Matérias » Peru

Depois de 6 meses, Machu Picchu é aberta para único turista

O japonês Jieshii Katayama chegou a curtir o carnaval brasileiro e conhecer a Bolívia antes de ficar preso no Peru

Wallacy Ferrari Publicado em 13/10/2020, às 10h04

Jieshii Katayama posa em Machu Picchu após visita
Jieshii Katayama posa em Machu Picchu após visita - Divulgação

Após sete meses fechado, o sítio arqueológico de Machu Picchu foi reaberto para apenas um turista em específico, autorizado em caráter especial pelo governo do Peru; o japonês Jieshii Katayama, 26, que ficou preso no país durante o início da pandemia de covid-19 enquanto realizava uma excursão por diversos países sul-americanos.

O ingresso havia sido comprado com antecedência e estava com o uso previsto para 16 de março, data que o parque foi fechado pela crise sanitária. Antes do Peru, o rapaz ainda passou no Brasil durante o carnaval e visitou a Bolívia, porém, ficou preso na cidade inca com o fechamento de aeroportos.

Ingresso comprado por Jieshii para visitar Machu Picchu / Crédito: Divulgação

 

Durante os meses na cidade, ficou famoso como "o último turista de Machu Picchu" pela imprensa local, mas aproveitou para ministrar aulas de artes marciais e meditação, além de conhecer outros pontos ao redor do sítio. O pedido para conhecer o local foi feito diretamente ao Ministro de Cultura do Peru, Alejandro Neyra, que decidiu fazer assim que o garoto pudesse retornar ao país asiático.

Juntamente de um guia, o Jieshii conseguiu conhecer a estrutura com uma recepção exclusiva, sendo agradecido pela paciência e adaptação na comunidade local. Segundo o ministro, Machu Picchu tem previsão de reabertura apenas para novembro, respeitando a capacidade de 30% do público, o que corresponde a 675 pessoas por dia.