Matérias » Brasil

Escândalo na corte: D. João teve bastarda com sangue azul

O famoso príncipe-regente teria pulado a cerca (do quarto, mas não do palácio) e tido uma filha, que revirou a cabeça da Rainha Carlota

Cláudia de Castro Lima Publicado em 25/06/2019, às 08h00

João e Carlota
Reprodução

Dom João VI, o príncipe regente de Portugal que fugiu das tropas napoleônicas em plena guerra para o Brasil, teve alguns filhos bastardos. Mas uma em especial virou a cabeça de sua mulher, Carlota Joaquina

Eugênia Maria do Rosário era filha de Eugênia de Meneses uma nobre, filha do marquês de Marialva. Era dama de companhia de Carlota Joaquina, muito respeitada e estudada. Por isso, a princesa sentiu que a bastarda poderia, de alguma forma, representar uma ameaça à sucessão do trono.

O relacionamento de Eugênia com a Coroa, para quem o pai trabalhava, era próximo. Ela era amiga da princesa desde que esta tinha 10 anos – quando saiu da Espanha para se casar com o príncipe João. Da amizade de infância ao convite para virar dama de companhia foi uma questão de tempo. 

Retrato de Dom João VI / Crédito: Wikimedia commons

 

Culta, divertida, bonita e dona de um belo par de olhos azuis, Eugênia logo despertou a atenção do príncipe regente, que fez diversas visitas secretas ao quarto dela – até que a engravidou.

De acordo com a escritora Cristina Norton, que pesquisou a vida de Eugênia por cinco anos para escrever O Segredo da Bastarda, quando Carlota ficou sabendo do que ocorrera mandou matar Eugênia. "Eugênia era diferente. Ela pertencia à família mais importante de Portugal. Era uma rival para a princesa.", diz Norton.

Como consequência, ela foi obrigada a se afastar da família e a se esconder em conventos.