Matérias » Personagem

Hilda Maia Valentim: conheça a Hilda Furacão da vida real

Disputada e cortejada por muitos homens na época, a história da mulher acabou ganhando destaque quando uma minissérie baseada em sua vida estreou em 1998

Paola Churchill Publicado em 22/05/2020, às 09h00

Hilda Furacão foi uma das prostitutas mais conhecidas do país
Hilda Furacão foi uma das prostitutas mais conhecidas do país - Wikimedia Commons

Quando a minissérie Hilda Furacão estreou, em 1998, os telespectadores ficaram fascinados pela história baseada no livro de mesmo nome escrito por Robert Drummond. Na época, não imaginavam que a linda mulher vivida por Ana Paula Arósio realmente existiu.

Hilda Maia Valentim nasceu em 30 de dezembro de 1930, em Recife, mas ainda criança se mudou com sua família para Belo Horizonte. Seus pais tinham um grande poder aquisitivo, e davam tudo que a garotinha queria.

No entanto, Hilda tinha uma alma livre e desde muito jovem queria desbravar os bairros boêmios da capital mineira. Foi nesse momento que descobriu uma profissão pouco convencional. Lá, iniciou seus primeiros trabalhos como garota de programa.

A verdadeira Hilda Furacão ao lado da atriz Ana Paula Arósio que a interpretou na minissérie Global/Crédito: Divulgação 

 

O apelido de Furacão surgiu pouco tempo depois, devido ao seu temperamento. A prostituta não levava desaforo para casa e era constantemente vista brigando e até mesmo saindo na tapa com seus clientes e colegas da profissão.

Apesar de seu temperamento selvagem, os homens faziam filas, levavam presentes e declaravam seu amor para ter algumas horas de amor com Hilda que adorava ser desejada por tantos pretendentes.

O verdadeiro amor

O amor nunca passou pela cabeça da jovem, se apaixonar estava fora de cogitação. Até meados de 1950, durante uma noitada no Hotel Maravilhoso, na zona boêmia de Belo Horizonte, seu coração foi tomado quando conheceu o jogador Paulo Valentim, que na época jogava no Atlético Mineiro.

Hilda e Paulo se apaixonaram. A mulher largou a prostituição e os dois decidiram oficializar a união. Com o amado, a ex-furacão se mudou para Buenos Aires para acompanhar a carreira de sucesso do marido no Boca Juniors, Valentim se tornou um ídolo no país pelo seu desempenho no time.

Foto do dia do casamento de Hilda e do jogador Paulo Valentim/Crédito: Divulgação 

 

A felicidade do casal só aumentou com o nascimento do filho Ulisses e Hilda queria deixar o passado pra trás e focar em sua felicidade com sua família. Mas, em 1972, Valentim após anos de jogatina e alcoolismo, levou a família à decadência.

Na riqueza e na pobreza

O casal se mudou para o México, mas não tinham mais a vida luxuosa de antes. Hilda tinha que trabalhar como faxineira e costureira para sustentar a casa. Mas, a mulher não se importava pois faria de tudo pelo amado.

Paulo morreu em 1984, desolada, Hilda voltou a morar em Buenos Aires com o filho. Todavia, o que a mulher não imaginava é que mais uma tragédia assombraria a sua vida: a mãe também teve que lidar com o óbito do próprio filho.

Sozinha, Hilda foi morar em um asilo no bairro de Barracas, na capital Argentina. Ninguém sabia se ela estava viva, até que uma equipe de reportagem do Fantástico fez uma matéria ao seu respeito, em 2014.

O programa revelou que, pouco antes de viver na Instituição, se viu diante de uma trágica queda e acabou sendo internada num hospital público durante seis meses. 

“Conheci a Hilda e comecei a pesquisar e a recuperar parte de documentação e a identidade da Hilda. E chegamos a essa história fantástica da Hilda Furacão. Ou da Hilda Maia Valentim, viúva de Paulo Valentim, um grande herói do Boca Juniors”, informou Marisa Barcellos, uma assistente social que desvendou o passado da solitária mulher.

Hilda aos 84 anos em entrevista ao Fantástico, da rede Globo/Crédito: Divulgação/Rede Globo

 

Hilda era uma mulher fragilizada e muitas vezes, não se lembrava de seu passado boêmio, só se recordava de seu amor por Paulo Valentim, que dizia sentir saudades todos os dias. Pouco tempo depois de a reportagem ir ao ar, Hilda faleceu, aos 84 anos, de causas naturais.


+Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon: 

Hilda Furacão,  Roberto Drummond, 2008 - https://amzn.to/2WPn1KO

Biografia da televisão brasileira, Flávio Ricco, 2017 - https://amzn.to/2UytpVZ

101 atrações de TV que sintonizaram o Brasil, Patrícia Kogut, Ebook - https://amzn.to/38a79FJ

História da televisão no Brasil: Do Início aos Dias de Hoje, Ana Paula Goulart Reibeiro, 2010 - https://amzn.to/2UBbYUz

A televisão levada a sério, Arlindo Machado, Ebook - https://amzn.to/3744s7z

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W