Matérias » Personagem

Dona de casa e espiã: a saga de Odette Churchill durante a Segunda Guerra

Após enfrentar o campo de concentração de Ravensbrück, a francesa tornou-se a combatente mais condecorada deste período

Victória Gearini Publicado em 05/01/2021, às 18h33

Odette Sansom, a espiã francesa
Odette Sansom, a espiã francesa - Wikimedia Commons

Cada vez mais é comum ouvir relatos de participações femininas em conflitos internacionais. Ao longo dos séculos, as mulheres desempenharam importantes funções em guerras, mas, infelizmente, suas histórias foram apagadas ou esquecidas por outras gerações ao longo do tempo. Este foi o caso de Odette Sansom, a espiã francesa mais condecorada da Segunda Guerra Mundial.

A memorável trajetória de Odette Sansom foi descrita na obra Nome de Código Lise, de Larry Loftis. O autor descobriu a história da combatente por meio do livro História do Coronel Henri, memórias do agente secreto da Alemanha, Hugo Bleicher, que atuou contra a Resistência Francesa.

De acordo com o escritor, o soldado teria descoberto a existência de Odette enquanto investigava uma rede de espionagem na França. 

Conforme apontam as documentações históricas, a espiã era mãe de três filhas e uma dona de casa acima de qualquer suspeita. No entanto, a mulher era, na verdade, uma assassina altamente treinada, conhecida pelo codinome Lise.

A combatente foi condecorada, ainda, pela Ordem do Império Britânico, pela Ordem Nacional da Legião de Honra, pela Cruz de Jorge, entre outras entidades. 

Odette Sansom, a combatente mais condecorada da Segunda Guerra Mundial / Crédito: Divulgação / Youtube / TODAY

 

A resistência

Em 1942, a espiã ingressou como mensageira da Resistência Francesa. Nesta mesma época, conheceu o capitão Peter Churchill, com quem viveu um relacionamento amoroso.

No entanto, mais tarde, foram traídos por um agente e presos por Hugo Bleicher. Enquanto o companheiro tentou driblar as investigações, a integrante do SOE (Executivo de Operações Especiais) assumiu, bravamente, ser a líder da rede. 

Odette ao lado de Peter Churchill / Crédito: Divulgação / Youtube / British Pathé

 

Ao longo dos 14 brutais interrogatórios da Gestapo, Odette resistiu às torturas e enfureceu os nazistas ao não entregar nenhum de seus companheiros. Sem obter respostas, os alemães a enviaram para o campo de concentração de Ravensbrück.

Alocada numa cela insalubre, a prisioneira sofreu de desinteria e escorbuto e acabou perdendo o cabelo e os dentes. Durante três meses e oito dias, seu corpo definhou, até que sucumbiu a um estado de semi-coma, mas foi reanimada pelos médicos. 

Não se sabe ao certo como Odette conseguiu sobreviver, mas segundo Larry Loftis, o sobrenome Churchill — herdado de seu companheiro — levou os nazistas a acreditarem que a espiã era parente de Winston Churchill.

No entanto, nem a francesa, nem Peter, possuíam parentesco com o primeiro-ministro da Inglaterra.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, Odette separou-se de Peter Churchill e casou-se com Geoffrey Hallowes. Infelizmente, a combatente mais condecorada do Holocausto veio a falecer em 1995, aos 82 anos.

Embora a história da espiã seja pouco conhecida, em 1950, um filme sobre sua vida (chamado Odette) foi lançado na Inglaterra e nos Estados Unidos, sendo amplamente aclamado pela crítica da época, como aponta Larry Loftis.

“Questionei-me como era possível que quase ninguém tivesse conhecimento daquela mulher. Afinal, foi feito um filme sobre ela em 1950, ‘Odette’, estreado com grande aclamação em Inglaterra e nos Estados Unidos. Ao prosseguir com a pesquisa, encontrei mais um fato extraordinário: Odette era não só a mulher mais condecorada da Segunda Guerra Mundial, mas também o espião mais condecorado, fosse homem ou mulher”, escreveu o autor no prefácio de sua obra. 


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

Nome de Código Lise, de Larry Loftis (2019) - https://amzn.to/2XaqliS

Box Memórias da Segunda Guerra Mundial, de Winston Churchill (2019) - https://amzn.to/2JWtKex

A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor (2015) - https://amzn.to/2Rr2xFa

A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, de Martin Gilbert (2014) - https://amzn.to/34DnO3T

Os mitos da Segunda Guerra Mundial, de Vários Autores (2020) - https://amzn.to/2VdiMXa

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial, de Keith Lowe (2017) - https://amzn.to/2RqF32D

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W