Matérias » Personagem

Há 8 anos, Whitney Houston era encontrada morta com 5 tipos de drogas no corpo

Cantora se preparava para cerimônia de gala no saguão do hotel com o produtor que a descobriu aos 11 anos de idade

Wallacy Ferrari Publicado em 11/02/2020, às 12h00

Cantora morreu aos 48 anos
Cantora morreu aos 48 anos - Getty Images

Apesar da carreira notável e repleta de prêmios, a influência das pessoas em volta da principal cantora negra dos anos 1980 resultou em diversos vícios: aos 14 anos, seu irmão Michael lhe ofereceu álcool e maconha e, posteriormente, aos 16, foi apresentada ao LSD e a cocaína.

Seu casamento com Bobby Brown também contribuiu com a intensidade de seu vício, graças a diversas traições, ameaças e consumos intensos de substâncias psicoativas junto ao marido. Em uma entrevista, o motorista da família disse que ambos faziam uso de crack e heroína, inclusive em frente da filha.

O vicio em cocaína era tão grande que, em 2000, graças aos danos em suas válvulas cardíacas, a cantora desenvolveu uma aterosclerose. Já em 2011, ela foi diagnosticada com enfisema pulmonar e nódulos nas cordas vocais em consequência ao tabagismo. Em ambos os casos, Whitney desistiu ou recusou tratamento, contribuindo em uma grave insuficiência respiratória que contribuiu diretamente para seu falecimento.

No início de fevereiro de 2012, a cantora se hospedou no Beverly Hilton Hotel para acompanhar a cerimônia do Grammy, que ocorreria no dia 12, e no dia 9, fez sua última aparição no TRU Hollywood Nightclub, em uma festa promovida por Kelly Prince. Na ocasião, cantou “Jesus Loves Me” com a voz bastante rouca.

Na manhã do dia 11, enquanto se preparava para uma festa no saguão do hotel que estava hospedada, preocupou sua equipe por estar no banho a mais de uma hora. Minutos depois, foi encontrada morta por sua cabeleireira com a cabeça embaixo d’água e de bruços na banheira, aos 48 anos

Em sua autópsia, divulgada em 22 de março de 2012 pela Polícia de Los Angeles, foram identificados cinco tipos de drogas no corpo da cantora, sendo maconha, difenidramina, alprazolam, ciclobenzaprina e cocaína. Somado aos xaropes e barbitúricos tomados no dia anterior, a cocaína induziu Whitney a desorientação sensorial e a sonolência, o que a fez cambalear em direção a banheira com muita sonolência, caindo sem lesões, mas com a baixíssima capacidade motora e respiratória, não conseguiu sair com vida da água.

No dia seguinte, Whitney foi homenageada da cerimônia no Grammy por Jennifer Hudson, que cantou “I Will Always Love You”. Seu funeral, no dia 18, na New Hope Baptist Church, durou quatro horas com a presença de diversos artistas, como Steve Wonder, Alicia Keys e Kevin Costner, que protagonizou o filme “O Guarda Costas”. No dia seguinte, foi enterrada no cemitério Fairview, em Nova Jersey, ao lado de seu pai.