Matérias » Segunda Guerra

O Exército Vermelho e o abuso sexual contra alemães na Segunda Guerra

Estima-se que mais de 100 mil mulheres foram violentadas sexualmente apenas em Berlim e mais de dois milhões em todo território alemão

Fabio Previdelli Publicado em 15/03/2020, às 09h00

Exército Vermelho em cores
Exército Vermelho em cores - Divulgação

A contribuição da União Soviética para a derrocada alemã nazista na Segunda Guerra ainda é considerada como uma das maiores glórias recentes da Rússia e do seu passado comunista. Apesar do triunfo, existe um episódio pouco conhecido nessa história que, ainda hoje, é negado por muitos russos: os casos de estupros do Exército Vermelho.

Quando os combatentes soviéticos avançaram para Prússia, em janeiro de 1945, uma enorme variedade dentro das tropas podia ser vista, tanto na condição dos equipamentos quanto nas convicções dos soldados. Alguns guerreiros bebiam sem parar e estupravam centenas de mulheres que cruzavam o seu caminho, outros membros mais idealistas e neutros viam o ato como um comportamento chocante e condenável.

Beria e Stalin, de volta a Moscou, sabiam das ocorrências pelos vários relatórios detalhados que recebiam. Segundo Antony Beevor, escritor e historiador britânico, explica em seu livro Berlin: The Downfall 1945 (Berlim 1945: A queda): “muitos alemães declaram que todas as mulheres alemãs na Prússia Oriental, que ficaram para trás, foram estupradas por soldados do Exército Vermelho”.

Pintura sobre soldados do Exército Vermelho / Crédito: Creative Commons

 

Eram abusos coletivos de “meninas menores de 18 anos a mulheres idosas”. A situação ficou tão caótica que o marechal Rokiossovsky teve que emitir uma ordem para “direcionar os sentimentos de ódio aos combatentes inimigos no campo de batalha”.

O ofício parece ter tido pouco efeito. Houve também algumas tentativas arbitrárias de exercer autoridade. Segundo Beevor, o comandante de uma divisão de rifle "matou pessoalmente um tenente que estava alinhando um grupo de seus homens antes que uma mulher alemã se espalhasse no chão".

As chamadas para a vingança da Pátria, violadas pela invasão da Wehrmacht, deram a ideia de que qualquer crueldade que fosse feita seria permitida. O ato parecia ser validado até pelos soldados mais jovens e pela equipe médica do Exército Vermelho.

"O comportamento de nossos soldados em relação aos alemães, principalmente às mulheres alemãs, é absolutamente correto!" disse um jovem de 21 anos do destacamento de reconhecimento de Agranenko.

Várias mulheres alemãs registraram como as servas soviéticas assistiram e riram quando foram estupradas. Mas algumas mulheres ficaram profundamente abaladas com o que testemunharam na Alemanha. Segundo o livro do historiador, Natalya Gesse, amiga íntima do cientista Andrei Sakharov, observara o Exército Vermelho em ação em 1945 como correspondente de guerra soviético. "Os soldados russos estupraram todas as mulheres alemãs dos oito aos oitenta anos", contou ela mais tarde.

Soldados do exército vermelho durante a guerra civil / Crédito: Wikimedia Commons

 

Bebidas de todos os tipo e variedades estavam inclusos no cardápio soviete — o que também incluía produtos químicos perigosos que eram apreendidos em laboratórios e oficinas. Era como se os soldados precisassem de coragem vinda da bebida para atacar uma mulher, ou de um estímulo para liberar todas as maldosas intenções que carregavam dentro de si.

A bebedeira era tão grande, que muitas vezes eles eram incapazes de completar o ato, e utilizavam as garrafas de bebidas para tal atividade — como consequência, muitas vitimas tiveram suas partes íntimas mutiladas.

O assunto dos estupros em massa do Exército Vermelho na Alemanha foi tão reprimido na Rússia que até hoje os veteranos se recusam a reconhecer o que realmente aconteceu. No entanto, os que reconhecem o triste episódio, são totalmente impenitentes.

“Todos levantaram as saias para nós e deitaram na cama", disse o líder de uma empresa de tanques. Ele chegou a se gabar de que "dois milhões de nossos filhos nasceram" na Alemanha, explica o britânico.

Militares soviéticos em ação / Crédito: Wikimedia Commons

 

Nenhuma fonte confirmou, de fato, o número de mulheres que foram violentadas. Entretanto, estima-se que 100 mil mulheres foram estupradas apenas em Berlim e mais de dois milhões em todo território. A situação era tão desesperadora que documentos expõem o alto número de pedidos de aborto.

Em 2015,o Parlamento russo aprovou um decreto que prometia punir qualquer pessoa que ‘deprecie a história Russa na Segunda Guerra Mundial com multa que pode chegar até a um período de prisão por cinco anos.


++ Saiba mais sobre o assunto através das obras:

Berlim 1945: A queda, de Antony Beevor (2004) - https://amzn.to/3aNv6ng

Um Escritor na Guerra: Vasily Grossman com o Exército Vermelho, 1941-1945, de Vasily Grossman (2007) - https://amzn.to/33fNYJ6

Stalingrado: 1942 - o início do fim da Alemanha nazista, de Alexander Werth (2015) - https://amzn.to/2vVuyNC

Exercito Vermelho, de Ralph Peters (1991) - https://amzn.to/38S14xk

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.