Matérias » América

Múmias de Qilakitsoq: os mais preciosos vestígios do Ártico Antigo já descobertos

Descobertos em 1972, os restos mortais dos inuítes foram preservados por quase 550 anos congelados debaixo de pedras, revelando fatos assustadores

André Nogueira Publicado em 16/03/2020, às 06h00 - Atualizado às 08h00

Pequeno esquimó congelado
Pequeno esquimó congelado - Getty Images

Imagine sair de casa para realizar uma atividade banal e voltar com os mais valiosos artefatos arqueológicos da região. Foi o que aconteceu com dois irmãos caçadores anônimos que saíram numa tarde fria de 1972, na Groenlândia, para caçar e acabaram se deparando com uma vila abandonada na neve.

Investigando o local, localizaram o povoado inuít de Qilakitsoq, no oeste da ilha, que fora deixado de lado. Explorando, encontraram algo ainda maior: oito múmias congeladas que foram enterradas no mesmo local. 

De imediato, chamaram as autoridades de patrimônio da ilha, que levaram arqueólogos ao local da descoberta. O caso possibilitou uma série de conhecimentos sobre os povos esquimós. 

O curioso é que os corpos não foram mumificados, mas mantiveram-se intactos após o congelamento: o frio excepcional da Groenlândia preservou praticamente todo o corpo daquelas pessoas.

Crédito: Getty Images

 

A partir de análises aprofundadas, os cientistas conseguiram datar as múmias sem deteriorar o sítio. De acordo com a pesquisa, as seis mulheres, o menino e o recém-nascido sepultados morreram por volta de 1475. 

Os restos mortais dos inuítes foram encontrados com peças de cultura material, como roupas de pele de rena, além das marcas, como tatuagens, nos rostos das próprias múmias. Entretanto, o que mais atiçou os pesquisadores foi um dos corpos, que parecia ter sido enterrado vivo.

Detalhe de tatuagem no rosto da múmia / Crédito: Getty Images

 

O episódio seguiu uma norma social inuit instigante: segundo a tradição, quando uma mãe morria, seus filhos também eram enterrados: isso seguia uma lógica prática de que as crianças não teriam como sobreviver sem a provedora. E seria melhor se eles acompanhassem a tutora rumo à terra dos mortos.

Quatro das múmias encontradas em 1972 estão em exibição no Museu Nacional da Groenlândia, na cidade de Nuuk, com entrada gratuita e com grande orgulho de custodiarem os inuítes mumificados de Qilakitsoq.


+ Saiba mais sobre os esquimós pelas obras abaixo:

1. The Frozen Northland: Life With the Esquimo in His Own Country - https://amzn.to/2PgZy1i

2. Pensionnats du Canada : L’expérience inuite et nordique: Rapport final de la Commission de vérité et réconciliation du Canada - https://amzn.to/2sjQMqd

3. Légendes inuites - https://amzn.to/2sjQUWJ

4. Inuit History and Culture, The Eskimos: Early and Modern history, Migration and Settlement, People, Old traditional and Modern tradition, hunting life, Tourism - https://amzn.to/2LRopqu

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.