédios foram feitos por cima da igreja original, e o atual data de 1979, quando fi nalmente os franciscanosretornaram ao local. Além das funções religiosas, o prédio abriga o Museu Anchieta e uma cripta é aberta a visitações.

Onde fica? Largo Páteo do Colégio, 2


3. Casa da Imagem

Fotografia da Casa da Imagem / Crédito: Letícia Negresiolo Martins/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

O casarão data de 1880, mas o terreno já tinha pertencido a desde bandeirantes até padres e hoteleiros. São 85 mil fotografias retratando a radical mudança da cidade do século 19 até hoje. Faz parte do Museu da Cidade de São Paulo, que ocupa diversos outros prédios, incluindo o Solar da Marquesa.

Onde fica? Rua Roberto Simonsen, 136-B


4. Solar da Marquesa

Talvez tenha pesado na decisão de dom Pedro em elevar o status de São Paulo o fato de, na mesma viagem da Independência, ter encontrado quem parece ter sido o amor de sua vida — Domitila de Castro Canto e Melo, mais tarde agraciada por ele com o título de Marquesa de Santos. A casa, porém, é pós-romance: ela a comprou em 1834, após voltar para São Paulo durante o escandaloso relacionamento, que durou de 1822 a 1829.

Onde fica? Rua Roberto Simonsen, 136-B


5. Museu do Futebol

Uma das exposições no Museu do Futebol / Crédito: Mike Peel/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Debaixo de uma arquibancada no Estádio do Pacaembu, um museu hi-tech aborda tudo sobre o esporte nacional. De fotos dos jogadores a objetos de torcedores, gravações com gritos das torcidas e até algumas brincadeiras, como bater um pênalti ou jogar pebolim.

Onde fica? Praça Charles Miller, S/N


6. Edifícios Martinelli, Copan, Altino Arantes e Itália

O centro tem um pouco de tudo para os amantes de arquitetura. O imortal estilo do arranha-céu mais antigo da cidade (Martinelli, de 1929), as curvas de Niemeyer (Copan, 1961), o Empire State Paulistano (Altino Arantes, ou Banespa, 1947) e o ainda hoje impactante segundo maior prédio da cidade (Itália, 1965).

O Copan é residencial e não permite visitas, só dá para ver por fora. Curiosidade: o prédio mais alto de São Paulo não é nenhum destes, mas o não exatamente atraente Mirante do Vale, com 51 andares, no Anhangabaú.

Onde ficam? Martinelli (Rua São Bento, 405), Copan (Avenida Ipiranga, 200), Altino Arantes (Rua João Brícola, 24), Itália (Avenida Ipiranga, 344).


7. Masp

Fotografia do Masp / Crédito: Marcelo N. Valente/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Começando por pinturas de Picasso e Rembrandt, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) é uma instituição privada que hoje acumula mais de 8 mil obras. É considerado o melhor museu de arte de todo o Hemisfério Sul. A instituição data de 1947, mas o prédio em si foi criado em 1968 pela modernista Lina Bo Bardi.

Onde fica? Avenida Paulista, 1578


8. Cemitério da Consolação

Inaugurado em 1858, foi o primeiro cemitério público da cidade e contém os jazigos de vários pilares intelectuais da cidade. O discreto jazigo de Monteiro Lobato compartilha o espaço com o extravagante mausoléu do conde Francisco Matarazzo. Também lá: Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Mário de Andrade e a Marquesa de Santos.

Onde fica? Rua da Consolação, 1660


9. Pinacoteca do Estado

Fotografia da Pinacoteça / Crédito: Wilfredor/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

O impressionante edifício foi erguido em 1900 para abrigar o Liceu de Artes e Ofícios, uma escola técnica. Em 1900, ganhou uma segunda função: o primeiro museu de arte da cidade, que tinha então 26 quadros. Hoje somam quase 10 mil, tornando a Pinacoteca um dos mais importantes museus da cidade.

Onde fica? Praça da Luz, 2


10. Memorial da Resistência

A construção infamemente atuou, entre 1940 e 1983, como sede do Departamento Estadual de Ordem Política e Social de São Paulo (Deops), onde foram presas e torturadas e ocasionalmente mortas as vítimas da ditadura militar, caso do jornalista Vladimir Herzog. Hoje parte da Pinacoteca, abriga exposições e réplicas dos cárceres.

Onde fica? Largo General Osório, 66


11. Museu Histórico da Imigração de São Paulo

Fotografia do Museu da Imigração / Crédito: Alessandro Ramos Pinto/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Na década de 1920, São Paulo tinha quatro imigrantes para cada nativo. Essa maré humana passava pela Hospedaria dos Imigrantes, fundada em 1887, até acertar os papéis e decidir por um lugar para morar e trabalhar. Hoje ela é um museu, reproduzindo as condições menos que ideais dessa chegada.

Onde fica? Rua Visconde de Parnaíba, 1316


12. Memorial às bandeiras e Obelisco de 1932

Os monumentos ao lado do Parque do Ibirapuera relembram dois momentos cruciais da História da cidade. As já citadas bandeiras e a Revolução Constitucionalista de 1932, uma guerra civil declarada pelo estado contra o governo Vargas. No obelisco encontram-se os restos de 800 combatentes que perderam a vida na malfadada revolução.

Onde fica? Avenida Pedro Álvares Cabral


13. Museu do Ipiranga

Fotografia do Museu do Ipiranga / Crédito: Webysther/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

 

Localizado próximo do local onde dom Pedro I proclamou a Independência do Brasil, o Museu Paulista, da Universidade de São Paulo, está fechado para obras de restauro até 2020. A obra mais importante do seu acervo é o quadro 'Independência ou Morte', de Pedro Américo.

Onde fica? Rua Brigadeiro Jordão, 149