Matérias » Biologia

Equidna, o curioso animal cujo pênis possui quatro cabeças

Pertencente a família dos ornitorrincos, até mesmo o fluxo de espermatozoides do animal chama atenção pela organização

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 20/06/2021, às 08h00

Fotografia mostra equidna em zoológico
Fotografia mostra equidna em zoológico - Wikimedia Commons/fir0002/flagstaffotos

Com fusões de répteis e mamíferos, os animais monotremados chamam atenção pela aparência diferente de todos os outros animais, com bicos longos e rígidos, além de serem os únicos mamíferos que botam ovos.

O ornitorrinco, eternizado pelo personagem Perry da série animada 'Phineas & Ferb', é o monotremado mais conhecido — porém, um parente próximo chama atenção por uma constituição corporal específica.

A equidna, que é subdividida em quatro espécies naturais da Austrália e Nova Guiné, como informa o portal Planeta, possui uma estranha característica envolvendo os órgãos sexuais dos machos, começando pelo fato de que seu pênis serve unicamente para a reprodução, nunca para urinar.

Os testículos também chamam atenção por não terem um saco escrotal o protegendo, sendo armazenado internamento assim como o pênis quando não está em uso em acasalamentos.

Quatro saídas

Invés de ter um corpo cavernoso e um esponjoso espaçando a uretra, a equidna apresenta um pênis distinto, com as estruturas separadas e tendo ramificações no principal vaso sanguíneo, que proporciona a ereção. Sendo assim, ele sai por completo do corpo do animal com surpreendentes quatro cabeças.

Porém, apesar das quatro saídas, apenas duas glandes são usadas simultaneamente, tendo o fluxo de sangue direcionado para os ramos desejados pelo próprio animal. Elas possuem o formato de roseta e se alternam pela melhor função desejada, visando posicionamento e conforto na hora da reprodução.

Fotografia do pênis da equidna macho, antes e depois da ereção / Crédito: Divulgação / Jane Fenelon

 

A descoberta foi concluída por pesquisadores de três universidades da Austrália — Melbourne, Queensland e Monash — que conseguiram acessar o animal para submeter aos estudos, reunindo as evidências dos exames em um artigo científico na revista Sexual Development.

Fenômeno interno

Além do formato, o estudo ainda verificou a eficácia da fecundação com o pênis multidirecional, observando como os espermatozoides atuavam.

Assim que o tubinho de alguma das glandes enche de sangue, sua rigidez permite com que ele fique aberto para a passagem do sêmen para a equidna fêmea receber.

Contudo, a ejaculação deste monotremado não contém quantidades inumeráveis de espermatozoides, mas cerca de 100 deles por liberação.

A grande diferença é que, ao invés de nadarem cada um por si, eles se organizam cooperativamente para todos chegaram em um ritmo único ao óvulo, mostrando eficiência na transmissão e possibilitando a fecundação.


+Saiba mais sobre o reino animal em grandes obras disponíveis na Amazon:

Animals: A Visual Encyclopedia, de DK Publishing (2012) - https://amzn.to/33TNk6r

Life Lessons from the Heart of Horses: How Horses Teach Us About Relationships and Healing, de Kathy Pike (2021) - https://amzn.to/31JdYMA

Animal Kingdom: A Collection of Portraits, de Randal Ford (2018) - https://amzn.to/33QdKWN

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W