Matérias » Religião

Enigma bíblico: De onde vieram os hebreus?

Seriam os israelitas descendentes de uma tribo de seus maiores inimigos?

Fabio Marton Publicado em 06/09/2019, às 07h00

None
Reprodução

Ainda que o uso popular misture judeu, hebreu e israelita, falamos aqui nos hebreus como os historiadores os definem, os ancestrais dos judeus em sua fase nômade, do chamado de Abraão até a conquista de Canaã pelo heroico Josué, descritos no Pentateuco (Torah, para os judeus), os cinco primeiros livros da Bíblia.

Se episódios milagrosos como a abertura do Mar Vermelho, o Sol parando no céu e a queda dos muros de Jericó por trombetas não são vistos literalmente, os judeus têm que ter vindo de algum lugar. Hebreus não podem ser uma alegoria.

No Pentateuco, seu status como invasores é definidor da própria identidade: os cananeus, os pagãos que conquistaram e aniquilaram, celebravam deuses macabros como o touro Moloch, para o qual recém-nascidos eram atirados ao fogo. Os hebreus tomaram suas terras com a divina ajuda e a mando do deus único Yahweh.

Mas provavelmente não foi assim tão preto e branco como está na Bíblia, nem os hebreus vinham de tão longe. O problema é que não há qualquer vestígio arqueológico desse povo ou dessa conquista.

Não há aparentemente nada nos textos egípcios sobre escravos hebreus, as pragas, ou, menos ainda, o mar se abrindo. A primeira referência sólida aos israelitas está na Estela de Merneptá, de 1208 a.C., que afirma que "Israel foi deixada em ruínas e sua semente não mais existe".

Há outro indício interessante: dois séculos antes, no reino do faraó Amenhotep III, os egípcios haviam mencionado certos "shasu de Yhw". Shasu quer dizer beduíno. Eles não viviam em Israel, mas em Edon e Moab, ao sul.

E, Yahweh, de fato, foi cultuado exclusivamente pelos israelitas. Os shasu levaram seu deus para o norte, em conquistas mais lentas que a da Bíblia, e ao mesmo tempo se mesclando com os cananeus que já estavam lá. E isso transformou esses cananeus.

"O crescente consenso entre os arqueólogos é que, no início, a maioria dos israelitas era cananeia", diz Robert Gnuse, professor de Velho Testamento na Universidade de Loyola, EUA.

O arqueólogo Israel Finkelstein, da Universidade de Tel-Aviv, comenta a parte militar: "Foi uma conquista lenta, levada a cabo por tribos que provocavam guerras regionais entre 1200 e 1000 a.C. Os líderes militares de gerações diferentes provavelmente foram reunidos sob um único nome, Josué".