Matérias » Arqueologia

Enigma egípcio: Estaria a múmia da rainha Nefertiti na tumba do faraó Tut?

A teoria foi levantada em 2015, perdeu força nos anos seguintes, e voltou à tona em 2020; entenda!

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 19/09/2021, às 09h00

Montagem mostrando tumba do rei Tut (à esq) e busto da rainha Nefertiti (à dir)
Montagem mostrando tumba do rei Tut (à esq) e busto da rainha Nefertiti (à dir) - Getty Images/ Wikimedia Commons

Egiptólogos estudam a localização da tumba da rainha Nerfertitihá décadas. O busto da governante egípcia, que foi descoberto em 1912, é uma das mais icônicas relíquias do Antigo Egito que sobreviveram até a atualidade.  

Dessa forma, em 2015, quando um estudo trouxe uma teoria de que a sepultura da soberana estaria no mesmo lugar onde foi encontrado o rei Tutâncamon, isso chamou a atenção de toda a comunidade científica. 

Conforme repercutido na época pelo The Guardian, o experimento que levantou a suspeita utilizou imagens infravermelhas para escanear o sepulcro do faraó menino, assim sendo capaz de mapear a temperatura das paredes do local.

O método revelou variações térmicas, o que poderia indicar a presença de uma outra câmera atrás da porção norte da sepultura de Tut.

Segundo indicado pelo arqueólogoNicholas Reeves na época, principal autor do estudo, haveria dois cômodos ainda inexplorados. Um deles consistiria em um depósito, enquanto o outro seria o tão almejado local de descanso de Nefertiti

As evidências

O pesquisador também argumentou que a tumba do jovem rei era pequena, assemelhando-se mais à antessala de uma câmara funerária, que a uma câmara funerária de fato. 

Para Reeves, a morte inesperada de Tutancâmon fez com que ele tivesse sido acomodado às pressas na sepultura de outra pessoa, uma vez que não havia dado tempo de ser construída uma só para ele. 

Outra evidência disso seria que, conforme acredita o egiptólogo, 80% dos artefatos encontrados com Tut seriam, na verdade, de outros líderes egípcios, ainda conforme o The Guardian.

Estátua encontrada na tumba de Tut que por vezes é atribuída a ele, e por vezes a Nefertiti / Crédito: Getty Images

 

Nefertiti, por sua vez, morreu apenas sete anos antes do faraó, o que tornaria seu túmulo um bom candidato para abrigar o jovem. Além disso, o arqueólogo defendeu que os murais que decoram a câmara do rei não representam a ele, e sim à rainha egípcia. 

Desdobramentos recentes

Uma outra pesquisa realizada em 2017, todavia, concluiu que não havia nenhuma sala secreta no local de repouso de Tutâncamon, fazendo com que a teoria de Reeves perdesse força. Mas não acabou aí. 

No início de 2020, porém, a hipótese foi revivida por novos experimentos realizados por uma equipe liderada por Mamdouh Eldamaty, o ex-ministro de Antiguidades do Egito. O caso foi repercutido pelo Publico. 

Usando um radar de penetração do solo, os pesquisadores afirmaram que, mais uma vez, foram encontradas evidências de que existe uma câmara funerária maior por trás do sepulcro de Tut

Fotografia de momento da descoberta do túmulo do Rei Tut / Crédito: Getty Images

 

Desta vez, inclusive, os cientistas foram capazes de indicar as dimensões do espaço que encontraram: teria dois metros de altura, e impressionantes dez metros de comprimento.

Nem todos, porém, foram convencidos pelos achados, de forma que a questão prossegue sendo controversa.

Parte da comunidade arqueológica acha que a tumba de Nefertiti pode ser achada a qualquer momento, onde estava enterrado Tutancâmon, e parte acredita que as técnicas que apontaram para a existência de salas secretas produziram resultados falsos. 

Sem dúvida, o fato é que o tópico voltou a ser discutido por egiptólogos, e talvez provas definitivas surjam eventualmente. Até lá, o assunto permanece um mistério. 


+Saiba mais sobre o Egito Antigo através de importantes obras disponíveis na Amazon:

O Egito Antigo, Ciro Flamarion Cardoso (1982)https://amzn.to/2mUip74

Religião e Magia no Antigo Egito, Rosalie David (2011) - https://amzn.to/2nT5Ngi

O Egito dos Grandes Faraós, Christian Jacq (2007) - https://amzn.to/2n35mjD

Egito Antigo, Sophie Desplancques (2009) - https://amzn.to/2oCfCjr

Tesouros do Egito, Francesco Tiradritti (2000) - https://amzn.to/2n34L1l

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du