Matérias » Guerras

Karánsebes: A batalha mais estúpida de todos os tempos

Um porre e o caos que se seguiu deu ao exército Austríaco uma bizarra honra

Fabio Marton Publicado em 31/07/2019, às 10h00

Um dos maiores fracassos da história militar, batalha aconteceu no sul da atual Romênia
Um dos maiores fracassos da história militar, batalha aconteceu no sul da atual Romênia - Wikimedia Commons

Se você procurar algo sobre a Batalha de Karánsebes, em 1788, verá nas duas colunas de adversários a mesma informação: ela foi travada pelo Exército da Monarquia de Habsburgo contra o Exército da Monarquia de Habsburgo. E o campo de vencedores está vazio.

A guerra Austro-Turca já corria havia cinco meses e ninguém tinha sequer avistado o inimigo. Ainda assim, todos estavam exaustos e o moral era baixo — dezenas de milhares já haviam morrido de malária. As notícias agora eram que o inimigo, os turcos otomanos, vinha a seu encontro. Cabia ao Exército austríaco fincar os pés e se fortificar em Karánsebes, atual Romênia.

Era a noite de 21 de setembro de 1788 quando uma patrulha de hussardos, a orgulhosa cavalaria leve austríaca, atravessou o Rio Timis para tentar achar os esperados turcos. No lugar disso, encontraram um grupo de ciganos com uma amável surpresa: barris de schnapps, a aguardente típica, que estavam dispostos a vender.

Os hussardos abriram suas bolsas e passaram a celebrar ali mesmo. Um destacamento de infantaria foi enviado para encontrá-los, e os soldados pediram para entrar na brincadeira. Mas não, a nobre cavalaria não brindaria com meros soldadinhos da infantaria. Montaram um perímetro armado em volta dos barris e a discussão foi ficando cada vez mais acalorada.

Até que um dos soldados disparou, literalmente um tiro no escuro. Alguém que não acompanhava a cena, entendeu tudo errado e deu o alerta: os turcos estavam vindo! Foi a trombeta do Apocalipse. Os hussardos bateram em retirada montados, por entre a infantaria, em direção ao acampamento. A infantaria fez o mesmo, atropelando a si própria.

No caos e na escuridão, o exército austríaco acreditou que os turcos haviam chegado. E recebeu, à bala, seus próprios soldados — que retornaram fogo, tão confusos quanto. Tentando controlar a situação, oficiais austríacos gritavam Halt! Halt! (Parem!), que os soldados, muitos imigrantes dos Balcãs e da Península Itálica e com parcos conhecimentos do idioma, confundiram com “Allah! Allah!”. A coisa chegou ao ponto de um ataque de artilharia ser disparado contra o próprio exército, e três canhões foram destruídos.

Qual não deve ter sido a surpresa dos turcos ao chegarem, dois dias depois, e se depararem com um campo com aproximadamente 1200 mortos (existem relatos de que os números chegariam a 10 mil, mas sem confirmação). Os austríacos haviam batido em retirada, derrotados por si próprios e por um inimigo que não passava de uma sombra.

A Guerra Austro-Turca terminaria em empate, mais do que a Áustria poderia esperar depois de um episódio como esse.