Matérias » Egito Antigo

Evidências ajudam a explicar a construção da Grande Pirâmide de Gizé

Encontrados noa base da pirâmide, fragmentos em madeira são chave para desvendar a questão

Joseane Pereira Publicado em 09/05/2019, às 15h00

None
Reprodução

O fato de que a construção das pirâmides egípcias é de difícil explicação torna-se um prato cheio para teorias conspiratórias. Na época da construção da Grande Pirâmide de Gizé, em 2560 a.C., os egípcios não utilizavam locomoção com rodas para ajudar no encaixe de blocos com até 10 toneladas uns sobre os outros. E, ainda assim, a coisa foi feita, parou em pé e foi o mais alto prédio do mundo por muito tempo. Como, afinal, isso foi possível?

Uma descoberta arqueológica na base da Grande Pirâmide está abrindo caminho para o entendimento sobre sua construção anterior a 4.000 anos. Uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, essa pirâmide é a maior e mais antiga das três que compõem o complexo em El Giza, no Egito, construída durante mais de 20 anos a mando do faraó Khufu, que foi enterrado em seu interior.

Muitos têm se perguntado sobre como os antigos egípcios teriam conseguido transportar os mais de seis milhões de toneladas de blocos de pedra que compõem a estrutura. No entanto, um passo foi dado para a resolução dessa questão intrigante: arqueólogos egípcios encontraram, na base da pirâmide, várias vigas de madeira cuidadosamente desmontadas que formam os restos de uma embarcação.

Estruturas de madeira na base da pirâmide / Crédito: Reprodução

 

Marinheiros treinados

Uma característica do complexo de Gizé, e da maioria das pirâmides egípcias desse período, é a presença de toneladas de calcário de alta qualidade que envolvem as pirâmides, fornecendo maior estabilidade à construção. Encontrados por arqueólogos em 1954, esses vestígios de madeira que somente agora foram realmente analisados atestam o uso de uma frota de barcos especialmente construídos e marinheiros altamente treinados.

O egiptólogo Eissa Zidan, que supervisiona o projeto, acredita que esse barco em particular pode ter pertencido ao próprio faraó. "A datação dos vestígios encontrados atestam que o barco esteve lá no mesmo período de construção das pirâmides, nos fornecendo uma visão única sobre os navios utilizados naquela época, por volta de 2.600 a.C. Este é um projeto número um, não apenas no Egito, mas em todo o mundo".