Matérias » Mortes

5 filósofos que morreram de formas bizarras

Saiba quais foram os pensadores que tiveram mortes um tanto incomuns

Mariana Ribas Publicado em 25/02/2019, às 13h21

Conheça 5 filósofos que morreram de formas bizarras
Getty Images

1. Crísipo de Soli (280 a.C. - 208 a.C.)

Crísipo foi um filósofo helenístico, professor da escola estoica de Atenas. Existem duas histórias que narram sua morte: Uma que diz que ele bebeu vinho não diluído e morreu horas depois. E outra diz que ele assistia alguns jumentos comerem figos e fez uma piada dizendo: "Agora dê ao jumento uma bebida de vinho puro para lavar os figos", depois ele morreu de tanto gargalhar, tendo um infarto. A concordância entre as duas versões é que ele morreu aos 73 anos, na 143° Olimpíada.

2. De la Mettrie (1709- 1751)

De la Mettrie foi um médico e filósofo francês, um dos primeiros materialistas e defendia a natureza humana. Ficou muito famoso pela sua obra “Homem-maquina”.

A causa de sua morte? Foi comer. Sim, ele foi jantar em comemoração a cura de sua doença, na casa do embaixador francês Monsieur Tirconne, e comeu uma enorme quantidade de patê de Trufas.

Ainda enquanto passava mal, médicos renomados tentaram ajudá-lo, ele recusou ajuda xingando-os, tentaram tirar seu sangue, mas em meio ao delírio, morreu.

3. Heráclito (540 a.C. - 470 a.C.)

Conhecido também como “filósofo chorão”, Heráclito foi um filosofo grego pré-socrático, autodidata e considerado um pioneiro da sabedoria. Ele foi viver no mato, onde se alimentava apenas de ervas e plantas, até que ficou doente e teve que voltar á cidade para se curar. Só que decidiu não seguir o que os médicos lhe diziam e fez algo inusitado.

Existem duas versões da sua morte. A primeira é que ele decidiu se enterrar em um esterco de vacas e bois, acreditando que o calor do estrume iria extrair o mal que lhe causara a doença. Já na outra versão, ele deitou em meio ao esterco, só que ao ficar exposto ao sol forte, morreu desidratado.

4. Diógenes de Sinope (412 - 323 a.C.)

Conhecido como “O cínico”, a vída de diogenes foi e é ainda um mistério. Ele que vivia como um mendigo pelas ruas da Grécia Antiga foi comprado como escravo por um intelectual, que notou sua inteligência e confiou a Diógenes a educação de seus filhos.

A morte do homem misterioso tem duas versões: ele morreu por comer um polvo ainda cru, ou se matou prendendo a respiração.

5. Kurt Gödel (1906 - 1978)

Kurt foi um filosofo e matemático austríaco, considerado um dos mais importantes da história da filosofia. Ele teve um surto em que não comia nada, a não ser se sua mulher, Adele Nimbursky, separasse sua comida. Mas sua esposa foi parar no hospital, e o coitado morreu de inanição.