Matérias » Personagem

"Governada por um ditador": como Britney Spears se tornou prisioneira do próprio pai

Aos 38 anos, Britney Spears não pode fazer coisas comuns como dirigir, ir às compras, lançar músicas ou até mesmo engravidar sem autorização do pai

Thiago Lincolins Publicado em 11/10/2020, às 10h00

Spears no photoshoot do álbum In The Zone (2003)
Spears no photoshoot do álbum In The Zone (2003) - Divulgação/Britney Spears

Era fevereiro de 2007 quando Britney Spears roubou os principais noticiários. Diferente dos momentos anteriores, como o dia em que chocou a todos enquanto dançava segurando uma cobra no palco do tradicional VMA, a eterna Princesa do Pop foi flagrada raspando a cabeça em um salão de beleza.

O que poderia ser um episódio comum logo foi transformado em um circo midiático, registrado por inúmeros paparazzi que a perseguiam dia e noite.

[Colocar ALT]
Britney Spears com a famosa cobra durante o VMA 2001 /Crédito: Getty Images

Não demorou para que Britney tivesse sua carreira enfiada num poço sem luz. Dando a volta por cima, Spears recuperou a sua glória com o Circus (2009), um álbum que até hoje cativa os amantes de música pop.

Todavia, 13 anos depois, a artista vive um inferno que foi resultado do momento caótico eternizado como o 'colapso de Spears'. Para entender um dos casos mais insanos da história da música, precisamos voltar para aquele fevereiro de 2007.

Zoológico humano

Bem antes de tomar a decisão radical de cortar o cabelo, Spears já passava por verdadeiro furacão. Em 2006, ela havia terminado o casamento com Kevin Federline. Dançarino e pai dos filhos da cantora, ele é um dos principais nomes envolvidos no que hoje viraliza como o movimento 'Free Britney'.

Caos define o que a cantora viveu a partir daquele momento. Após brigas pela guarda dos filhos e um ex-marido focado em tirar o seu dinheiro, a artista passou a festejar em Los Angeles.

Solteira, bebia e chamava atenção por onde passava. Famosa desde lançamento do álbum Baby One More Time (1999), a jovem já encarava os incômodos gerados por paparazzi, que pouco respeitavam o ser humano por trás da obra.

Após a fase festeira, surgiram os primeiros problemas. Poucos dias após ser flagrada raspando a cabeça, Britney, incomodada com o assédio dos fotógrafos em um posto de gasolina, decidiu mostrar sua garra. Em um momento de fúria, pegou um guarda-chuva e atacou um grupo de paparazzi.

Pouco tempo depois, a artista foi levada até uma clínica de reabilitação, onde deveria passar uma por uma desintoxicação. Todavia, a situação piorou em outubro do mesmo ano: a artista perdeu a guarda dos filhos, Sean e Jayden, para Kevin. Seu mundo automaticamente desabou.

Spears durante comercial /Crédito: Getty Images

 

Após tentativas de recuperar sua carreira durante a divulgação do álbum Blackout, mais um momento de desespero. Em 2008, se recusou a entregar seus filhos para o ex-marido após uma das visitas que tinha direito.

Logo foi internada mais uma vez. E assim começaria um espetáculo que ultrapassou as barreiras do que se pode chamar de 'humano'.

Uma adulta vigiada

Neste momento, o pai da cantora, Jamie Spears, conseguiu na justiça o direito de cuidar da tutela da cantora. Assim, passou a controlar os negócios, o patrimônio e até mesmo a vida pessoal de Britney, que teve até o celular monitorado pelo pai.

Britney em momento divertido ao lado de seus filhos e sobrinha /Crédito: Getty Images

 

Depois de anos conturbados, a cantora deu a volta por cima com o lançamento do álbum Circus (2009). Naquele momento, a jovem já tinha uma imagem limpa. As festas que ocupavam suas noites de melancolia não aconteciam mais e a fúria contra profissionais que não respeitavam sua privacidade foi substituída por sorrisos.

