Matérias » Personagem

Herói injustiçado: Aristides de Sousa, o português que ajudou milhares de judeus no Holocausto

Aristides usou a autoridade que tinha como cônsul de Portugal para emitir vistos, todavia, pagou caro por seu altruísmo

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 20/03/2021, às 09h27

Fotografia de Aristides de Sousa Mendes
Fotografia de Aristides de Sousa Mendes - Wikimedia Commons

O período durante o qual ocorreu o Holocausto foi marcado pela violência e o horror. Em meio ao ódio, inúmeros heróis anônimos fizeram tudo que estava em seu poder para ajudar a salvar os judeus das mãos dos nazistas. 

Um deles foi Aristides de Sousa Mendes, cônsul português que emitiu vistos para refugiados judeus durante a Segunda Guerra Mundial a despeito das ordens contrárias do presidente de Portugal, assim permitindo que a comunidade perseguida se abrigasse no país europeu. 

Na época, inclusive, vale dizer que o território português vivia uma ditadura sob o governo de António de Oliveira Salazar

Os riscos de fazer o bem 

Segundo documentado por uma matéria de 2020 do National Geographic, o cônsul usou do poder que possuía no seu cargo para emitir inúmeros vistos antes de ser descoberto. 

Fotografia histórica de um dos vistos concedidos por Aristides / Crédito: Wikimedia Commons

 

De forma ainda mais impressionante, isso tudo teria ocorrido dentro do período de três dias: entre 17 e 19 de junho de 1940. Para alcançar resultados tão vastos em tão pouco tempo, Aristides teria sido auxiliado pelos seus doze filhos. Já no dia 20, o funcionário público recebeu um telegrama de Salazar o intimando a comparecer em Lisboa. 

Também segundo a reportagem, depois desse fato, Mendes foi severamente punido por suas infrações: ele foi demitido de seu cargo de cônsul, obrigado a se afastar do trabalho, e quando o afastamento terminou, no fim daquele ano, ainda foi considerado aposentado.

Para piorar a situação, Salazar fez com que a licença de advogado do ex-cônsul fosse retirada, de forma que ele não pudesse recorrer ao exercício dessa profissão como uma segunda opção à que havia perdido.

Assim, o sustento do português passou a depender do seu salário de aposentadoria, que era escasso, condenando ele, sua esposa e doze filhos a enfrentar dificuldades financeiras pelas décadas seguintes. 

Fotografia de Aristides em família, antes dele ter doze filhos / Crédito: Wikimedia Commons

 

Apesar do sofrimento que lhe foi imposto em resposta às suas ações altruístas, vale mencionar que Aristides continuou a ajudar judeus como podia, chegando a ceder o espaço de sua própria casa para alguns dos que haviam acabado de chegar em Portugal. 

Reconhecimento tardio 

Mais tarde, em vida, o ex-cônsul recorreu ao auxílio de um órgão de assistência judaica internacional, afirmando que ele e sua família também haviam se tornado refugiados. 

A esposa de Aristides chegou a falecer em decorrência da situação de carência vivida por eles, e mais tarde o português também precisou vender todos os seus bens de valor para conseguir sobreviver. 

Foi apenas em 1966 que o memorial do Holocausto localizado em Jerusalém homenageou Mendes, concedendo-lhe pela primeira vez o reconhecimento merecido. Na época, ele já estava morto fazia 12 anos. 

Posteriormente, em 1986, Mário Soares, que era então primeiro-ministro de Portugal, também emitiu um pedido de desculpas público à família de Aristides pelas injustiças sofridas por eles.


+Saiba mais sobre esta e outras obras relacionadas ao tema disponíveis na Amazon:

Maus, de Art Spiegelman (2005) - https://amzn.to/3dMJmRZ

Box Memórias da Segunda Guerra Mundial, de Winston Churchill (2019) - https://amzn.to/2JWtKex

A Segunda Guerra Mundial, de Antony Beevor (2015) - https://amzn.to/2Rr2xFa

A Segunda Guerra Mundial: Os 2.174 dias que mudaram o mundo, de Martin Gilbert (2014) - https://amzn.to/34DnO3T

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial, de Keith Lowe (2017) - https://amzn.to/2RqF32D

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W