Matérias » Bizarro

Garry Hoy, o homem que morreu tentando provar que uma janela era inquebrável

Ele já havia se jogado contra o vidro muitas vezes antes, porém naquele dia sua brincadeira rendeu um episódio trágico

Ingredi Brunato Publicado em 19/08/2020, às 08h00

Fotografia do Toronto-Dominion Centre, de onde Garry Hoy caiu.
Fotografia do Toronto-Dominion Centre, de onde Garry Hoy caiu. - Wikimedia Commons

Em uma noite de julho, em 1993, um dos prédios do complexo de escritórios Toronto-Dominion Centre estava dando uma pequena festa de boas-vindas para os mais novos estagiários. O responsável pelo tour pelo arranha-céu envidraçado era o advogado Garry Hoy, que gostava de demonstrar a robustez das janelas usando um método incomum: jogando-se ele mesmo contra elas. 

O canadense era um especialista em direito corporativo e valores mobiliários. Antes de ir em direção à advocacia, no entanto, Hoy também havia se formado em engenharia, e talvez por isso a força das janelas ditas inquebráveis do escritório onde trabalhava despertavam tanto interesse. 

O truque que deu errado 

Garry já tinha feito a brincadeira inúmeras vezes antes, como forma de deixar os recém-chegados sobressaltados. Normalmente, o que acontecia era que ele apenas quicava contra a janela, e tirando talvez um ombro dolorido, permanecia são e salvo. 

Naquela noite, no entanto, quando o advogado atirou o corpo contra o vidro, o susto dos presentes foi muito mais real do que ele pretendia. Isso porque a moldura da janela acabou se soltando, e Gory Hoy, juntamente a uma janela intacta, caíram do vigésimo quarto andar do prédio de advocacia. 

Segundo o TorontoIst, após a morte trágica do advogado, o Toronto Star, jornal canadense, chamou um engenheiro estrutural chamado Bob Geer para comentar o assunto: “Não conheço nenhum código de construção no mundo que permitiria a um homem de 72,5 kg correr contra um vidro e suportá-lo”, afirmou o especialista

A repercussão do incidente acabou levando o escritório onde Garry trabalhava a ter problemas de reputação e, consequentemente, fechar em 1996. Na época, foi inclusive o maior fechamento de escritório de advocacia do Canadá. 

E virou anedota 

O episódio envolvendo Garry Hoy é uma narrativa do qual facilmente se pode extrair uma moral da história, e muito provavelmente é por isso que sua experiência foi recontada inúmeras vezes na cultura pop, até como uma forma de passar para frente um exemplo forte “do que nunca fazer”. 

O programa de televisão Myth Busters dedicou um episódio da primeira temporada para demonstrar o que havia acontecido com o advogado, assim como a série 100 Ways to Die, cuja proposta é recriar cenários de mortes incomuns. Entre outros que também falaram de Hoy, está também um programa do canal Discovery Investigation, e um best-seller canadense sobre histórias acontecidas com advogados. 

Em um tom menos explicativo, e mais debochado, Gary Hoy também foi nomeado para o  “Prêmio Darwin” em 1996, que se trata de uma homenagem irônica para indivíduos que teriam supostamente contribuído para a evolução humana ao “eliminar a si mesmos de maneira extraordinariamente idiota”.