Matérias » Personagem

A comovente trajetória de Frank Lentini: o artista com três pernas, 16 dedos e dois pênis

O homem que nasceu com um gêmeo parasitário superou todas as adversidades e se tronou um dos maiores artistas circenses de sua época

Fabio Previdelli Publicado em 08/12/2019, às 15h55

Frank Lentini: o artista com três pernas, 16 dedos e dois pênis
Frank Lentini: o artista com três pernas, 16 dedos e dois pênis - Creative Commons

Felizmente, o fascínio vintage pelos "shows de horrores" americanos foi esquecido entre os séculos 19 e 20. O público dos chamados Carnival se maravilhavam com os resultados bizarros da genética humana presentes nas damas barbadas, homens incrivelmente fortes, engolidores de espadas e pessoas bem pequenas.

Entretanto, é difícil entender exatamente como esses artistas conviviam como o fascínio mórbido das pessoas que pagavam para ver as mais diferentes “aberrações”, que além de ser um termo altamente pejorativo, também passava pouca informação honesta sobre a real situação dessas pessoas.

Este é o caso de Franceso "Frank" Lentini, o chamado Homem de Três Pernas, que ganhava a vida com sua rara condição de ter nascido com um gêmeo parasitário.

Nascido em maio de 1889 na Sicília, na Itália, Frank Lentini veio ao mundo com três pernas, quatro pés, 16 dedos e dois conjuntos de órgãos genitais. Sua perna extra se desenvolveu do lado do quadril direito com um quarto pé saindo do joelho. Sua condição foi o resultado de um segundo embrião que começou a se desenvolver no útero, mas no final não conseguiu se separar de seu gêmeo. Assim, um gêmeo passou a dominar o outro.

Aos quatro meses de idade, Lentini foi levado a um especialista sobre a possibilidade de amputar sua perna adicional, mas a ameaça de paralisia ou mesmo de morte impediu o médico de realizar o procedimento.

Ele ficou conhecido como "u maravigghiusu" ou "o maravilhoso" na Córsega. Mas outros apelidos mais cruéis como “o monstrinho” também o acompanhavam. Assim, a família de Lentini se viu obrigada a enviá-lo para morar com uma tia, com o intuito de evitar mais desgraças na vida do menino.

Frank Lentini quando criança / Crédito: Creative Commons

 

Em 1898, com apenas nove anos, Lentini fez uma longa e árdua viagem com seu pai para os Estados Unidos, onde lá se encontraram, em Boston, com um homem chamado Guiseppe Magnano, um showman profissional. Magnano estava na América há três anos viu nele uma figura em potencial para adicionar aos seus shows.

Em apenas um ano, em 1899, Francesco "Frank" Lentini foi listado como um dos principais artistas do mundialmente famoso circo dos Ringling Brothers.

A introdução de Lentini no circo

Lentini foi anunciado como "o siciliano de três pernas", "o único jogador de futebol de três pernas do mundo", "a maior maravilha médica de todos os tempos" ou, às vezes, apenas como "o grande Lentini".

Mas as proezas não ficavam só na sua alcunha, o jovem realizava tarefas com sua terceira perna, como chutar uma bola de futebol, pular uma corda, patinar e andar de bicicleta. Além de seu atletismo, Lentini também era perspicaz e engraçado.

Conhecido por dar entrevistas enquanto usava seu membro extra como um banco para se apoiar, ele respondia perguntas que iam do inocente curioso ao explícito: como seus hobbies ou os detalhes de sua vida sexual com uma perna extra. Assim, “O Homem de Três Pernas” foi capaz de dar respostas hilárias a algumas perguntas bastante intrusivas.

Quando perguntado, por exemplo, se era difícil comprar sapatos, o rapaz respondeu que ele comprava dois pares e dava o calçado extra “a um amigo que tinha uma perna só". Ele tinha um talento especial para a autodepreciação e era conhecido por brincar que era o único homem do mundo que não precisava de uma cadeira, já que ele sempre podia confiar na terceira perna como seu “banquinho”.

Frank Lentini / Crédito: Creative Commons

 

Durante seu tempo viajando pelos Estados Unidos, Lentini aprendeu a falar inglês e ficou conhecido por sua postura, inteligência e pelo seu jeito ousado de encarar sua deformidade. Com o sucesso, ele acumulou muita fama e fortuna.

Apesar de sua carreira não convencional, o profissional conseguiu usar seu carisma para conquistar uma jovem atriz chamada Theresa Murray. Os dois se casaram em 1907 e tiveram quatro filhos: Josephine, Natale, Franceso Jr. e Giacomo.

Apesar deles se separaram em 1935, o Grande Lentini não desistiu de encontrar um grande amor e passou o resto da vida com uma mulher chamada Helen Shupe.

Uma carreira histórica

Ele se apresentou em grandes espetáculos com o Ringling Brothers Circus, como no show Wild West de Buffalo Bill. Quando Lentini morreu em 1966, aos 77 anos, vítima de uma insuficiência pulmonar, ele ainda não havia parado de participar de turnês.

Em 2016, 50 anos após sua morte, Rosolini, cidade natal de Lentini na Sicília, celebrou a memória de seu herói não convencional por meio de um festival memorial que durou dois dias. Na ocasião, o evento convidou todos os descendentes de Frank.

Embora as apresentações tenham caído no esquecimento como principal forma de entretenimento dos Estados Unidos, o fascínio do público e até a romantização da época nunca deixaram completamente a consciência coletiva.

O filme de 2017, The Greatest Showman, por exemplo, apresentava um elenco rotativo de personagens desse tipo de espetáculo — todos baseados em artistas da vida real. Naturalmente, Francesco "Frank" Lentini esteve representado na pele do ator Jonathan Redavid.

Frank Lentini durante seus últimos anos de vida / Crédito: Creative Commons

 

O sucesso como o de Frank Lentini serve para nos lembrar o quão incrível e fantástico podem ser nossos sonhos e nossas conquistas. Afinal, ele via nas dificuldades uma maneira de se superar e nunca as tratava como um obstáculo insuperável. Essa, sem dúvida, é uma das muitas razões pelas quais Francesco "Frank" Lentini encontrou sucesso e felicidade em sua gloriosa jornada.

"Eu nunca reclamei", disse Lentini em seus últimos anos. "Eu acho que a vida é linda e gosto de vivê-la”.