Assim nascia uma nova cantora, no entanto, seu novo inimigo não carregava uma câmera, afinal era aquele que a segurou no braço durante seus primeiros anos de vida.

Conforme divulgado pela Fox News, a tutela é definida como “status reservado para pessoas muito idosas ou muito doentes que sofrem de demência ou são incapacitadas para tomar decisões por si mesmas”.

Sob a vigilância do pai, Britney não pode fazer coisas comuns a um ser humano, como dirigir um automóvel, lançar músicas, gastar seu dinheiro em compras e muito menos participar de entrevistas.

Ainda pior, a artista não pode engravidar e muito menos se casar sem que Jamie a autorize. Todas as suas redes sociais também são constantemente monitoradas.

O que trouxe à tona a agonia de Britney - e a comoção dos fãs em redes sociais - foi a notícia de que a cantora havia sido internada numa clínica de reabilitação no ano passado.

Fãs pedem a liberdade da cantora durante julgamento /Crédito: Getty Images

 

Diante do histórico de Spears seria algo normal, entretanto, 13 anos depois, a artista tem uma rotina resumida em gravar vídeos desfilando e usar roupas comuns. Praticamente uma donzela presa na torre. Inviável para uma mulher de 38 anos que muito se distancia de seu passado polêmico.

Dinheiro fala alto

Segundo o The Blast, o ex-marido de Spears, aquele mencionado no começo da matéria, teria registrado um boletim de ocorrência contra o ex-sogro. O Motivo? Jamie teria agredido Sean um dos filhos da artista. Segundo a publicação, tudo ocorreu enquanto os meninos estavam com a mãe, que havia recuperado a guarda dos jovens.

O episódio representou mais uma derrota para Britney: a justiça havia determinado que ela só poderia estar com os filhos diante da supervisão de Jamie, podendo assim monitorar tudo que acontecia. Após a suposta agressão, ela o ex-marido fizeram um novo acordo, tendo ele a guarda dos garotos 70% do tempo.

Visto que ela não precisa mais de alguém que a monitore 24 horas por dia, a cantora entrou na justiça pedindo o fim da tutela abusiva. Além disso, não fosse à suposta agressão do pai, ela não teria perdido a guarda dos filhos.

Acorrentada psicologicamente

De acordo com rumores, pessoas próximas à cantora teriam falado que ela não tem controle psicológico, o que a motivou ainda mais a seguir com a ação.

Após uma grande expectativa dos fãs, que movimentaram as redes sociais com a #FreeBritney, o resultado não agradou. A artista pedia que seu pai fosse removido pela justiça como tutor, todavia, ele acabou sendo substituído temporariamente por Jodi Montgomery.

O maquiador Billy Brasfield, que já esteve na equipe de Britney em diferentes momentos, confirmou muitas teorias dos fãs. De acordo com ele, Jamie impedia qualquer contato de Spears com pessoas de fora.

"Uma das mulheres mais famosas do mundo tem seu telefone desligado pelo pai simplesmente porque legalmente ele pode. Sim, sim. Isso é muito ruim... Pense nisso. Ela e eu sabíamos que era só uma questão de tempo e o tempo chegou. Você pode me impedir de falar com ela, mas não me silenciarão", afirmou Brasfield. "Ela só precisa de uma equipe ainda mais inteligente do que ela. O que ela está pedindo não é muito. Mas o controle total é o que eles querem. Em um país livre, Britney é governada por um ditador".

Britney ao lado de seu atual namorado /Crédito: Getty Images

 

O advogado da cantora já deixou claro que ela não tem o mínimo interesse em ter o pai cuidando de seus negócios. Todavia, a audiência teria sido adiada até fevereiro de 2021.

Enquanto isso, um dos maiores símbolos da história da música pop segue sua jornada melancólica: não pode conviver com os próprios filhos em tempo integral e muito menos engravidar de Sam Asghari, modelo que namora desde 2017.