Matérias » Segunda Guerra Mundial

Há 78 anos, a Operação Husky dava início a queda de Mussolini

A invasão da Sicília pelos aliados foi um marco para o fim do regime fascista durante a Segunda Guerra Mundial

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 10/07/2021, às 10h44

Soldados americanos observam corpo de combatente alemão após ataque
Soldados americanos observam corpo de combatente alemão após ataque - Wikimedia Commons / Domínio Público / U.S. Army

Na madrugada do dia 9 para 10 de junho de 1943, os aliados, grupo composto pelos quatro grandes na época — China, Reino Unido, URSS e EUA — promoviam a execução da Operação Husky, considerada a maior batalha de blindados que já ocorreu na História, sendo um marco para o fim do regime fascista na Itália e, consequentemente, detendo o presidente Benito Mussolini na Sicília.

Sendo um dos fatos mais importantes da Segunda Guerra Mundial, a invasão durou mais de um mês e conseguiu destituir o ditador italiano gradativamente ao cercar as forças armadas do país europeu.

Sabendo disso, o site Aventuras na História separou algumas curiosidades deste impressionante fato histórico.

Confira 5 fatos sobre a Operação Husky, na Sicília. 

1. Plano de fundo

Apesar de iniciar em julho, a decisão de executar o plano se deu em janeiro daquele ano, após o êxito ao bater as tropas nazistas no norte da África. Com isso, o general norte-americano George Smith Patton foi nomeado como o líder da Operação logo após a Conferência de Casablanca, sendo encarregado a estudar o eixo e realizar a invasão mais efetiva.

O objetivo do ataque visava liberar a região do Mar Mediterâneo para a criação de bases aéreas e passagens navais mais próximas da Alemanha, que ainda estava fortalecida, aproveitando da fraqueza italiana, como informou a página de Educação do portal Terra. Em junho, uma série de bombardeios foi iniciada, preparando a chegada das frotas.


2. Recordes históricos

A ocasião resultou na maior operação de desembarque marítimo de toda a história militar até hoje, com cerca de 405 mil oficiais se locomovendo na calada da noite para a costa siciliana.

Com eles, desceram também impressionantes 1,8 mil canhões e mais 600 tanques de guerra, registrando também o início da batalha com maior número de veículos blindados em todos os conflitos.

Fotografia de blindado capturada durante a Operação Husky / Crédito: Wikimedia Commons / Domínio Público / U.S. Army

 

Para confrontar os grupos de alemães e italianos no país invadido, a Operação Husky contou com o Sétimo Exército dos EUA, o Exército Canadense e o Oitavo Exército Britânico como linha de frente da força invasora, retirando os rivais com facilidade logo nos dias seguintes, segundo registra o portal da enciclopédia Britannica.


3. Interferência de Hitler

Os bombardeios em datas anteriores a invasão resultou em um esgotamento excessivo por parte dos militares italianos e alemães, fazendo toda a diferença para a eficácia na rendição geral. Adolf Hitler e seu articulador militar, Hermann Göring, no entanto, não quiseram deixar apenas por isso, como reportamos anteriormente.

Ao descobrir o ataque, organizou suas forças militares para desviar um quinto de todo o exército alemão para a Itália na tentativa de impedir a invasão, estimando o envio de aproximadamente 70 mil homens.

Mesmo assim, a tentativa não obteve sucesso, sendo concretizada apenas no final de julho, quando a expulsão já estava avançada pelos Aliados. 


4. Deposição de Mussolini

Detalhado pelo portal History, o líder fascista da Itália, Benito Mussolini, foi retirado do poder durante a Operação Husky; sem a capacidade de deter a proeminente invasão, o Grande Conselho Fascista acabou decidindo que o político deveria deixar o cargo pois reconheciam que as derrotas recentes garantiam a perda da guerra.

O líder fascista Benito Mussolini em fotografia oficial / Crédito: Wikimedia Commons / Domínio Público

 

Pouco após o conselho onde sua deposição foi votada, ele ainda se reuniu com o rei Vítor Emanuel III, sendo preso e informado que o comando do estado seria repassado ao general Pietro Badoglio. Sem oferecer resistência, ele foi levado para a ilha de Ponza e não pôde mais mediar o conflito.


5. Conclusão da Operação

De acordo com o Business Insider, a invasão foi considerada concluída na manhã de 17 de agosto de 1943, quando atingiram a comuna italiana de Messina e alcançaram os últimos soldados italianos ainda não-rendidos liberando a passagem continental entre a costa do local com Sicília.

Com isso, os 38 dias de combate tiveram a estimativa de 29 mil soldados do Eixo mortos ou feridos, além de 140 mil capturados. Os Aliados também sofreram baixas; 2,2 mil americanos foram mortos, além de mais 6,5 mil feridos ou capturados, além dos britânicos, que totaliza 2,7 mil perdas e 13 mil baixas.


+Saiba mais sobre a Segunda Guerra Mundial por meio de obras disponíveis na Amazon:

Box Memórias da Segunda Guerra Mundial, de Winston Churchill (2019) - https://amzn.to/2JWtKex

A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor (2015) - https://amzn.to/2Rr2xFa

A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, de Martin Gilbert (2014) - https://amzn.to/34DnO3T

Os mitos da Segunda Guerra Mundial, de Vários Autores (2020) - https://amzn.to/2VdiMXa

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial, de Keith Lowe (2017) - https://amzn.to/2RqF32D

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W