Matérias » Religião

Kurdaitcha: O homem capaz de vingar os mortos matando seus inimigos

De acordo com a cultura aborígene australiana, ele usa a magia para vingar o falecido de duas maneiras

Redação Publicado em 07/09/2019, às 07h00

Kurdaitcha
Kurdaitcha - Getty Images

O executor Kurdaitcha, que faz parte da cultura dos aborígenes da Austrália Central, é conhecido por vingar a morte de uma pessoa matando o inimigo do falecido, muitas vezes por meio da feitiçaria.

Os aborígenes acreditam que não há morte natural, e que todo falecimento é causado por outra pessoa, que poderia contar com a ajuda de espíritos malignos para “se livrar” de um inimigo.

Muitas vezes, a pessoa que está morrendo sussurra à um curandeiro o nome da pessoa que acha que causou sua morte. Se o inimigo não é identificado, um homem é escolhido para procurar um sinal até encontrar o culpado. Isso pode levar anos, mas a identidade do “assassino” é sempre descoberta.

Então, os anciãos da tribo a qual o morto pertencia se reúnem para decidir a punição adequada. Se acharem necessário, organizam um ritual Kurdaitcha e decidem quem será o executor – que também recebe o nome de Kurdaitcha.

A vingança pode ser realizada de diversas maneiras. Em um dos casos, o inimigo é morto por meio da magia do Kurdaitcha, mas logo depois volta à vida e é autorizado a seguir seu caminho. No entanto, após um curto período de tempo, a vítima, amaldiçoada, fica doente e morre. Dessa forma, ninguém desconfiaria diretamente do Kurdaitcha.

Outro método utilizado para matar o assassino é uma cerimônia conhecida como apontar ossos. Durante o ritual, o Kurdaitcha aponta um osso – dotado de poderes mágicos – para a vítima, enquanto murmura maldições. Nos dias seguintes ao ritual, a pessoa amaldiçoada se torna apática e fraca, recusando comida e água, e acaba morrendo.

Ossos eram utilizados em ritual para amaldiçoar a vítima / Crédito: Getty Images

 

Reconhecido até hoje na Austrália como parte da cultura aborígene, o fenômeno é considerado psicossomático. A morte é causada por uma resposta emocional, como o medo, a um fator externo. Os médicos e equipes de enfermagem dos hospitais australianos são treinados para lidar com doenças causadas por feitiçaria ou por apontar ossos.

Alguns povos, como os Warlpiri, que vivem no Território do Norte, acreditam na existência do Kurdaitcha como uma espécie de espírito malévolo capaz de vingar mortes. Mas há ainda aqueles que creem na figura do homem encarregado de matar pessoas durante um ritual.