Matérias » Música

Drogas, nudez e gastos exorbitantes: As insanas festas de Freddie Mercury

Repletos de excentricidades, o líder do Queen fazia questão de promover eventos privados com orçamentos milionários

Wallacy Ferrari Publicado em 06/06/2020, às 08h00

Trecho do clipe “Living On My Own”, com Freddie Mercury em uma de suas festas
Trecho do clipe “Living On My Own”, com Freddie Mercury em uma de suas festas - Divulgação / YouTube

Com um alcance vocal imenso e uma presença de palco inconfundível, o extravagante Freddie Mercury sabia animar uma plateia como ninguém. Em seus lendários concertos no Rock In Rio e no Live Aid, mobilizou centenas de milhares de fãs em um só coro, transformando as apresentações em símbolos do rock.

Sua animação nos clipes também somava em sua personalidade expressiva e intensa, com roupas cuidadosamente selecionadas e confeccionadas para ocasiões únicas. Uma dessas ocasiões eram as quiméricas festas organizadas pelo líder do Queen; repletas de excentricidades eram realizadas com orçamentos gigantes e com convidados do mundo inteiro.

Em ocasiões como o aniversário do músico ou os lançamentos de seus álbuns já serviam de pretexto para Freddie organizar uma grande algazarra com alguma ideia que sua mente fértil conseguiu imaginar. E se por um lado, o cantor fosse um mestre em agradar multidões, por outro, o mesmo tinha o mesmo cuidado generoso para proporcionar momentos únicos aos amigos.

Freddie em seu aniversário de 39 anos, na festa realizada em Munique / Crédito: Divulgação

 

Um cabaré milionário

Na noite do Halloween em 1978, Freddie aproveitou o lançamento do álbum ‘Jazz’ para agendar um evento no Hotel Fairmont, em Nova Orleans, EUA. Com aproximadamente 500 convidados, a festa teve um custo de 200 mil de euros contando as atrações, funcionários, atividades e prejuízos causados no saguão.

Em uma explosão de cores, o ambiente era composto por contorcionistas, mágicos, engolidores de fogo e muitas pessoas transexuais em trajes mínimos. Para deixar o ambiente ainda mais familiar, o músico orientou sua equipe a acolher moradores de rua na festa, servindo os mesmos sem distinção.

Um dos moradores, apresentado a Freddie, contribuiu com a zona; mostrou uma técnica de arrancar cabeças de galinhas vivas com os dentes. De acordo com a NME, o músico não apenas adorou, como providenciou galinhas para a atividade recreativa.

Freddie mantinha o assistente pessoal ao lado para suprir as necessidades do evento / Crédito: Divulgação

 

Comida de primeira

Testemunhadas pelos amigos e companheiros de banda, as bizarrices contrastavam com a classe do buffet, que era repleto de frutos do mar selecionados. Em uma das mesas, haviam ostras, lagostas e caviar, além da reposição constante de bebidas alcoólicas importadas. Um dos boatos da festa, negado por seu assistente pessoal Peter Freestone, era de que anões circulavam pelos corredores com bandeiras de cocaína na cabeça.

“É uma lenda do rock ‘n’ roll, mas nunca teve anões andando pela festa com tigelas de cocaína na cabeça”, afirmou Peter.

No aniversário de 39 anos, o músico foi criativo com a temática, orientando todos os convidados a irem com roupas do sexo oposto, desde que só tivessem peças das cores preta e branca. Realizada em Munique, na Alemanha, alguns amigos especiais tiveram voos pagos privados pagos por Freddie, repletos de champanhe.

Algumas das imagens captadas na festa foram usadas no clipe “Living On My Own”, de 1985, com Freddie vestido de Arlequim. Contando com um labirinto e um bolo de quatro andares, o evento foi marcado pelo calor humano; de acordo com o amigo David Wigg, a calça do músico era feita com diamantes, mas não durou muito tempo em seu corpo. Após o fim da gravação, o evento prosseguiu com ainda mais ousadia: “Foi uma festa bem sexy”, disse Wigg.


+Saiba mais sobre música por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Freddie Mercury: A biografia definitiva, de Lesley-Ann Jones (2013) - https://amzn.to/3eBbAgu

Como Ouvir e Entender Música, de Aaron Copland (2017) - https://amzn.to/3c8V7ht

Falando de música, de Leandro Oliveira (2020) - https://amzn.to/2xkz6O5

Uma breve história da música, de Roy Bennett (1986) - https://amzn.to/3a35ylg

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W