Matérias » Personagem

De rainha das Pin-ups a isolamento eterno: os dias finais de Bettie Page

O sex symbol dos anos 1950 desapareceu dos olhos do público após ser intimada pela Justiça por suas fotos polêmicas

Daniela Bazi Publicado em 05/02/2020, às 15h30

Bettie Page é reconhecida como a Rainha das Pin-ups
Bettie Page é reconhecida como a Rainha das Pin-ups - Domínio Público

Famosa modelo americana dos anos 1950, Bettie Page ficou reconhecida, principalmente, por suas representações pin-up e fetichistas, sendo reconhecida como a Rainha das Pin-ups, além de ter sido uma das primeiras Playmates do Mês da revista Playboy.

Bettie iniciou no estilo em que ficaria eternizada em 1950, quando conheceu seu segundo marido, o policial e fotógrafo amador Jerry Tibbs. Ele também foi responsável para que Page passasse a utilizar sua famosa franja convexa, após contá-la que sua testa seria grande demais para utilizar o cabelo partido no meio.

Foram os fotógrafos Irving Klaw e Bunny Yeager que a imortalizaram como uma pin-up. Entretanto, ao assinar com Klaw, o contrato dizia que o pagamento só seria feito caso a mesma realizasse fotos com poses de bondage, uma das práticas do sadomasoquismo. Por causa das fotos, Page acabou sendo intimada a depor pelo presidente do Senado, Carey Estes Kefauver.

Bettie Page em uma sessão de fotos / Créditos: Wikimedia Commons

 

Bettie acabou se divorciando de Jerry e, em 1958, se casou com Armand Walterson. Na mesma época, a modelo se converteu ao cristianismo, e acabou desaparecendo da vida pública, sem exibir um motivo concreto.

Algumas teorias dizem que ela se afastou por causa das polêmicas geradas a partir das fotos de Irving Klaw e Bunny Yeager, e outras acreditam que seu novo marido a teria forçado a se distanciar dos holofotes. Sua última entrevista foi dada em 1962, em que contava sobre seu recente divórcio com Armand.

No final da década de 1970, Bettie foi diagnosticada com esquizofrenia e acabou sendo presa por causa de um surto psicótico, permanecendo por 10 anos na cadeia. Durante essa época, ninguém sabia do paradeiro da Rainha das Pin-ups dos anos 1950.

Page teve seu nome de volta no gosto do público durante os anos 1990, devido ao lançamento de documentários que contavam sobre sua trajetória. Nesse tempo, Bettie estava vivendo em uma casa de repouso e sobrevivia com pouco dinheiro.

Bettie Page durante sua juventude / Crédito: Wikimedia Commons

 

Vendo a triste situação em que a modelo se encontrava, Hugh Hefner, fundador da Playboy, conseguiu arranjá-la um advogado para que a ajudasse a receber dinheiro com a utilização de sua imagem, que muitos usavam de forma indevida. Foi graças a ele que Bettie conseguiu receber muito mais que na época de sua juventude, e vivesse confortavelmente em seus últimos anos.

Em 2008, Bettie Page teve um ataque cardíaco e foi internada em estado crítico no dia 6 de dezembro. A Rainha das Pin-ups ficou por 5 dias em coma, até falecer em 11 de dezembro devido a uma pneumonia. Ela foi enterrada no Westwood Village Memorial Park Cemetery, e em sua lápide está escrito: Bettie Mae Page, a Rainha das Pin-ups.


+Saiba mais sobre Bettie Page e pin-ups com as obras abaixo:

Bettie Page, Richard Foster (2017) - https://amzn.to/2GZlo4i

Bettie Page: Queen of Curves, Petra Mason e Bunny Yeager (2016) - https://amzn.to/383sHUq

The Art of Pin-up, Louis Hanson, Dian Blum e Sarahjane Meisel (2013) - https://amzn.to/37XpvK6

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.