Matérias » Tragédias

Há 62 anos, o trágico Desastre Aéreo de Munique matava 23 membros do Manchester United

O infeliz episódio ocorreu após péssimas condições no aeroporto de Munique-Riem, no entanto, a cidade tentou esconder a responsabilidade

André Nogueira Publicado em 06/02/2020, às 10h38

Acidente em Munique, 1958
Acidente em Munique, 1958 - Getty Images

"Alguns se perguntavam se o United ainda existiria após a tragédia de Munique. Eu não tenho nenhuma maneira de pensar sobre as coisas em perspectiva. Eu só sei que me causou a morte de meus colegas, agora eu entendo que eles eram crianças. Isso me marcou para sempre".

Essas foram as palavras de Bobby Charlton um dos únicos Busby Babes (os jovens jogadores do Manchester comandados por Matt Busby), a sobreviver ao acidente que ocorreu em Munique, Alemanha, em 1958, quando um avião que levava a equipe do Manchester United caiu. Aos 20 anos e gravemente ferido, Bobby viu um dos mais promissores times de futebol do mundo deixar de existir de maneira trágica.

Os Busty Babes em seu último jogo, contra a Estrela Vermelha da Servia / Crédito: Wikimedia Commons

 

Ocorrido em 6 de fevereiro de 1958, o Desastre Aéreo de Munique foi uma fatalidade que aconteceu no voo BE609, com o fretado da empresa Britanica British European Airways que saiu de Belgrado (Sérvia), mas teve que precisou fazer uma escala na cidade alemã. Enfrentando um mal tempo, o avião realizou duas tentativas de decolagem que falharam e, na terceira, a neve na pista impediu que a aeronave ganhasse velocidade, gerando a queda.

No avião, estava a jovem equipe de campeões do time, assim como os dirigentes e alguns membros da equipe técnica, jornalistas e alguns colaboradores. A tragédia deixou 23 mortos, entre eles oito jogadores do Manchester.

A cidade de Munique nunca admitiu sua parte na culpa do acidente, causado principalmente pelas condições do aeroporto. Durante as investigações, o governo chegou a omitir depoimentos, com o objetivo de colocar o comandante Tain, que pilotava o veículo, como genitor da queda. Somente onze anos depois do infortúnio, Tain conseguiu provar a falha na pista, com apoio do governo britânico.

Palaca em memória aos acidentados no estádio Old Trafford / Crédito: Wikimedia Commons

 

Com apoio dos fãs e auxílio técnico, o Manchester United conseguiu se reerguer dessas sórdidas cinzas e hoje voltou a ser uma das principais equipes do futebol na Inglaterra. Infelizmente, o que não pode ser trazido de volta foram os oito ídolos jovens que se foram naquele inesperado acontecimento.


+ Saiba mais sobre desastres aéreos pelas obras abaixo:

Caixa-preta: O relato de três desastres aéreos brasileiros, de Ivan Sant'Anna (2000) - https://amzn.to/383wnWx

O Dia Em Que Morri Em Um Desastre Aéreo, de João Saraiva (2019) - https://amzn.to/3baFAyd

Voo 1907: Colisão Aérea: Os Bastidores da Investigação, de Fernando A. Siqueira (2006) - https://amzn.to/2vW1SUb

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.