Matérias » Família Real Britânica

Dos encontros 'secretos' ao rompimento real: a saga de Harry e Meghan Markle

Durante quatro meses, o casal apaixonado conseguiu manter o relacionamento em segredo. Desde então, o holofote tem ficado entre eles

Larissa Lopes, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 06/03/2021, às 00h00

Meghan Markle e Harry estão casados desde 2018
Meghan Markle e Harry estão casados desde 2018 - Getty Images

A família real britânica, simbolizada pela soberana Rainha Elizabeth II, de 94 anos, abriga, além de todos os burburinhos, casais apaixonados de tirar o fôlego. O primeiro e mais famoso é Elizabeth e seu Príncipe Philip — relacionamento mais duradouro.

Depois, William e Kate Middleton, que se uniram oficialmente em 29 de abril de 2011. Por fim, a história mais recente de amor na realeza é a de Harry e Meghan Markle. O casal, que sempre parece muito unido em frente às câmeras, formou-se de um jeito inesperado.

Acontece que a norte-americana Rachel Meghan Markle — mais conhecida como Meghan Markle —, vivia uma carreira de atriz antes de se casar com o ‘príncipe encantado’. A escolha pela carreira teve influência de seus pais, já que eles se conheceram em um set de filmagem.

De 2011 a 2017, a atriz interpretou a personagem Rachel Zane na série de TV ‘Suits’, pelo período de sete temporadas. No meio de seus trabalhos como atriz, a americana arranjava tempo para sair e curtir a vida.

Meghan desistiu da carreira de atriz para se casar com Harry / Crédito: Wikimedia Commons

 

Certa vez, uma pessoa — que nunca fora revelada a identidade — decidiu apresentar Meghan ao Príncipe Harry, o que fora confirmado pelo ex-duque de Sussex à BBC depois do anúncio de noivado.

Não se sabe o motivo pelo qual a pessoa tenha imaginado isso, mas com certeza enxergou que os dois se dariam bem. Alguns tabloides apostam que a responsável foi Violet von Westenholz, a diretora de relações públicas da marca Ralph Lauren, ou então a estilista Misha Nonoo. Em matéria de 2020, a revista Vogue repercutiu como tudo aconteceu.

Era uma noite agradável em Londres, no início do mês de julho, em 2016. Meghan estava indo para um encontro às cegas — supostamente organizado por esse cupido desconhecido — no Dean Street Townhouse, um restaurante e hotel da capital da Inglaterra.

Mal sabia ela que conheceria de perto o Príncipe Harry, nessa espécie de “Tinder da vida real”. De acordo com a revista Vogue, Harry ficou surpreso com o encontro: "Fiquei lindamente surpreso quando entrei naquele quarto e a vi. Eu estava tipo, ok, eu realmente vou ter que melhorar meu jogo".

Meghan, teve a preocupação inicial de não saber se Harry fazia parte do estereótipo real de ‘chato de galocha’. 

“Eu não sabia muito sobre ele, então o único ponto que perguntei [à nossa amiga em comum], quando ela disse que gostaria de nos juntar, foi: ‘Ele é legal?’. Porque, se não fosse gentil, simplesmente não parecia fazer sentido”, disse ela à BBC, em fala repercutida pelo Metrópoles.

Fotografia do príncipe Harry / Crédito: Wikimedia Commons

 

Logo no primeiro encontro, os pombinhos teriam combinado de se encontrar novamente no dia seguinte. Mas a temporada de ‘dates’ não parou por aí: quatro semanas depois, Harry teve a ideia de viajar com a amada para Botsuana, na África.

A ideia era que eles pudessem namorar longe dos holofotes, mas também para viverem a experiência de acampar sob as estrelas. “Foi absolutamente fantástico”, revelou o filho de Lady Di.

Assim, concretizava-se o namoro ultrassecreto de um futuro duque com uma atriz americana. Eles permaneceram assim por quatro meses, segundo a Vogue. Pareciam viver um sonho intocável enquanto visitavam a Soho Farmhouse, em Oxfordshire, Inglaterra, ou quando passeavam pelo Palácio de Kensington.

O príncipe foi até visitar a amada em Toronto, Canadá, no período em que ela estava filmando a série ‘Suits’ na cidade. Para a Vogue, eles não chegavam a passar duas semanas sem se ver pessoalmente.

A partir dos encontros frequentes, era possível identificar pequenos sinais do relacionamento nas redes sociais de Markle. No mesmo mês em que se conheceram, ela postou a foto de um buquê de peônias, em sua conta oficial no Instagram, com a legenda “#London”.

Príncipe Harry e Meghan Markle / Crédito: Getty Images

 

Já em outubro do mesmo ano, Meghan publicou uma foto em que estava usando o bracelete de miçangas na cor azul, igual ao de Harry. A essa altura, o jornal britânico The Express se preparava para colocar tudo na boca do trombone.

“O prazer de Sua Majestade: príncipe Harry namora secretamente a estrela de TV americana Meghan Markle”, era o que dizia a manchete do tabloide, na data de 31 de outubro de 2016.

Na ocasião, uma fonte anônima revelou em detalhes: "Harry estava desesperado para manter o relacionamento em segredo porque ele não queria assustar Meghan. É muito cedo para dizer se o relacionamento irá se transformar em algo a longo prazo, mas quem sabe? No momento, eles estão apenas dando um passo de cada vez e vendo como as coisas se desenvolvem”.

A partir de então, a relação entre Harry e Meghan ganhou apoiadores e também os chamados ‘haters’, e muitos veículos, inclusive, fizeram uma cobertura racista em relação à atriz.

Meghan, Harry e Elizabeth durante evento no ano de 2018 / Crédito: Getty Images

 

Um ano depois, o casal anunciou o noivado nos jardins do Palácio de Kensington. E, em 19 de maio de 2018, uniram-se oficialmente em uma cerimônia que fora assistida pelo mundo inteiro.

Contudo, o que parecia ser 'perfeito' virou um pesadelo após uma decisão tomada pela dupla no último ano. Isso porque Harry e sua esposa não irão voltar para seus cargos ativos na Família Real.

Em nota publicada no mês passado, o Palácio de Buckingham informou: "Embora todos estejam tristes por sua decisão, o duque e a duquesa continuam sendo membros muito queridos da família".

Agora, sabe-se que com a decisão definitiva, o casal não poderá mais usar os títulos da nobreza, após uma conversa com a Rainha Elizabeth II, foi decidido que alguns títulos honorários serão devolvidos à realeza britânica.

As antigas nomeações e patrocínios de Harry e Meghan devem retornar para a rainha, que terá a responsabilidade de remanejar as antigas funções sociais do casal para membros ativos da Família Real.

++ Leia a matéria completa sobre o anúncio do Palácio aqui.


+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Almeida Vieira e Silva Renato (2015) - https://amzn.to/2xTkiGd

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7