Matérias » Império Inca

Há 110 anos, Hiram Bingham III redescobria Machu Picchu, 'a cidade perdida dos incas'

Neste dia, em 24 de julho de 1911, o explorador americano encontrou as ruínas históricas no topo de uma montanha e anunciou ao mundo

Alana Sousa Publicado em 24/07/2021, às 07h00

Foto de Machu Picchu em 2007
Foto de Machu Picchu em 2007 - Getty Images

Em um vasto território, que ia da Colômbia à Argentina, o Império Inca reinou por quase um século na América do Sul. A cultura politeísta é estudada até hoje pelos historiadores, sendo um dos povos pré-colombianos de maior importância do passado.

O antropólogo Gordon McEwan descreveu o império como "um dos maiores Estados imperiais da história humana". Utilizando força e diplomacia, os incas contavam com extraordinários guerreiros, mas que não foram páreos para os colonizadores espanhóis.

Após a chegada Francisco Pizarro e sua tropa, a força bélica dos incas não foi suficiente. Em 1572, o último reduto foi conquistado pelos invasores. O que restou foram ruínas e artefatos de valor histórico imensurável.

Machu Picchu / Crédito: Creative Commons Attribution ShareAlike/ Wikimedia Commons

 

Machu Picchu, a ‘cidade perdida’ dos incas integra a lista de locais que recebem mais turistas no mundo. A região, localizada no vale do rio Urubamba, Peru, a 2.792 metros de altitude, foi redescoberta e anunciada ao público há exatos 110 anos, em 24 de julho de 1911.

O responsável pela redescoberta foi Hiram Bingham III, um explorador americano que foi eternizado na História pelo feito memorável.

A redescoberta

Conforme repercutiu o Independent, em 2008, Bingham foi financiado pela National Geographic Society e alguns colegas da Universidade de Yale. A expedição foi a primeira a anunciar a existência do local ao público.

[Colocar ALT]
Hiram Bingham III em 1912 / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Apesar de a redescoberta ser grandiosa, o explorador estava se recuperando de uma missão frustrada que durou dois anos e não resultou em nada.

Após convencer os financiadores para realizar outra missão, Bingham dessa vez levou consigo uma vasta equipe: geólogo, naturalista, cirurgião, topógrafo, engenheiro e assistentes integravam o grupo.

Por alguns dias, Bingham explorou o Peru. Após enfrentar os obstáculos da selva, precisou da ajuda de um morador local para finalmente ter a dica crucial para encontrar a cidade.

Depois de pagar o peruano Melchior Arteaga, soube que o que procurava estava em cima da montanha. Sete horas de caminhada, o americano enfim se deparou com Machu Picchu no 12º dia de viagem. A cidade é o símbolo mais famoso dos incas, e foi construída a mando de Pachacuti, no século 15.

Grandiosa, a região está localizada no topo de uma montanha, sendo o lugar mais bem preservado da cultura pré-colombiana. A cidade estava escondida no final de uma ponte de troncos, além das corredeiras. Ela serviu de refúgio para o povo que tentava fugir dos irmãos Juan e Fernando Pizarro.

“Será que alguém acreditará no que eu encontrei aqui?”, escreveu Hiram em seu diário; o achado também lhe rendeu o livro ‘Lost City of the Incas’. Por muito tempo, Bingham tentou entender a razão de a cidade ter sido abandonada, algo que até hoje é incerto para os pesquisadores.

Controvérsias

Há um século, o explorador analisou o local e decidiu levar artefatos, esculturas de pedra e relíquias dos incas para serem analisadas pela Universidade de Yale. A escolha repercutiu por muitos anos, com as autoridades peruanas exigindo a repatriação dos objetos, dizendo que eles nunca foram dados aos EUA.

Além de saquear Machu Picchu, Bingham também foi considerado uma fraude. Segundo o Independent, há quem não dê crédito ao feito do americano, levando em consideração que ele precisou pagar para saber onde estava a cidade perdida.

A cidade perdida dos incas / Crédito: Getty Images

 

Outros exploradores também reivindicaram a ‘descoberta’, um deles foi Thomas Payne, um inglês que morou no Peru por quase cinco décadas e alegou que não só encontrou Machu Picchu, como disse a Hiram onde estava.

Na década de 1870, Augusto Berns, um engenheiro alemão, supostamente teria registrado e saqueado a cidade sagrada dos incas. O fato teria sido arquivado pela Universidade de Yale, que descobriu que o governo peruano financiara o roubo.

São muitas as teorias sobre a redescoberta de Machu Picchu, mas nenhuma foi provada de fato. O que entrou para a História, entretanto, foi o nome de Hiram Bingham III, como o responsável oficial por expor a cidade perdida.


+Saiba mais sobre os incas através das obras disponíveis na Amazon

Machu Picchu. Na Trilha dos Incas, Geraldo Abud Rossi (2005) – https://amzn.to/2UA4tA0

A civilização Inca, Henri Favre (eBook) - https://amzn.to/3eRNLTA

Além da Ponte Inca, Wilson Lassarote (2014) – https://amzn.to/3eOuYIP

IMPÉRIO INCA: A ascensão e queda do maior e mais poderoso império sul-americano, John Mclee (eBook) - https://amzn.to/3rvG9ei

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W