Matérias » Economia

Família de Elon Musk tinha uma mina de esmeraldas ligada ao Apartheid? Entenda

Acusações sobre uma suposta origem rica do bilionário sul-africano voltou a ser disseminada pela web; Musk já se pronunciou sobre o boato

Wallacy Ferrari Publicado em 20/03/2022, às 09h00

Errol Musk e o filho Elon em montagem
Errol Musk e o filho Elon em montagem - Divulgação / Redes sociais

Uma polêmica reascendeu o Twitter durante a última semana após diversas alegações sobre a descendência de Elon Musk partir de uma família rica.

O empresário, que administra a Tesla, SpaceX e fundou o PayPal, atualmente ocupa o primeiro lugar no ranking de pessoas mais ricas do mundo, ostentando US$ 300 bilhões na fortuna, como estimou a Forbes.

Contudo, bem diferente de sua história disseminada, uma reportagem internacional de 2018 relacionou a origem do bilionário com a exploração mineral, afirmando que o pai de Elon, Errol Musk, administrou uma mina de esmeraldas na Zâmbia e destinou os fundos para sua fortuna na África do Sul, durante o período de Apartheid.

O período, implementado pelo Partido Nacional no país entre 1948 e 1994, foi conhecido pela segregação racial, favorecendo a elite branca ao excluir pretos de postos de trabalho e obrigando a exploração em empregos análogos à escravidão, como a mineração de pedras preciosas, fundamentais para a projeção financeira sul-africana.

O que diz Elon?

Na história do veículo que divulgou o suposto caso, Errol teria vendido um avião e usado o lucro obtido para adquirir metade de uma mina de esmeraldas, durante a década de 1980.

Com o valor obtido nas extrações, o padrão da família Musk se tornou luxuoso, favorecendo a formação acadêmica do jovem Elon com acesso a computadores, que na época eram raros.

Contudo, Elon nega a história completamente, a classificando como “inteiramente falsa” e acrescentando que nenhum familiar administrou alguma mina de esmeraldas. Em março de 2021, ele se pronunciou através de sua conta no Twitter.

De acordo com o bilionário, foi com seu dinheiro, obtido através de suas empresas, que os pais e o irmão se sustentam.

Cheguei sozinho no Canadá em 1989 com CA$2500 [dólares canadenses]. Paguei minha própria faculdade, terminando com U$100 mil em dívida estudantil. Comecei a 1ª empresa sem financiamento e apenas um computador que construí. Não há nenhuma evidência de uma mina de esmeralda”, explicou em Tweet.