Matérias » Personagem

Marechal Deodoro da Fonseca, o primeiro Presidente da República

Conheça o militar monarquista que proclamou a República após um boato

Redação Publicado em 15/11/2019, às 00h00

Marechal Deodoro da Fonseca, o militar que proclamou a República
Marechal Deodoro da Fonseca, o militar que proclamou a República - Wikimedia Commons

Deodoro da Fonseca foi protagonista de um dos mais importantes e controversos momentos da História do Brasil: sendo um convicto monarquista no dia anterior, ele foi um dos principais militares responsáveis pelo Golpe que instaurou a República em 15 de novembro de 1889.

Nascido no ano de 1827, em Alagoas da Lagoa do Sul (AL), Deodoro foi o primeiro presidente do Brasil. Membro da artilharia da Escola Militar do Rio do Janeiro, ele participou de batalhas importantes da História do nosso exército, como a Revolta Praieira, a Guerra do Prata e a Guerra do Paraguai.

Também foi presidente da província do Rio Grande, mas retornou ao Rio de Janeiro com o desencadear do atrito entre o exército e o Governo Imperial. Entretanto, Deodoro foi, na maior parte de sua vida, um monarquista. Algumas vezes, abandonou cargos militares para assumir nomeações nos governos ligados ao Imperador Pedro II.

Deodoro na Guerra do Paraguai / Crédito: Reprodução

 

Com o tempo, sua relação com a monarquia se desgastou. Certa vez, largou o cargo de comandante militar no Mato Grosso por desavenças com o presidente da província, Cunha Matos.

Em 1880, Deodoro se aproximou gradativamente da posição da caserna diante da chamada questão militar, que era contrária ao Imperador. Porém, Deodoro não se revoltou contra Pedro II - isso até 14 de novembro de 1889.

No dia anterior à Proclamação, republicanos soltaram um boato de que o primeiro-ministro Visconde de Ouro Preto teria decretado a prisão de Deodoro e Benjamin Constant. Como o parlamento se renovaria no dia 20, o golpe teria que acontecer antes, e o boato envolvendo Deodoro foi o argumento final para colocá-lo a favor (e na liderança) da queda do monarca.

No dia 15 de novembro, Deodoro liderou a derrubada do Império e proclamou o sistema político republicano e assumiu o cargo de Chefe do Governo Provisório, que foi um momento militar linha-dura da República.

Seu governo foi marcado pelo autoritarismo, ao mesmo tempo que pela criação de estatutos modernos como o Código Penal e a laicização do Estado. Junto a isso, veio uma crise econômica.

Ao mesmo tempo, foi responsável pela contenção de revoltas, algumas contra o governo e outras contra a república. É o caso da Revolta da Armada, duramente reprimida e acompanhada pelo fechamento do Congresso Nacional.

Sem conseguir governar, Marechal Deodoro renunciou em 23 de novembro de 1891, assumindo seu vice, Floriano Peixoto. Morreu quase um ano depois, vítima de uma crise de dispneia.


Saiba mais sobre o militar e o seu papel na queda da monarquia brasileira através de importantes obras
 
Os Presidentes E A Republica: Deodoro Da Fonseca A Dilma Rousseff,  Arquivo Nacional, 2019 - https://amzn.to/2CL9Gbm
 
Guia politicamente incorreto dos presidentes da República, Paulo Schmidt, 2016 - https://amzn.to/2pgUvDK
 
1889: A República Não Esperou o Amanhecer, Hélio Silva, Civilização Brasileira, 1972 - https://amzn.to/32KoMZl
 
Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.