Matérias » Segunda Guerra Mundial

História de Guerra: A noite em que os pracinhas roubaram um tanque norte-americano

Nessa história lendária, os brasileiros não deixaram barato os abusos dos soldados americanos. Há quem diga que ela não é real, mas não que ela não é boa

André Nogueira Publicado em 01/09/2019, às 08h00

Suposto M-4 Sherman roubado
Suposto M-4 Sherman roubado - Reprodução

Uma história, que pode ser da Guerra ou de uma pescaria: Itália, anos 1940. Desde 1944, os brasileiros da FEB, mandados por Getúlio Vargas, participavam das Expedições de ocupação do país, em direção à Alemanha. Na comitiva que subia em direção a Monte Castelo, brasileiros, estadunidenses, canadenses e ingleses dividiam o território. No entanto, por não terem grande tradição de guerra, os sodados do Brasil eram inferiorizados pelos Aliados.

Um pelotão da FEB fincou barraca num vale isolado. Porém, não havia restrições de para a circulação de soldados pela região, então era comum que os yankees passassem perto das barracas brasileiras. Como consequência, apareçeram denúncias: o abastecimento enviado pelo Governo Brasileiro havia sumindo e os pracinhas previam que acabaria munição, cachaça, rapadura, tabaco e outros itens rapidamente, mesmo sem consumirem.

Mesmo se a história não for verdadeira, os brasileiros deixaram suas marcas nessa Guerra / Crédito: Reprodução

 

Como já haviam relatos de que estadunidenses estavam transitando pelo acampamento da FEB, o comandante brasileiro, cordialmente, convocou uma reunião com o pelotão dos EUA para esclarecer a situação. 

A partir de então, ficou claro que não haveria cooperação entre os países. Claramente, não havia regras. E os brasileiros, acostumados com essa máxima, souberam muito bem como reagir para tomar posição e impedir os abusos dos irmãos norte-americanos. Durante a noite, enquanto as tropas americanas dormiam, os brasileiros entraram na surdina e levaram alguns itens: comida, munição, uns cigarros e, claro, como não podia faltar, um tanque de guerra - supostamente um M-4 Sherman.

É claro que, de manhã, o desespero dos yankees foi enorme. Foram até tirar satisfação com os brasileiros, mas o tanque estava muito bem escondido. Os americanos precisaram apelar pra conversa: ''Olha meus amigos, em relação a comida, munições, cobertores, me desculpem! Finjam que nada aconteceu, em relação a isso está tudo esquecido. Mas por favor, nos devolva nosso tanque de guerra.''

A comitiva brasileira só exigiu uma coisa: um pedido de desculpas pela malandragem dos estadunidenses de subjugarem os brazucas. Nos dias seguintes, o tanque apareceu misteriosamente, num canto isolado do acampamento. 

Frota de tanques do Brasil / Crédito: Reprodução

 

Há quem diga que a história do tanque é distorcida: que na verdade não era um blindado, mas um jipe que foi roubado. Essa história está em consonância com o relato do Capitão Souza, que teve seu jipe (apelidado de César) esquecido e roubado numa noite de bebedeira. Então, o soldado Pelota teria roubado um substituto para o César entre os jipes americanos, e logo os brasileiros o pintaram das cores do Brasil.

Porém, a história do tanque, como é conhecida, é bastante disseminada pela boca-a-boca e não é completamente descreditada.