Matérias » Personagem

Há 148 anos, Susan B. Anthony era multada por tentar votar nas eleições presidenciais dos EUA

No dia 18 de junho de 1873, a sufragista foi condenada a pagar uma multa de 100 dólares por ter violado as leis

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 17/06/2021, às 00h00

Susan B Anthony em fotografia
Susan B Anthony em fotografia - Domínio Público/Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos

Quatro dias antes da eleição presidencial de 1872, a sufragista Susan B. Anhony se dirigiu até o escritório eleitoral de Rochester, em Nova York e exigiu que seu nome estivesse na lista de eleitores. Os funcionários locais, a princípio, se recusaram a atender seu pedido, alegando não ser possível, uma vez que o estado não permitia o voto feminino.

A mulher, porém, insistiu citando a Décima Quarta Emenda, que dizia que todas as pessoas nascidas nos Estados Unidos eram cidadãs do país, de modo que os oficiais cederam.

E foi assim que, no dia 5 de novembro daquele ano, Susan e mais 14 americanas votaram. No entanto, o sexismo de seu tempo não permitiu que elas ficassem impunes.

As sufragistas Elizabeth Cady e Susan B. Anthony / Crédito: Domínio público/David B. Edmonston

 

Multa de 100 dólares

Mais tarde, as 15 mulheres acabaram sendo detidas e condenadas a pagar uma multa de 100 dólares, o que hoje equivaleria a 2.160 na moeda americana. No entanto, a ativista nunca pagou a taxa e também jamais deixou de lutar por esse e diversos outros direitos, que viriam a ser conquistados somente após sua morte.

A data da condenação da líder feminista, 18 de junho do ano de 1873, ficou marcada na história, servindo para lembrar a posteridade acerca das antigas injustiças cometidas no país. Foi apenas no ano de 2020 que o então presidente Donald Trump concedeu a Susan o perdão por seu ato outrora considerado criminoso.

Figura controversa

Susan B. Anthony foi uma das fundadoras do movimento feminista nos EUA e esteve à frente do mesmo durante mais de 50 anos de sua vida, liderando protestos por todo o território. Entretanto, apesar de seu pioneirismo na luta pelo voto feminino, há controvérsias acerca de sua imagem.

Moedas de 1 dólar com o rosto de Susan / Crédito: Getty Images

 

Polêmica sobre o aborto

Um trecho de um texto que afirmava que o aborto seria um “assassinato infantil”, cuja autoria foi atribuída à feminista, inspirou associações anti-aborto nos EUA, como a Lista de Susan B. Anthony. O escrito foi publicado no jornal sufragista The Revolution, por ela editado.

Contudo há controvérsias sobre a autoria do texto, uma vez que foi assinado apenas com um "A". Ademais, a americana nunca se dedicou ao tema durante as várias décadas de sua militância, gerando inúmeros debates entre historiadores e especialistas que buscam entender qual era seu verdadeiro posicionamento.

Monumento em homenagem às feministas Sojourner Truth, Susan B. Anthony e Elizabeth Cady, no Central Park / Crédito: Getty Images

Conquista póstuma

Somente 14 anos após a morte de Susan, que se deu em 1906, o Congresso aprovou a Décima Nona Emenda que, finalmente, permitiu que todas as mulheres exercessem o voto nos EUA.

“O direito dos cidadãos dos Estados Unidos ao voto não pode ser negado pelo país ou qualquer estado com base no sexo do indivíduo”, diz o texto de 1920. Contudo, apesar da conquista, novos desafios surgiram após 1920. A aplicação de taxas e testes de alfabetização, por exemplo, dificultaram enormemente a participação das mulheres nas eleições, em especial latinas e negras, prolongando o histórico de injustiças no país.


+Saiba mais sobre Susan B. Anthony por meio das obras da Amazon:

Susan B. Anthony: Champion for Voting Rights! (HQ), de Mark Shulman e Kelly Tindall (2020) - https://amzn.to/2FHj58V

Susan B. Anthony: A Biography, de Kathleen Barry (2020) - https://amzn.to/3aE5zxU

Susan B. Anthony: Her Fight for Equal Rights, de Monica Kulling (2020) - https://amzn.to/34g0hI2

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W