Matérias » Brasil

Há exatos 30 anos, Fernando Collor derrotava Lula nas primeiras eleições após o fim da ditadura militar

Em um acirrado segundo turno, o candidato neoliberal venceu com vantagem Lula da Silva, mas teve uma ajudinha de fora

André Nogueira Publicado em 17/12/2019, às 10h27

Chamada do SBT para debate eleitoral
Chamada do SBT para debate eleitoral - Divulgação/SBT

Pela primeira vez na História do Brasil, em 1989, se disputou um segundo turno eleitoral para a escolha do Presidente da República. Depois de quase 30 anos sem um presidente eleito democraticamente, desde a eleição de Jânio Quadros, os brasileiros estavam emocionados para o retorno do governo popular, escolhendo um entre diversos figurões como Ulisses Guimarães, Leonel Brizola e até mesmo Silvio Santos.

Uma inesperada reviravolta ocorreu durante as campanhas dessa primeira eleição. O favorito era Brizola (PDT), que se especulava que ganharia ainda em primeiro turno. No entanto, com o desencadear dos programas eleitorais, a bem financiada campanha de Fernando Collor (PTC, hoje PRN) o levou ao primeiro lugar, sucedido pelo caudilho gaúcho.

Início do debate para segundo turno / Crédito: Wikimedia Commons

 

Collor representava o neoliberalismo e as oligarquias do nordeste, enquanto Brizola tinha um projeto de reforma estrutural da economia baseada no trabalhismo. Esperando derrotar Brizola no segundo turno, Collor viu o terceiro lugar crescer de repente: Lula (PT), representando os sindicatos do sudeste.

O alagoano percebeu (como ele mesmo já admitiu) que a vitória sobre Luiz Inácio Lula da Silva, que não tinha o peso de Brizola, seria mais fácil e, com força das campanhas de ambos, os dois foram para o segundo turno. Lula era bruto, defendia um projeto menos elucidado e era associado as greves: tinha menos credibilidade que o velho líder da resistência ao golpismo ou ao garoto prodígio de ombros largos e discurso eloquente.

Posse de Fernando Collor /  Crédito: Orlando Brito

 

No mês de dezembro daquele ano, então, ocorreram dois debates televisionados entre Fernando Collor e Lula da Silva, pela TV Manchete e pela Rede Bandeirantes. Além da manipulação, já comprovada, da produção da Rede Globo e da Bandeirantes no auxílio à imagem de Collor e na construção de cenários desvantajosos para Lula, a transmissão posterior do debate pelo Jornal Nacional editou as falas em benefício do candidato do PTC.

O resultado era de se esperar: na primeira eleição desde a ditadura, o vencedor foi Fernando Collor de Melo, que prometeu um governo austero e ético, mas realizou medidas impopulares que ele acusou que os opositores fariam (como o confisco da poupança) e isso lhe rendeu o impedimento de seu mandato. O resultado nas urnas foi de 53,03% para Collor contra 46,97% para Lula, em relação aos votos válidos.


+ Saiba mais sobre essa eleição pelas obras abaixo:

1. 1989: História da Primeira Eleição Presidencial Pós-Ditadura - https://amzn.to/35vxvkf

2. 1989. A Fiesp e os Empresários na Eleição de Collor - https://amzn.to/36Krb8U

3. Geografia do voto nas eleições presidenciais do Brasil: 1989-2006 - https://amzn.to/2rUAwvZ

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.