Matérias » América do Sul

O guru e astrólogo que tentou ressuscitar o cadáver de Juan Domingo Péron

José López Rega, muito influente no governo de Juan, pensou que podia reanimar o presidente argentino de maneira incomum

Isabela Barreiros Publicado em 15/06/2020, às 11h25 - Atualizado às 11h26

O ex-presidente da Argentina Juan Domingo Péron
O ex-presidente da Argentina Juan Domingo Péron - Wikimedia Commons

Ao final de sua vida, a saúde do presidente e militar argentino Perón estava debilitando-se cada vez mais por conta de inúmeros problemas cardíacos e também pulmonares. Frequentemente, o político sofria com faltas de ar, mas foi em 1 de julho de 1974 que sua vida parecia chegar ao fim.

Após convulsões que causaram um alvoroço entre os presentes, ele murmurou “estou indo, estou indo embora”, caindo ao chão logo após a surpreendente fala. As tentativas de ressuscitação feitas pelos médicos não tiveram efeito. No entanto, outra pessoa ainda se esforçou para tentar trazer o presidente de volta à vida.

A linha do monitor cardíaco estava reta. Mas El Brujo, como era conhecido o astrólogo José López Rega, muito influente no governo de Perón, decidiu, rapidamente, tentar ressuscitar seu querido presidente, por mais impossível que isso pudesse parecer.

Evita e Juan Perón / Crédito: Wikimedia Commons

 

O esotérico então afastou, correndo, os médicos e foi até o corpo do político. “O general já morreu uma vez e eu o ressuscitei!”, gritou. Puxando as canelas do homem, caído no chão, ele fechou os olhos e clamou “meu faraó, não vá embora!”. Persistia, ainda dizendo “acorda, meu faraó”.

Como é possível imaginar, López Rega não conseguiu fazer com que seu general voltasse à vida. Os especialistas ficaram incrédulos com a bizarra cena. E Maria Estela Martínez de Perón, esposa do presidente, conhecida como “Isabelita”, estava em silêncio em um canto do quarto.

El Brujo, porém, não aceitou a derrota como sua. Culpou as outras pessoas que estavam na sala por seu fracasso, alegando que, ao ficarem observando de maneira atenta à cena, teriam prejudicado sua concentração, sendo assim incapaz de reanimar Juan Perón.

Isabelita e Juan Perón / Crédito: Getty Images

 

A viúva do presidente, então, tomou posse pouco tempo depois. Impopular na Argentina, o astrólogo também inventou outra “simpatia” para tentar torna-la mais apreciada pelo povo do país.

Foi assim que López Rega fez com que Isabelita deitasse em cima do caixão da falecida Evita Perón, a “Mãe dos Pobres”. Ele acreditava que se a ex-dançarina de cabaré ficasse próxima ao corpo do ícone do populismo argentino, talvez ela conseguisse adquirir as energias necessárias para tornar-se tão amada quanto a anterior esposa de Péron. Novamente, o esotérico fracassou em sua sobrenatural missão.


Saiba mais sobre o período dos Perón na Argentina por meio dos livros a seguir:

Eva Perón (edição de bolso), Alicia Dujovne Ortiz (2016) - https://amzn.to/33sUA5i

Perón: Una biografía (Spanish Edition), Joseph A. Page (2014) - https://amzn.to/33ui1eL

Evita: The Life of Eva Perón, Jill Hedges (2017) - https://amzn.to/2XUqhDm

Os Intelectuais e a Invenção do Peronismo. Estudos de Antropologia Social e Cultural, Federico Neiburg (1996) - https://amzn.to/2pZ8Vsy

Breve historia del peronismo clásico (Spanish Edition), Loris Zanatta (2012) - https://amzn.to/2q0of8p

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com a BlackFriday e estarão disponíveis até 01/12/2019. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.