Matérias » Curiosidades

Michael O’Brien: o homem que invadiu um estádio nu na frente da prima da rainha Elizabeth II

Em 1974, o homem foi multado por "comportamento insultuoso” depois de aparecer sem roupas em frente a uma multidão

Isabela Barreiros Publicado em 23/03/2020, às 14h20

A famosa fotografia do primeiro streaker da História
A famosa fotografia do primeiro streaker da História - Divulgação/Ian Bradshaw

Inglaterra e França disputavam uma partida de rúgbi no estádio Twickenham, nos arredores de Londres. Era uma tarde de fevereiro de 1974, e na plateia estava a princesa Alexandra, prima da rainha Elizabeth II. Durante o intervalo, um australiano de 25 anos surgiu no campo correndo nu. Foi logo cercado por policiais, tão preocupados em pará-lo quanto em esconder a nudez.

Um dos agentes cobriu o manifestante com um capacete, enquanto outro apareceu andando às pressas, segurando um casaco nas mãos — e foi nesse momento que o fotógrafo britânico Ian Bradshaw, então com 31 anos, disparou seu clique mais famoso. Bradshaw fotografava o jogo para o jornal Daily Mirror. "Era o único profissional posicionado no fim do campo, porque tinha lentes com grande capacidade de aproximação. Os outros acompanhavam os lances na lateral do gramado", afirma.

O fotógrafo, naquele dia, esperava retratar em suas lentes apenas apena mais um “banho de sangue” entre os dois times rivais. No entanto, sua atuação no momento rendeu-lhe uma das mais importantes fotografias da História, que representou um fenômeno cultural muitas vezes visto ao longo de cerimônias públicas, a partir daquele momento.

O jovem nu, Michael O’Brien, tinha apostado com os amigos que aceitaria o desafio. Ganhou 10 libras, exatamente o valor da fiança estipulada pelo juiz. "Meus companheiros estavam conversando sobre como seria impossível atravessar o campo. Mas algumas bebidas depois eu disse que poderia ser feito. Meus amigos me cercaram e eu me despi. Dois deles foram para o outro lado do terraço e esperaram lá com minhas roupas”, explicou o protagonista do ato.

A icônica foto / Crédito: Divulgação/Ian Bradshaw

 

As pessoas presentes no estádio chegaram no local muito tempo antes da partida começar. O principal motivo para tal adiantamento foi a bebida. Eles consumiam generosamente cerveja, uísque e muitas outras bebidas alcoólicas para se aquecerem para o jogo tão esperado pelas torcidas rivais.

Mais tarde, O’Brien voltou para a Austrália, onde era contador, e Bradshaw passou a viver nos Estados Unidos. "Eu estava no lugar certo e na hora certa", diz ele sobre um dos momentos mais importantes de sua carreira.

Na verdade, a foto nem teria acontecido se Bradshaw tivesse feito como a maioria dos fotógrafos do evento. A maioria deles havia entrado em um corredor fechado do campo para se aquecer — ele, no entanto, decidiu permanecer fora, junto com os torcedores, além do tempo previsto para sua atuação. Foi nesse momento que ele ouviu uma comoção vinda do público. Era O’Brien nu.

Mas como ele conseguiu tirar uma fotografia daquele momento explícito que iria para um jornal? A cena provavelmente não poderia ser publicada de maneira muito clara, devido ao potencial obsceno da situação. Assim, ele começou a pensar em como faria isso.

 “Toda vez que eu pressionava o botão, o streaker (expressão em inglês para a pessoa que fica desnuda em grandes plateias) ficava exposto. Eu pensei, eu tenho que conseguir um quadro onde suas malditas partes íntimas são cobertas!", relembrou o fotógrafo.

Foi então que ele pensou: “o pensamento que passou pela minha cabeça foi: 'Gostaria que o policial mantivesse o capacete firme'”, ele riu, “porque estava subindo e descendo toda vez que eu pressionava o botão. Tudo o que me preocupava era: eu tenho a câmara afiada e o capacete estava no lugar certo?”.

Assim que isso aconteceu, Bradshaw bateu a icônica foto. Mais tarde, afirmou que, de certa forma, aquela havia sido a fotografia mais fácil que ele já havia tirado em sua carreira. “Lugar certo, hora certa, lente certa, filme na câmera. Eu só tive que me mover cerca de 10 jardas para fazer isso”, afirmou.

A história é lembrada até os dias de hoje e muitos consideram a situação como o primeiro streaker do mundo dos esportes. O’Brien foi multado pela polícia britânica em 10 libras — o valor da aposta feita por ele e seus amigos antes de toda a confusão — por "comportamento insultuoso”, mas pôde voltar ao Twickenham para assistir ao final da partida.

E a foto, que se tornou tão famosa, foi para a primeira página do Sunday Mirror logo no dia seguinte do jogo, em 1974. "Bem, foi uma ocasião real", dizia a manchete da matéria principal do jornal sobre a icônica partida.


Saiba mais sobre fotojornalismo por meio das obras a seguir disponíveis na Amazon:

Fotojornalismo. Introdução à História, as Técnicas e a Linguagem de Fotografia na Imprensa, Jorge Pedro Sousa (2004) - https://amzn.to/2J5LZ0O

O instante certo, Dorrit Harazim (2016) - https://amzn.to/39jux3H

Da minha terra à Terra, Sebastião Salgado (2014) - https://amzn.to/2WC0ocY

Uma história crítica do fotojornalismo ocidental, Jorge Pedro Sousa (2004) - https://amzn.to/2WGGHAL

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du