Matérias » Arqueologia

Homem de Piltdown: há 66 anos, a misteriosa fraude do esqueleto pré-histórico era revelada

Após 40 anos de enganação, em 1953 pesquisadores descobriram que aquele fóssil de homem pré-histórico era forjado

André Nogueira Publicado em 21/11/2019, às 07h00 - Atualizado às 07h31

Alvan Marston demonstra que o crânio de Piltdown é realmente de origem relativamente recente e composto pelos restos mortais de um homem e um orangotango
Alvan Marston demonstra que o crânio de Piltdown é realmente de origem relativamente recente e composto pelos restos mortais de um homem e um orangotango - Getty Images

Em 1912, uma descoberta arqueológica deu início a uma jornada de desinformação e desonestidade, quando, em Piltdown, na Inglaterra, foi desenterrada uma ossada de um suposto antepassado da espécie humana com 500 mil anos, divulgado como um elo perdido da evolução humana.

Levado ao Museu de História Natural de Londres, esse fóssil criou uma confusão que só seria resolvida 40 anos depois, quando se provou que aquele material era completamente montado. A falsidade do Homem de Piltdown foi a público apenas em 1953.

Reconstituição de como supostamente seria esse elo perdido / Credito: Getty Images

 

"No Reino Unido existiam fósseis de humanos modernos, mas nada de muito antigo", nos lembra o antropólogo Chris Stringer. No início do século 20, pouco tempo depois da publicação de A Origem das Espécies, os neandertais e a evolução humana ainda eram uma novidade científica.

Por isso, a descoberta daquele fóssil foi de um choque generalizado. Fora do acervo técnico do Museu, essa descoberta era tão valiosa que ganhou lugar de destaque até que uma equipe de cientistas analisou corretamente a veracidade do material, usando novas técnicas de datação (o que comprovou que se tratava de uma ossada moderna, de menos de 100 anos).

Equipe do Museu de Londres responsável pela descoberta / Crédito: Wikimedia Commons

 

Na verdade, aquele misto de ossos foi uma jogada astuta para a criação de um elo perdido homeníneo. Um crânio humano recente, uma mandíbula de orangotango e fragmentos de espécies diferentes bem distribuídos enganaram os melhores biólogos da Inglaterra.

Ao mesmo tempo, “as pessoas que acreditavam neste fóssil eram muito poderosas", afirmou Stringer. "Era preciso ter muito cuidado para não contrariar estas pessoas." Até hoje, não se conhece o responsável pela fraude.


Saiba mais sobre evolução humana pelas obras abaixo:

1.The Piltdown Man Hoax: Case Closed, de Milles Russell - https://amzn.to/2XzdkyD

2. Um Esqueleto Incomoda Muita Gente..., de Walter Neves - https://amzn.to/334dz6c

3. Evolução humana: A História dos Processos de Evolução e Seleção Natural que Deram Origem aos Humanos Modernos, de Charles River Editors - https://amzn.to/34ehgHW

4. Assim caminhou a humanidade, de Walter Neves - https://amzn.to/37pZJ1q

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.