Matérias » Hollywood

Filmagens de 'Tarzan' quase resultaram na morte de Bo Derek por um leão

Bo Derek viveu um dos momentos mais tensos de sua carreira durante as filmagens do longa de 1981

Fabio Previdelli Publicado em 02/10/2021, às 11h00

A atriz Bo Derek no filme
A atriz Bo Derek no filme - Divulgação/MGM

Conhecida por seu papel de destaque na comédia sexual ‘Mulher Nota 10’ (1979) a atriz Bo Derek se tornou um dos símbolos sexuais americanos entre as décadas de 70 e 80.

Casada com o diretor John Derek, a loira possui uma carreira marcada pelas polêmicas em seu relacionamento e por uma série de filmes que receberam críticas negativas — embora alguns deles tenham rendido um belo lucro para produtoras.  

Em um dos principais entre eles, ‘Tarzan: O Filho das Selvas’ (1981), além das críticas e da objetificação de seu corpo, a atriz viveu um dos momentos mais tensos de sua vida, já que quase acabou morrendo por conta de um ataque de leão durante as filmagens. 

O começo de carreira e a vida amorosa 

Nascida em Long Beach, na Califórnia, em 20 de novembro de 1956, Mary Cathleen Collins — nome de batismo de Bo Derek — começou sua carreira artística em 1973, quando participou do filme Fantasies, produzido pelo diretor John Derek

A atriz Bo Derek/ Crédito: de Wash via Wikimedia Commons

 

Os dois se conheceram naquele mesmo ano, ainda em Los Angeles, quando Mary estudava na Narbonne High School. Aos 16 anos, na época, a menina passou a se envolver sexualmente com John — um homem casado que era 30 anos mais velho que ela, conforme explicou em entrevista ao programa de David Letterman

Pouco depois do início da relação, Derek se separou de sua esposa, a atriz Linda Evans, e se mudou para a Alemanha com Collins. A medida serviu para que o diretor não estivesse sujeito a um processo por conta das leis de estupro da Califórnia, já que a futura atriz estava abaixo da idade de consentimento.  

No país europeu, John começou a produção de Fantasies, um drama romântico de baixo orçamento. Estrelado por Mary e vários atores alemães desconhecidos, o longa foi rodado em apenas dez dias na Grécia.  

Abusando da ‘sensualidade’ de sua amada, Derek dirigiu Collins em diversas cenas picantes, incluindo uma de nudez. Como explica matéria do The New York Times, o diretor tentou vender a produção para grandes estúdios por anos, mas seu trabalho permaneceu inédito até 1981, quando recebeu diversas críticas negativas.  

Em 1974, quando Collins completou 18 anos, ela se casou com John. A partir daí, a atriz começou a ser conhecida como Bo Derek: uma mistura de seu nome artístico (Bo Shane) com o sobrenome de seu marido.  

Em 1977, ela foi escalada para participar do filme de terror ‘Orca, a Baleia Assassina’, onde sua personagem tem uma perna arrancada pelo animal que dá nome ao longa, aponta o Rotten Tomatoes. 

Dois anos depois, Bo Derek foi selecionada para participar da comédia romântica ‘Mulher Nota 10’ — superando concorrentes como Melanie Griffith e Heather Thomas. Por conta de suas aparições sensuais com maiô, a atriz se tornou um símbolo sexual.  

Além do mais, de acordo com levantamento do site The Numbers, a produção se tornou um dos filmes mais rentáveis do ano, fazendo sucesso também entre os críticos.  

Bo Derek em 'Tarzan: O Filho das Selvas' (1981)/ Crédito: Divulgação/Metro-Goldwyn-Mayer

 

Bo Derek também fez parte do elenco de ‘Amantes em Família’ (1980), longa que contou com a participação de Shirley MacLaineAnthony Hopkins. Interpretando uma estudante universitária que tem uma relação com seu professor, um homem mais velho e casado, a atuação de Derek não encheu muito os olhos dos críticos, que se encantaram com o papel de MacLaine.  

O ataque quase fatal 

No ano seguinte, Bo recebeu seu primeiro papel principal em um filme de Hollywood. Ela foi escalada para dar vida a Jane Parker em ‘Tarzan: O Filho das Selvas’. Diferente dos outros filmes da franquia, o longa de 1981, que foi dirigido por John, contou a história de Jane, desde quando ela iniciou uma expedição pela África ao lado de seu pai, até o momento em que a protagonista se encontra e se apaixona pelo Rei da Floresta.  

Como recorda o NYT, o figurino usado por Derek no filme foi feito para realçar a sensualidade da atriz, que também protagonizou cenas de nudez — estas filmadas quando sua personagem se banhava em um rio. 

Antes do lançamento do filme, a MGM e a distribuidora da produção, a United Artists, foram processadas pelo espólio de Edgar Rice Burroughs — criador do personagem — por ofuscarem a história de Tarzan, aponta o NYT. 

Entretanto, a produção se tornou um sucesso de bilheteria, faturando mais de 35 milhões de dólares na época. Mesmo assim, Bo Derek acabou dividindo o prêmio Framboesa de Ouro de pior atriz daquele ano com Faye Dunaway — que viveu Joan Crawford em ‘Mamãezinha Querida’. 

Mas a pior experiência da atriz não foi por algo que aconteceu após a distribuição do longa, mas sim quando ele ainda estava sendo filmado. Em entrevista ao Yahoo Entertaiment, Bo Derek recordou que quase foi morta por um leão durante as gravações, sendo salva graças à intervenção de Miles O'Keeffe, que deu vida ao Tarzan.  

Bo Derek e Miles O'Keeffe em 'Tarzan: O Filho das Selvas' (1981)/ Crédito: Divulgação/Metro-Goldwyn-Mayer

 

Conforme relatou a atriz, o animal acompanhava O’Keeffe quando, repentinamente, ele a atacou. No momento, não havia nenhum adestrador por perto. “Quando ele me atacou, empurrou Miles em cima de mim, e eu rastejei por baixo dele”. 

“O leão ficou me golpeando [e eles podem quebrar seu pescoço com as patas], eu fiquei apanhando, mas sabia que ele não gostava de água. Por isso tentei ir até a parte mais funda, mas as ondas dificultavam”, recorda.  

A atriz explica que só sobreviveu por conta da ajuda de seu companheiro de cena. “Miles o segurou pela cintura apenas pelo tempo suficiente para deixá-lo confuso, e isso me permitiu entrar no mar. Logo antes da onda vir, o leão conseguiu chegar às minhas costas e foi pegar o meu ombro”, explica. 

Com o susto passado, as gravações foram finalizadas pouco depois. Cenas do ataque foram usadas no corte final do longa. “Nós usamos o máximo que conseguimos [do ataque] no filme. Foi loucura, mas são os negócios, certo? Isso são filmes!”, declarou a atriz. 

Getty Images

 

Bo participou de outras produções nos anos seguinte, como ‘Bolero’ (1984) e ‘Fantasmas Não Transam’ (1990). A atriz ficou casada com John até a morte do diretor, em 1998.

Semiaposentada, ela faz aparições esporádicas em filmes, séries e documentários. Em 2020 ela se casou com o ator John Corbett. Atualmente ela tem 64 anos.


+Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) - https://amzn.to/2UXDWKe

Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) - https://amzn.to/3c6gqAr

O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) - https://amzn.to/2ViwOqO

Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) - https://amzn.to/2RurMWU

O livro do cinema, de Vários autores (2017) - https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W